Meme dos Livros - Dia 02


Um livro que devia ser filme


Livro é livro, filme é filme, mãe é mãe, a gente sabe. Mas quem resiste? E quando a história quase salta das páginas e dança na nossa frente como sonho dirigido por Nolan? Por que não aplaudir um Leo DiCaprio na pele daquele personagem incrível que nos acompanhou por dias ou semanas no sofá, na espera do consultório médico, na fila do pão, por que não? Pois. 

Bem que eu acho que iria me encolher na sala do cinema, lencinho na mão, nariz ruidoso, enquanto Anna cuidava do pequeno Janeczek em Porto Alegre, aquela espera longa e dolorida pelo retorno de Jan. As cenas seriam lentas, talvez, um ambiente meio dark, um foco no recanto da sala, um pequeno contraste na réstia de sol; em seguida, tomadas externas do quintal quente, Anna esperando, com medo. Seriam as cenas para a gente recobrar o fôlego entre uma e outra batalha testemunhada por Jan, as fugas relembradas por ele. Um pouco Porto, um pouco a Polônia sitiada, rasgada, invadida. Tenho cá pra mim que Uma Ponte para Terebin ficaria lindo na telona. Não seria a primeira vez que Leticia Wierzchowski teria sua obra em outros planos, ela que nos deu A Casa das Sete Mulheres. Taí, eu queria ver Terebin no cinema, tem tudo pra ser lindo. Livro querido, que li com o coração.

(Hum, poderia ter Chopin na trilha, por que não? Ele também viu sua Polônia sangrar, também chorou e fugiu... só dando ideia, Nolan, vamos conversar.)


3 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

Não li o livro, mas amei seus posts e gostei muito da casa das 7 mulheres, apoio o filme ;-)

Rita disse...

Recomendo o livro com força, Lu.

Palavras Vagabundas disse...

Tem tudo para ser um filme, pois a Leticia também é roteirista. Torcendo.
bjs
Jussara

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }