Occupy life


"Meu imperativo talvez fosse outro, embora impossível: 
me fazer praça, me fazer rua, me fazer prédio vazio, 
e que enfim me ocupasse o incontível da vida."

***

Um escritor que visita um antigo hotel abandonado convertido em ocupação por imigrantes sem teto, refugiados, despejados; e que se dispõe a ouvir as histórias desses ocupantes temporários. A história perdida de cada um, os bombardeios, as fugas (internas ou não). Ao mesmo tempo, no universo quase etéreo da vida privada, a gravidez da esposa, a enfermidade do velho pai. Um homem que tenta enxergar o coletivo que a todo momento lhe escapa enquanto também tenta tomar as rédeas de suas próprias peregrinações pessoais. Pessoas em ruínas, relacionamentos em pedaços, memórias que desmoronam. E os afetos, a vontade de enxergar, a tentativa nem sempre feliz de superar os escombros; a ocupação do peito, dos sentidos, da cidade. 

Comecei por aí meu ano de leituras. Cercada dos barulhos do início do ano, comecei devagar. Mas hoje, no meio da praia invadida por banhistas e turistas de todos os sotaques, encontrei meu silêncio e olhei com a atenção devida para esse livro breve e valioso. Julián Fuks, mais uma vez, se mostrou excelente companhia. 

2 comentários:

Ana Carolina disse...

Oi, Rita! Você não tem perfil no Goodreads, não é? Uma pena. Eu adoraria navegar pela sua estante, ver os livros que você já leu, o que recomenda e o que não recomenda. Deixo aqui meu pedido pra que você crie um perfil!

A propósito: descobri seu blog há pouco tempo, uns 4 meses atrás. Adoro seus textos! Tenho lido todo dia um pouquinho. Obrigada por continuar passando por aqui depois de tanto tempo!

Rita disse...

Olá, Ana

Obrigada por seu comentário. Seja bem vinda ao bloguito.
Eu até tenho um perfil no Goodreads, sigo algumas pessoas por lá, mas não o alimento. Mantenho apenas uma listinha aí na lateral do blog com minhas leituras mais recentes e com o(s) livro(s) que estou lendo no momento. De vez em quando escrevo sobre algum aqui, como fiz com o livro do Fuks. Quem sabe qualquer hora dessas não me animo e passo a alimentar meu Goodreads? Obrigada pelo incentivo. ;-)
Abraços!

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }