The colours of the rain


As tempestades de verão têm sido pontuais. Pode-se marcar um encontro para "antes da chuva" ou "depois da chuva" sem temor. A sorte do dia é conseguir se deslocar do trabalho para casa antes de o céu despencar sobre a cidade no final da tarde, trazendo os inevitáveis desmoronamentos localizados, buracos aumentados, arrepios de lembrança da última enchente ainda tão fresca. Faz um cor linda no meu quintal quando a tempestade vem chegando. As nuvens mais escuras se avolumam sobre o morro, mas o sol do outro lado do céu resiste o quanto pode e envia os últimos raios coloridos antes de ceder lugar ao aguaceiro. Sobe um cheiro de terra quente e a atmosfera fica carregada, embalada pelo vento que bate as últimas portas e janelas ainda abertas. Meu cachorro maior enlouquece. Ontem consegui chegar a tempo de ficar ao lado dele durante os trovões mais barulhentos. Não consigo tranquilizá-lo de todo, mas acho que ofereço algum suporte psicológico. Ele é pesado e suas patas têm um bom potencial para me machucar no meio do nervosismo todo, mas devo dizer que é muito terna  a forma como ele parece saber disso e não as arrasta sobre minha pele, apenas cede, resignado, se decido me afastar. Gosto muito dessas chuvas fortes e rápidas de final de tarde, são um elemento inseparável do verão. Claro, odeio se estiver no trânsito bem na hora h. Mas em casa, não fosse o desespero do cachorro, eu até torceria para as trovoadas durarem um pouco mais. Quando eu era pequena, havia poucas tempestades em minha cidade. Nas raras vezes em que elas chegavam, eu me deleitava. Da porta de casa, olhava  maravilhada a água correr rente ao meio-fio da calçada, como se eu vivesse em um comercial de TV. A cada tempestade que enlouquece meu cachorro, sou essa menina outra vez, mesmo que comercial nenhum tenha aquelas cores que vejo no meu quintal. 

Nada não, só queria falar da chuva.  

1 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

aqui também está chovendo. ainda não tive tempo de olhar o céu, mas vou. e, ah, mandei pedir a Elsa, logo chega.

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }