Slow


Tenho degustado o inverno a pequenas colheradas. Ainda há muitas gavetas esperando arrumação pós-reforma e cuido delas com um olho na copa, outro no cachorro esparramado no tapete. Aí me esparramo junto e deixo a gaveta pra depois. Não canso de repetir: é tão bom estar de volta.

***

Tenho lido pouco nessas últimas semanas, e é estranho. Minha lista de espera está esperneando, mas entrei numa espécie de calmaria consciente: tudo tem seu tempo. Aguardem-me letrinhas, que nosso caso de amor logo entrará numa efervescência alucinante - ui. A viagem do elefante, do Saramago, narra a lenta odisseia de Solimão, o elefante, de Portugal à Áustria. Vou com ele, no mesmo ritmo. Estamos quase chegando. 

***

Estou enamorada de minha casa. Quem passou por reforma, sabe: ainda bem. Digo que a reforma não transforma só a casa, mas a nós também. Saímos dela loucos ou renovados. E que bom ser inverno, o que já nos convida pro chá encolhidos no sofá.

***




Amanda faz a melhor massagem nos pés. Aqui, ela recebe uma retribuição à altura. Floquinho observa, enciumado. 

Chegou botão, abriu toda linda. 

Conseguem sentir o cheiro?

1 comentários:

BethS disse...

que bom, recomeçar em casa nova... desejo tudo de melhor pra vocês... beijo querida rita...
<3

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }