Remanso


Limpei a casa e varri a calçada. Escolhi as músicas, ensaiei a valsa, preparei a comida e comprei a bebida, afastei os móveis, escolhi as velas. Armazenei gelo, selecionei toalhas com desenhos delicados e guardanapos macios. Pus um vestido confortável, guardei os sapatos, caminhei em silêncio pelo chão limpo e frio. Abri as janelas grandes para a brisa entrar, espalhei almofadas e bandejas coloridas com pequenos mimos. Na parede, os quadros mais bonitos. Olhei tudo. Pus meu olhar em cada canto e o deixei ali, à espera dos convidados. Tomara que todos venham e falem e dancem e brindem e participem. O fim de tarde se aproxima e esperar é bom. Dizem mesmo que é o melhor da festa, e aqui já não posso concordar. Mas esperar é bom, sim. Quase tranquila, da janela fito as cores do horizonte.

Daqui a pouco a campainha vai tocar. 

0 comentários:

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }