No sítio do Biriba


Os pais de um coleguinha da Amanda convidaram a turma para uma visita ao sítio dos avós. Todo mundo se assanhou diante da ideia de passar um dia no meio do mato e soltar a criançada pra correr e gritar sem (muitos) limites. Algumas almas boas se encarregaram de comprar e preparar a comida, e cada família levou uma sobremesa mais gostosa que a outra. As crianças levaram a energia inesgotável delas, e o clima contribuiu com um sábado de sol sob medida. Ou seja, a vida hoje tava boa. 

Seguimos o mapa cedido pelos anfitriões e deixamos Floripa rumo ao interior do interior do interior do interior do Estado. Depois de seguiiiiiir pelo trecho asfaltado do caminho, pegamos 15 quilômetros de uma estrada de chão cercada de mata e morros, numa combinação capaz de inspirar qualquer Monet.
  
Foto torta feita com o celular. 


Depois foi só chegar e soltar as crianças. Havia muito para ver, muita corda para pular, bola para chutar e muita conversa pra jogarmos fora. Ao nosso redor, um sábado.





Enquanto todos exploravam um pouco o ambiente, alguém convocou "vamos ver os bichos?"; o que se seguiu foi:


Na porteira do porquinho ou dos cabritinhos, pose para a posteridade.





Observem que, na foto acima, o Arthur (de camisa vermelha listrada) jã não presta muita atenção às câmeras. É que ele estava observando o morro que se ergue ao lado do cercado. Diante da ideia de escalar até o topo, fui categórica: "nananinaninanão, pode descer." Pois bem, ele atendeu prontamente, enquanto o amigo subia pela tangente. Ou seja... fui voto vencido (eu mesma votei contra, momentos depois porque, né, vamos combinar!) e seguiu-se o bonde dos exploradores. Vários deles subiram e desceram o morro umas cinquenta vezes, como se estivessem no Beach Park e o morro fosse um imenso tobogã. Não teve pra ninguém: bola, bambolê ou cachorro; a estrela do dia foi o morro ralador de joelhos e rasgador de fundilhos.

O pontinho vermelho lá no topo do morro é o Arthur. Um ponto verde-claro a seu lado é o amigo da tangente. O restante da tropa seguiu o bonde.

Amanda, ligeiramente satisfeita com a vida; ao fundo, fora de foco, lááá em cima, Arthur e um amigo, na 59ª subida.

Vem, mãe!

125ª subida do menino-aranha.


Talvez o pônei tenha ameaçado a soberania do morro por alguns momentos, justiça seja feita. De repente, havia fila por todos os lados.


Para andar de pônei.


Para... ovelhar, acho.

E, claro, para chegar ao topo.


Todas as filas valiam a pena (não consultei nenhuma ovelha, é verdade); e não sei do que gosto mais, se da carinha de alegria da Amanda ou da carinha de satisfeita da amiga que guiava o pônei.


Para coroar o dia, fiquei encantada com Biriba, o border collie mais doce do mundo. Enquanto algumas crianças subiam, outras desciam, uns pulavam e outros caíam, vi uns cavalos correndo soltos ao redor do sítio. Corriam pra lá e pra cá, dando voltas e, aos poucos, tomando o rumo de suas baias. Curiosa, olhei em volta, procurando o responsável por aquela correria, quem estaria guiando os cavalos. E era Biriba, pontual em sua tarefa, todo responsável e trabalhador. A mãe do colega da Amanda me contou que, primeiro, Biriba recolhe os cavalos e, depois, cuida das ovelhas, todos os dias. Todo organizado, o lindo. Doce, carinhoso, fã de cafuné, Biriba derreteu meu coração.


E assim, de coração quentinho, barriga cheia e com crianças imundas, pegamos novamente as curvas de terra e voltamos pra casa, imensamente gratos pelos dia de férias que nossas crianças tiveram.




5 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

Amanda, ligeiramente satisfeita <3

caso.me.esqueçam disse...

*rindo com o comentario acima hahaha

"ovelhar" hahahaha

ai, me deu uma saudade da minha infancia! chuuuifff
(e tava com saudade daqui tbm. com dez segundos de blog, ja me vem de novo no coracao essa rita doce). fofinha! :)

Silvia disse...

Obrigada por partilhar esse dia cheio de alegria :) beijinhos

Fabiana disse...

Amanda: melhores poses pra foto.

Angela disse...

Uau festival de gostosuras.

Cada centimetro da Amanda lembra voce. O rosto, o corpo, o cabelo, a postura e a expressao facial. Tudo identico. Rita, como pode?

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }