As janelas


A professora disse que quando abre a janela da sala e o som dos passarinhos se torna audível, Amanda vai embora. E nos contou que já chegou a trocá-la de lugar, para que ela preste mais atenção à aula e menos ao mundo lá fora. Ulisses protestou, "deixa ela, professora...". Eu sorri, imaginando a cena. O burburinho ou burburão da sala tomando conta do pedaço, letras pelas paredes, números pelo quadro, livro aberto na tarefa da hora... e a janela; e o olhar comprido da Amanda voltado para lá. Não dá pra competir, né? O chamado da janela é irresistível. A professora informou que, em breve, o chão lá fora ficará coberto de pétalas que despencarão da árvore. Aí danou-se.

É claro que entendo os receios da professora, apesar de achar que a escola desperdiça muito a sede das crianças pelo tal "mundo lá fora". Ulisses acabou sugerindo um acordo: "Deixa pra trocar de lugar depois que ela não atender ao terceiro chamado...". ;-) Eu falei que pelamordedeus não fale como se ela estivesse fazendo algo errado, porque somos testemunhas diárias do quanto os devaneios da Amanda rendem comentários absolutamente adoráveis e do quanto sua imaginação e criatividade - como acontece com qualquer criança, acredito - se favorecem desse daydreaming.

Meu colégio era lindo. Durante vários anos, frequentei salas de aulas com enormes janelões que nos permitiam ver a horta e o matão que havia por trás dela. Eu resolvia fácil as aulas chatas: ia embora pela janela também. Amanda, afinal, é filha de peixe. A professora me via sentada na carteira, mas não podia fazer ideia de onde eu estava, saltando pelo mato da horta transformado em floresta mágica, criando minhas histórias. 

Em casa estamos acostumados a vê-la mergulhada em sua cabeça ou despencada dentro do gibi, outro tipo de janela. Não raro brincamos:

- Arthur, cadê Amanda?
- Caiu no gibi. - É ela lá, sentada, lendo, esquecida da vida.

O gibi, a janela, o passarinho. Os desafios da escola são imensos; no momento estou de olho na competição com os passarinhos. Minha dica foi levar a turma lá pra fora, mas confesso que existiria o grande risco de a Amanda ir embora de vez, mesmo, colhendo flores e conversando com sua amiga imaginária.


2 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

Sou fã. E fui tantas vezes pelo janelão. Algumas vezes, por paisagens internas.

Clara Lopez disse...

Amanda é das nossas :))
bjos

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }