Panquecas


Uma das coisas de que mais gosto em matar as saudades é segurar na sua mão. Sentir sua mão quente e grande envolvendo a minha enquanto a gente caminha pelo estacionamento, seu braço roçando no meu, a gente falando dos últimos acontecimentos. A essas alturas, você deve saber que me interesso por qualquer coisa que você queira me contar, mas me perdoe, eu estava mesmo concentrada no seu braço roçando no meu. Bom, há várias coisas que faço sozinha, então me concentrei nelas nesses dias. Mesmo assim, detesto quando você viaja. E foram só dois dias, é tão ridículo. Vai ali e volta. Pá, pum. Pois eu fico com saudades como se. Mas o bom é que, na volta, eu presto mais atenção na sua mão segurando na minha. E é bom, como quando a gente aumenta o volume para curtir melhor a música. Matar as saudades é aumentar o volume e ouvir melhor aquilo que já sabemos como é. Porque sim, porque a melodia é boa.

Quem bom que você chegou. As crianças não deixaram nenhuma panqueca, mas a gente faz mais. 

5 comentários:

antonio j cerqueira disse...

o paralelo entre aumentar o som e matar saudades, comigo virava neurose, com pessoas falando nos momentos q demandam mais atenção

Clara Lopez disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
K disse...

Conto de fadas! <3

Clara Lopez disse...

Seus posts de amor rejuvenescem a alma mais empedernida, são um breve contra descrença. Bjo

Vivian Martins disse...

bonito demais, o amor de vocês. bonito demais o modo como você escreve.
abraço.

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }