Solstício


"O comandante olhou Fermina Daza e viu em suas pestanas os primeiros lampejos de um orvalho de inverno. Depois olhou Florentino Ariza, seu domínio invencível, seu amor impávido, e se assustou com a suspeita tardia de que é a vida, mais que a morte, a que não tem limites."

G.G. Márquez, em algum momento d'O amor nos tempos do cólera 
(em tradução de Antonio Callado)

***


Então chegou o inverno com suas noites longas e seu vento de assobios. Trouxe uma lua pálida e também minhas faltas. Chegou, como de costume, resgatando não sei de onde umas lembranças longínquas, com cheiro de café com leite. O inverno, quando sopra em minha janela, sempre me dá um beijo antigo. A tudo recebo, com gratidão. Pois com ele chegou o solstício do aconchego: num só abraço, dobro o cobertor do tempo e aninho minha infância, meus planos, os caminhos surpreendentes, os afetos construídos e o que mais virá. O tempo - tudo que temos - me parece terno e largo. Chegou.

Foi num inverno que cheguei e acho bom que tenha sido assim. Simpatizo com esses dias em que o cantinho do quarto parece melhor do que a rua, ou em que uma caneca quente nas mãos tem mais apelo do que um mergulho. Simpatizo com o cobertor repartido, com a luva que tiro para sentir a mão dele, e acho bom os vapores das panelas aquecendo a cozinha. Acredito que, em considerável medida, sou inverno. 

É um aniversário longe do meu par, um festejo adiado. Mas é sempre uma celebração do que sinto: certa mania de insistir que tudo pode ser, e ver nisso a tal falta de limites de que fala o Márquez. Que assim continue sendo, em noites longas de lua e estrelas, em dias de todas as cores, numa vida cheia de amores. 


4 comentários:

Renata Lins disse...

que post delícia, Ritinha!
Deu vontade de ver o seu inverno de perto...
(embora aquele em que você nasceu, vai, tenha sido virtual)
Beijo grande, parabéns já!

duasfridas disse...

Que texto bonito e aconchegante, obrigada por ele e parabéns.
Beijo,
Helê

Luciana Nepomuceno disse...

que texto delicado, como você, seu abraço, sua companhia, sua inspiração. me tocou tão fundo que eu nem sei direito como comentar sem ser inconveniente. beijinhos

Juliana disse...

Feliz aniversário, querida!

Todo amor e toda alegria do mundo pra vc.

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }