Perto do céu


Atendemos o chamado dos Andes. Visitamos o Cajón del Maipo, um vale aos pés da Cordilheira por onde passa o Rio Maipo. Nosso destino era o Enbalse del Yeso, reserva de água responsável por boa parte do abastecimento de Santiago. Começamos por uma breve passagem pela pequena San José de Maipo, onde fica a pracinha da primeira foto, e seguimos arriba, arriba, arriba. Passamos por estruturas abandonadas que um dia foram utilizadas por mineradores e outros trabalhadores desses confins de mundo e, finalmente, depois de o ônibus que nos levava quase ferver o motor, chegamos a um ponto lá no céu. Ainda havia montanhas acima de nossas cabeças, o cenário árido parecia filme de ficção científica, uma vegetação tímida, mas valente, mostrava sua força e a água represada pintava de verde um quadrinho muito bonito. Estávamos no coração da Cordilheira, e minha respiração sentiu as alturas; mas persisti e caminhei um pouco mais à frente. Valeu a pena cada passo. 

San José de Maipo. Uma pracinha, cachorros pela rua, montanhas all around.


Cidade fantasma que um dia abrigou mineiros, e hoje recebe turistas que brincam de casinha.





Cometocino de gay, todo exibido.

Psiu, me fotografa!



Arriba, muchachos! 




Aqui e ali uma placa nos lembra que esse lado do mundo, de vez em quando, fica nervoso.


Lanchinho para os valentes que chegaram até o fim da jornada.

Depois da descida, parada em um restaurante cercado de verde e das majestosas montanhas - que já nos chamavam outra vez. 
Na recepção do restaurante, onde almoçamos já no meio da tarde, há uma coleção de fósseis de mariscos e várias conchas. São fósseis encontrados na região da Cordilheira, no topo de montanhas, em alturas absurdas. É uma lembrança do impressionante processo que levou à formação da Cordilheira, do embate de forças que moldaram e ainda moldam nosso planeta ao longo do tempo. Bichinhos marítimos, fossilizados em picos que um dia estiveram no fundo do mar. Tão fascinante quanto o cenário.

1 comentários:

Rosângela lima de oliveira disse...

Bom dia, estamos com saudades, esse foi o único meio de contato, pelo meu nome creio que você vai lembrar de nós, de mim e de meu filho Anderson.

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }