Em série


Da série Que bom que você veio:

Está na hora de meu filho de 8 anos dormir, mas ele está agitado demais. Faz graça, dá risadas, pula no meio do quarto, brinca com uma bola de borracha, conta piadas. Em parte porque quero afofá-lo, em parte para acalmá-lo, chamo para um abraço. Ele vem e aninha a cabeça em meu peito, e pelo espelho grande vejo a cara sapeca, suspirando: olhos fechados, sorriso desenhado nos lábios, entregue. Penso: que bom que você veio pro abraço, pro mundo, pra mim. Digo que está na hora de ir pra cama, ele vai. Pego o lençol para cobri-lo e ele, com calor, ensaia um gesto para dispensar o lençol, um golpe intergaláctico jedi mega blaster, com um olhar 43 poderoso. Compartilhamos uma risada e apago a luz. Vou pro meu quarto, flutuando. 

Da série Desejos que nunca imaginei que teria:

Dedos mais longos, capazes de executar os acordes de Tchaikovsky.

Da série Pessoas otimistas:

Minha professora de piano. "Você consegue!"

Da série Impulsos que deveria ter contido:

Comprei o livro Eu sou o Mensageiro, do mesmo autor do lindinho A Menina que Roubava Livros, o australiano Markus Zusak. ------- Zzzzzz... ronc.

Da série Mal posso esperar:

Comprei contos do Cortázar e do Tchekov; e um romance do Fante.

Da série Solidão:

Escrever.

Da série Déjà vu:

Amanda brincando no pátio da escola, conversando com sabe-se lá quem em seu mundo imaginário. Amanda olhando ao redor, mergulhada em devaneios, guardando segredos, vivendo historinhas que ninguém sabe. Trança se desfazendo, joelho sujo, o mundo, o mundo. Olho e sei como é. 

Da série Lendo juntas:

Deitadas em minha cama, Amanda e eu lemos. A toda hora ela interrompe minha leitura para contar uma tirinha, mostrar uma piadinha, comentar do cabelo do Cebolinha. Quatro gibis depois, ainda estou no mesmo parágrafo.

Da série Para sempre:

A mão dele na minha.
   
 

1 comentários:

Clara Lopez disse...

Você, com frequência, escreve poesia.
bjo,
clara

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }