Um resumo



Depois do café que ganhei na cama servido com pãezinhos feitos pela Amanda, reabri a caixa. Para além de todos os clichês, você gostava deste dia. Então reli algumas cartas que você guardou, inclusive um bilhetinho de dia das mães de 2000. Depois da foto para este post, pus o vasinho ao lado de uma foto em que você segura o Arthur no colo, e deixei lá. A rosa foi colhida no nosso jardim, onde agora Ulisses e as crianças instalam a nova casinha para os passarinhos que nos visitam; ela enfeitava a bandeja do café da manhã hoje cedo. O vasinho foi pintado pelo Arthur quando ele tinha dois anos. Se você estivesse aqui ainda, eu teria ligado bem cedo e teríamos tomado café da manhã "juntas". Ou eu teria ido passar esse dia com você talvez. Não há como saber. O que dá pra saber é da caixa cheia de cartas que escrevi e que você guardou. Esse vasinho, a flor, a caixa, o jardim: um resumo bonito de meu dia, de minha saudade. O amor fica.

3 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

daqueles posts tão tocantes que eu queria comentar com lágrimas, mas elas não ficam, deixo as letrinhas que, como você sabe e diz, podem ser um abraço.

Anônimo disse...

Rita, um beijo. Quero te dizer que eu estava "lá" --- aqui, no período das cartas. Assim que sua mãe foi embora e você postava sobre as cartas. Me marcou infinitamente. Muitos beijos!

Anônimo disse...

<3

Beijos, Felicia

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }