A noite



Hoje será a noite mais dançante do ano lá nas bandas onde nasci. No finalzinho da tarde, a trilha dos odores das canjicas temperadas com canela já poderá ser seguida pelas calçadas. Haverá travessas cheias delas sobre as mesas, outras serão guardadas nas geladeiras para o café de amanhã, no feriado do dia 24. 

Hoje, lá onde nasci, haverá fogueiras fazendo arder os olhos e olhares fazendo arder os corações. As bandeiras, que já tremulam há semanas, assistirão lá do alto as quadrilhas mais lindas que se dançam nesse mundo.  

Hoje, no cantinho do país onde nasci, o som da sanfona vai fazer a saudade de Gonzagão parecer uma coisa de família, que vem no sangue da gente. Hoje, a voz de Dominguinhos certamente vai soar em muitas casas, anunciando que "isso aqui tá bom demais". 

Hoje, nos meus antigamentes, era uma noite grande.

Agora estou aqui, num canto do país onde a festa tem outros ares e sabores, e a noite do 23 é só mais uma. Mas, na verdade, na verdade, não importa muito. Porque hoje à noite você volta. Estou te esperando. 

5 comentários:

Renata Lins disse...

e, sabe-se lá por quê, essa saudade funda de lá bateu em mim lendo seu texto...
beijo, lindinha.

duasfridas disse...

... na janela/não sei se vou me segurar.
(Não resisti a permanecer nesse terreno musical).
Bj,
Helê

BethS disse...

nossa saudade é a mesma, querida, não tem festa mais linda que essa lá na nossa terra..

mas que bom que ele vai voltar.
beijo, querida!

Fal, a mal disse...

<3 que coisa linda

Stefani S. disse...

<3 gonzaga, suas memórias.

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }