Blooming Saturday






Terceiro dia de Sydney, terceiro dia de temperaturas altas e céu impecavelmente azul. Pegamos toda essa sorte e passamos o dia perambulando pelos Royal Botanic Gardens. Comentário do Ulisses: aí se a pessoa mora em Sydney, como faz para achar outro lugar bonito quando viaja? Realmente, o problema é sério. O Jardim Botânico é encravado no meio da cidade e liga "nosso bairro" à baía de Farm Cove, ali onde fica a Opera House. Entramos por outro jardim, conhecido como The Domain, que nos tempos coloniais era reservado ao uso privado do governador da colônica britânica. The Domain tem gramados a perder de vista e abriga concertos ao ar livre, além de pernas de pau jogando bola e minhas crianças brincando de esconde-esconde.


Temos planos de fazer um picnic nos próximos dias e a toda hora escolhemos um lugar diferente. Até ontem, seria no Hyde Park. Mas isso foi antes de passarmos pelo Domain, aí mudamos os planos e transferimos o picnic para lá. É que a gente não sabia que nos apaixonaríamos pelo Jardim Botânico minutos depois. Então, oficialmente, até descobrirmos outro lugar mais deslumbrante, vamos fazer um picnic no Jardim Botânico. Ou um em cada parque, quem sabe.

Um abuso para onde quer que se olhe, mas eu sempre acabo olhando para ela. 



Os Royal Botanic Gardens ocupam 30 hectares de área verde e colorida, bem cuidada, repleta de plantas da Austrália e do resto do mundo. Há várias ambientações, todas deliciosas. Ora estamos aos pés da baía diante de toda aquela vista sob a sombra de árvores imensas; ora estamos no meio de um bosque de palmeiras sem saber para onde olhar ou em meio a canteiros coloridos cercados pela passarada. Há um café e restaurante com mesinhas sombreadas ao ar livre, uma lojinha cheia de mimos tentadores, teatro ao ar livre para a criançada (altas produções!), moradores e turistas usufruindo desse privilégio bem no coração da cidade.

Nós nos entregamos ao lugar sem pressa. As crianças adoraram e exploraram cada pedacinho por onde passaram. O único motivo de preocupação (mais minha do que delas, claro) era a enorme quantidade de aranhas em suas teias espalhadas entre as plantas. Por todo o parque lá estão elas me levando a fazer a mesma pergunta over and over again: é venenosa? Conheço a fama de algumas espécies de aranhas dessas bandas e sinto arrepios.


No início da tarde saímos do parque em direção a uma piscina pública construída às marges de Sydney Harbour. Por uma pequena taxa, as crianças puderam aplacar o calorão, enquanto Ulisses e eu curtíamos uma sombrinha pensando em todo esse stress.


Toda piscina tem vista para um porta-aviões, certo?

Devidamente refrescadas, as crianças se juntaram a nós para o almoço no restaurante da piscina. Um lugar simples, com cara de restaurante universitário, mas que serviu nossa melhor refeição até aqui, tudo delicioso. Só preciso me lembrar de pedir para pegarem leve na pimenta ou vou me transformar em um dragão até o final das férias.

Depois voltamos para o Jardim Botânico e caminhamos pelo outro lado do parque até a Opera House. Aos poucos vou me aproximando dela. Ainda não entrei, apenas rondei suas escadarias e admirei a estrutura dos telhados que parecem desabrochar sobre a baía. O prédio mais espetacular que já vi na vida, mal posso esperar para conhecê-lo por dentro.
  

Ficamos por ali vendo a tarde ir embora, o cais cheio de gente caminhando, fotografando, tomando um café. Um imenso navio de cruzeiro soltou seu ronco avisando que estava deixando a baía rumo a sei lá onde. O navio era suntuoso e da terra ouvíamos a música que embalava os passageiros que se despediam de Sydney. Tadinhos. :-)





Sei que as férias passarão voando e logo teremos de nos despedir também. Por enquanto a gente vai se agarrando à cidade um tiquinho mais. 


2 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

Fotos maravilhosas, passeio maravilhoso, férias...

Angela disse...

Que ousadia minha so agora vir aqui, tomada por celebracoes de aniversario de Julia. Me encantei com os posts! E eu que agora mais do que nunca acredito universo quanticamente connectado e em sinais (heh, eu cada vez mais lele), recebi alguns e me lembrei de voces durante sua jornada para ai. Que bom que chegaram em paz e estao pra la de adorando. Beijos grandes em todos!!

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }