Forno


Às vezes não é preciso ser chuva grossa, daquelas que traziam pequenas enxurradas de água brilhosa na rua lá da infância: uma chuva fina já desenha um sorriso em minha boca. Há também os dias em que nem precisamos do brinde: um café compartilhado, meus pés brincando com os seus sob a mesa, já nos basta. E não é mesmo verdade que nem sempre queremos a dança? Não nos sacia, tantas vezes, o tamborilar dos dedos na coxa, enquanto Morrissey espalha sua melancolia no ar e a gente observa a paisagem que passa?

Pois é assim, às vezes. Não é que eu ache que será um grande evento, capaz de gerar ondas de entusiasmo. Ou que eu veja tudo com lentes de aumento. Nada disso. Apenas acho que as miudezas trazem em si o mesmo pó de que são feitas as grandezas. É tudo estrela, não dizem? Então. Também vai ser bom, como se. Como a chuva fina tocando as folhas na calçada, como o aroma do café fresco, como a voz do Morrissey, there's a light and it never goes out. Vai ser tão bom. 

Mal posso esperar. 

1 comentários:

Amanda Borba disse...

"Apenas acho que as miudezas trazem em si o mesmo pó de que são feitas as grandezas. "

bem isso mesmo!

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }