Das bocas


Chegou a era do sorriso metálico dele. Que seja breve, sem muitas aftas, com desconforto mínimo e boas escovações; que doa pouco nos dentes e no bolso (olha o otimismo aí).

Chegou também a era da banguelice escancarada dela, quando de repente a menininha vira uma meninona, com toda uma nova gama de perguntas inesperadas, socorro.

Assim estão as bocas por aqui. Quem é de comer bem continua comendo bem, mesmo com o aparelho incomodando nesta fase de adaptação. Quem é ~seletiva~ justifica o prato abandonado por causa do dente mole, do dente que ainda não nasceu, do dente que já caiu, vão vendo. No mais, conversê, birras e gargalhadas continuam em animados decibéis.

1 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

estou rindo aqui imaginando o seu sorriso olhando pro sorriso deles... cuidado pra não engolir suas orelhas ;-)

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }