Menu


Desci pensando que comeria umas torradas com requeijão e tomaria um suquinho. Seria de bom tamanho, porque a conversa estaria ali, anyway. No entanto, vi a panela no fogo e os champignos sobre o balcão, e logo adivinhei um prato quentinho de massa. Você pegou as taças. Brindamos ao lado do fogão, cercados pelas risadas que vinham da sala. Recolhi as canecas que não receberiam mais o café do fim do dia, troquei pratinhos por pratos maiores, sentei à espera do complemento, observando seus movimentos, o queijo, o fettuccine. Quando o cheiro convocou todos à mesa, brindamos e conversamos com bochechas cheias de alegria. Tinha sabor de querer. E um leve toque de gratidão. 

Você achou que deveria ter feito um pouco mais. Mas olhei ao redor, naquela cozinha, e senti que não precisava de mais nada.   

3 comentários:

Iara disse...

<3

Anônimo disse...

Lindo!!!
Ju

Luciana Leal disse...

Oi, li alguns posts do seu blog e achei muito interessante,com certeza você tem potencial, vi que você é uma pessoa esforçada que só quer falar e ser ouvida na blogosfera, assim como eu. Posso dizer que gostei muito do que li, sei que será um grande blog pois é de fácil entendimento e o conteúdo é gostoso de ler. Sou Luciana Shirley do blog http://coisasecoisasdalu.blogspot.com.br/ se desejar me visite e siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }