As mãos do fim de semana


Tenho precisado controlar um pouco a ansiedade diante das listas de coisas que eu gostaria de fazer durante os finais de semana - eu, você, todo mundo, né? Dois dias não são suficientes para ler tudo, escrever tudo, ligar para todo mundo, visitar ou convidar, levar as crianças ao parque, ao cinema, ficar de pernas pro ar, dormir tudo que quero, experimentar aquelas cinco receitas que paquero há meses, ver aquele filme e os episódios daqueles seriados que todo mundo já viu, menos eu. Sem falar em tentar me inteirar da dúzia de assuntos imperdíveis que bombam nas minhas TLs a toda hora, acompanhar de perto aquele perfil de links relevantes, pitacar, debater, jogar conversa fora, compartilhar o último vídeo de gatinhos fofos. Como sempre foi, vou levando na toada que dá, hoje um pouco disso, amanhã um pouco daquilo, largando o livro porque as crianças querem um parceiro pro joguinho.

Uma consequência desse abandono constante de planos incríveis é valorizar o que dá pra fazer; e no domingo à noite olhar para o último par de dias e ver que, mais do que pelo sol firme no céu ou pelas unhas que finalmente consegui pintar, o final de semana valeu muito por aquele vinho tomado com o marido enquanto ele fazia a melhor lasanha do mundo, pelo beijo na mão que ganhei do filho na fila do mercado e pela gelatina de laranja que fiz com a filha. E sentir, assim, sem qualquer pressa ou angústia, que, afinal de contas, o final de semana foi repleto de coisas que eu gostaria de fazer e que fiz, cercada do conforto bom que vem das mãos que posso segurar.

***


Minha geladeira estava cheia de laranjas descascadas por causa da overdose de biscoitos com cascas de laranja caramelizadas que assolou a minha vida nas últimas semanas. Procurei no blog da Patricia uma receita com laranjas e escolhi a gelatina de laranja e limão. Amanda mal conseguiu esperar o final de semana chegar para fazer. Como a receita é simples, deixei que ela comandasse o passo-a-passo, com exceção da hora em que é preciso levar a mistura ao fogo. Ela se empolgou, sentiu-se o último biscoito do pote e quando dei por mim ela já estava me dando ordens.

- Vira um pouco mais o pote.
[virei]
- Isso, assim tá bom.

Foi nosso jeitinho de espichar o final de semana. No almoço da segunda, a sobremesa terá sabor de pôr de sol de domingo.

***


2 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

Daqueles posts-abraços tão próprios do seu blog, tão sábios e aconchegantes.

Patricia Scarpin disse...

Eu fico tão, mas tão feliz quando sei que vc faz receita do blog, especialmente com os pequeninos, que vc nem imagina. <3

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }