Amandita


Essa semana demos risadas com uma brincadeira antiga, porém nova em nossa casa: você se esconde atrás de mim e posiciona os braços à frente do meu corpo enquanto escondo meus próprios braços em minhas costas. Enquanto falo uma abobrinha qualquer, você gesticula. Seus braços são meus braços, e a brincadeira é procurar a sintonia entre o que eu falo e os gestos que você faz. Brincamos de ser uma. Simbiose melhor não há. A parte mais legal da brincadeira é quando termino a fala e você libera o riso contido. Seu sorriso tem sido minha canção favorita. 

Dia desses você estava triste. É um aprendizado meu também lidar com sua tristeza, suas solidões de menina, seus pequenos grandes dramas impossíveis. Num desses momentos, eu disse que estaria sempre com você. Eu não sei se você percebe exatamente o quão verdadeira é essa frase, mas algo no seu abraço me diz que é possível que sim. Que você sabe, que você sente. Tomara. É a parte mais legal desse amor que tenho por você: é sempre. 

Hoje você faz onze anos de meninice. Você é tão, tão linda. Não, não tô falando do seu rosto de pinturinha de Renoir, nem do cabelo dançante arrepiado. Tô falando do seu olhar, de como você vê o mundo ao seu redor. Tô falando da pessoa que você tá construindo aí no seu coraçãozinho, minha pequena. Minha grandona.

Na camisa do handebol, escondido por seus cabelos afoitos, está escrito Amandita. A gente chama assim, de vez em quando. E agora que você anda às voltas com arremessos e infiltradas, eu queria dizer que a vida gosta bem de imitar o jogo. Há dias em que nada funciona; há dias em que tudo se encaixa. Eu torço que você encare os dois com a mesma garra: no grito de gol e no momento em que ninguém te passa a bola. E que nunca se esqueça que meus braços são seus quando você precisar; e que sempre estarei na arquibancada gritando Amandita, não importa o quanto você insista em crescer. 

Meu amor. Feliz aniversário, minha nerd-espoleta favorita. 

Te amo muito.




Congela! Que essa expressão faz dançar meu coração.

Vumbora que a vida tá só começando.


6 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

você (s) me faz (em) acreditar no bom. Na boniteza. Parabéns pra vocês, parabéns pra ela. Eu, daqui de longe, torço tanto, com tanto carinho.

Rita disse...

Obrigada, Luciana. Seu carinho chega aqui e é recebido com um abraço de amizade grande. Beijos!

Marina disse...

Tão lindo quanto verdadeiro! Parabéns para essa menina linda que tem muuuuuita sorte pela mãe que tem. Saudades amiga. Bjs

Juliana Barbosa disse...

Amanda, você sorrir com os olhos, você é toda sorrisos!! Que a sua vida seja alegre e feliz como você é. Beijos,

ps: Quero vê-la no handebol! Amandita!!

mami disse...

Rita e sua Amandita, adorei! Parabéns por essa relação tão linda!

Rita disse...

Obrigada, pessoas queridas! Ela receberá cada recadinho!
Beijos!
Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }