Além da compostagem



Na semana passada, a Marcinha, do blog A Vida Escrita a Mão, escreveu sobre suas impressões ao ler Contos do Poente.  (Se eu disser a vocês que o blog da Marcinha é meu cantinho favorito na internet, vocês podem imaginar minha cara de satisfação. :-)


Um dia eu quis saber alguma coisa sobre compostagem. Nem me lembro direito quais eram os planos, talvez alguma experiência no quintal. O Google me jogou num post bem escrito em uma página com layout limpo e agradável. Não me lembro o que exatamente o texto tinha de especial, mas alguma coisa me fez desconsiderar as outras páginas que o Google me oferecia e ficar por ali, indo e vindo em outros textos da mesma autora. Eu não costumava ler blogs naquela época, não frequentava redes sociais, nada do tipo. Usava a internet de forma bem mais limitada do que faço hoje em dia, de grande portal em grande portal, jornais tradicionais, aquela coisa. Até abrir aquela página sobre compostagem. 

Logo descobri que o texto havia sido escrito por uma brasileira que há anos vivia na Inglaterra e que tinha iniciado seu blog vários anos antes, quando eu sequer sonhava que a internet viria a ocupar esse espaço todo em nossas vidas. Comecei a fuçar outros posts, uma coisa foi me levando a outra, e em poucos dias eu estava absolutamente encantada com aquele cantinho. Decidi ler tudo, do comecinho. Voltei no tempo cerca de oito anos e li tudo, como quem lê um livro, sem pular nenhuma página, sem deixar escapar nenhum detalhe. A escrita da garota da compostagem me fisgou de tal maneira que por várias vezes vi a madrugada chegar lendo seus relatos.

Costumo dizer a ela que seu blog me levou a criar o meu, e é verdade. Foi o dela que me mostrou a possibilidade de jogar conversa fora de uma forma deliciosa (há muito mais no blog da Marcinha do que conversa jogada fora, registre-se). Foi por causa d'A Vida Escrita a Mão que pensei que, ei, posso montar um cantinho para guardar historinhas das crianças, falar mal do tempo, brincar de escrever além dos textos guardados em pastas e arquivos do explorer. Eu quero, eu quis. E aí veio o mundo todo da rede: outros espaços criados por pessoas incríveis, os twitters e faces da vida; mudei radicalmente minha maneira de navegar pela internet, descobri várias portas para debates enriquecedores e gargalhadas dobradas, passei a escrever mais, dentro e fora da internet. Mais recentemente, o blog me trouxe a Joana e a Luciana e, com elas, meu primeiro livro. 

Obrigada, Marcinha, por seu olhar generoso. E por aquele post sobre compostagem - just for the record, nunca tentei nada parecido com compostagem no quintal, mas sempre há tempo. ;-)


1 comentários:

Marcia disse...

Dear Rita, fico emocionada e feliz de saber que fiz tamanho serviço de utilidade pública ao inspirar a criação do seu blog, que por sua vez gerou a publicação do seu livro. Seu sucesso é mérito do seu imenso carisma e talento, que são únicos e só seus.

E oh, nunca pensei que um post sobre compostagem fosse trazer qualquer leitor no meu blog! Sou completamente iniciante na jardinagem e afins... Que bom que você me encontrou e ficou. :)

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }