Um reino distante ali na esquina


Eu precisava fazer um prato da culinária árabe para uma festa. Como de costume, optei por uma sobremesa, porque gosto de deixar o mundo mais doce (mentira, porque não sei fazer outra coisa). No link de "receitas árabes" que me passaram, havia um bolo de maçã com especiarias. Hum. Bolo de maçã com canela é algo que deixa a casa perfumada e minha barriga feliz, então pensei que seria uma boa ideia. Acontece que desconfiei da receita e fiquei com medo de não acertar a mão. Então optei por outra receita de bolo de maçã do blog da Pat e adicionei, por minha conta e risco, as nozes e a noz moscada. Também comprei cravo, mas esqueci de botar. That's me.

Vou dividir a receita com vocês, porque o bolo ficou delicioso, e em seguida vou contar da aventura que foi prepará-lo.

A receita da Pat está aqui; a que segue tem pequenas alterações e é minha "adaptação-para-dizer-aos-amigos-que-é-uma-receita-árabe". Salaam a' Laykum.

Ingredientes

Para a massa do bolo:

115g de manteiga sem sal
150g de açúcar (usei cristal)
2 ovos, ligeiramente batidos
1 colher (chá) de extrato de baunilha
210g de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
185g de iogurte natural
40g de nozes trituradas
1 colher (chá) de noz moscada

Para a cobertura:

2 maçãs tipo gala, descascadas, sem cabinhos ou miolo, finamente fatiadas
35g de manteiga sem sal
50g de açúcar refinado
1 colher (chá) de canela em pó

Modo de preparar:

Na batedeira bata bem o açúcar e a manteiga. Adicione os ovos, bata bem, e acrescente a baunilha. Misture a farinha e depois o iogurte. Desligue a batedeira e acrescente as nozes, a noz moscada e o fermento, mexendo delicadamente. Transfira a massa para uma forma de aro removível previamente untada (eu forrei a forma com papel manteiga e untei o papel também). A receita da Pat manda arrumar as fatias de maçã por cima da massa, mas eu enfiei as fatias na massa; na próxima vez, vou experimentar como manda a receita da Pat, porque acho que o bolo ficará ainda mais bonito. Salpique com o açúcar e a canela (usei uma peneirinha para espalhar bem) e derrame a manteiga derretida por cima de tudo. Fica tão lindo e cheiroso que já dá vontade de comer o bolo cru.

Assei por 45 minutos, a 180ºC. Fique de olho; a receita da Pat fala em uma hora de forno, mas o meu assou bem antes disso. A casa inteira ficou perfumada. :-)

Mas não foi assim, na tranquilidade. Quando o bolo estava lindão, entrando no forno, foi que me dei conta que não tinha colocado o fermento. Olha. A Amanda, que estava por ali brincando de me ajudar, perguntou: "você não vai chorar, né, mãe?". Imaginem minha cara. Não tive escolha: retirei todas as fatias de maçã lindamente cobertas de canela e devidamente melecadas de manteiga, adicionei uma colher de fermento - ali mesmo, na forma - e mexi do jeito que deu. Recoloquei as maçãs, dei de ombros e enfiei o bolo no forno. Contei aos amigos que nas Arábias é assim que se faz. Para quem gosta de bolos úmidos, ficou na medida, certamente por eu ter "enterrado" as fatias de maçã, ao invés de arrumá-las sobre a massa. Pois bem, esse é o meu "bolo metido a árabe".



Rá. 


A comilança foi na casa de amigos festeiros que adoram uma festa temática. Já tivemos edições japonesas, mexicanas, nordestinas (lembra, Luciana Borboleta?), luau, sempre com alguns estereótipos divertidos, quem nunca? :-) É tudo sempre um pretexto para se reunir e dar risadas e, de quebra, eu experimento umas comidinhas bem gostosas. Estavam lá homus, kibes, kaftas, esfihas, couscous marroquino e várias outras coisas que comi antes de aprender a dizer o nome. Tudo lindo e muito saboroso e eu já estava com saudades das aulas de árabe. E, claro, fiquei muito feliz em ver que o bolo de maçã com especiarias fez sucesso também.





O pessoal caprichou na decoração e achei muito fofo nossos nomes em grafia árabe nos esperando na chegada. Nem a chuvarada que despencou no início da noite, obrigando a (talentosa) anfitriã a remover a tenda armada na parte externa da casa, desanimou o pessoal que cruzou o deserto para vir à festa.


 








A festa deve ter avançado noite adentro, mas nós voltamos para casa mais cedo, já que tínhamos levado as crianças. Quando saímos, o forró, essa tradição árabe milenar, estava só começando. ;-) Ma salaama!

4 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

Eu lembro (nhami, nhami)

Anônimo disse...

Uau, pelo visto foi muito boa a festa, o bolo, etc. Voces estavam lindos! Senti falta de foto da Amandinha...
Beijos,
Ju

Patricia Scarpin disse...

Fui correndo láno post pra ver se eu tinha esquecido de listar o fermento. Ufa.
Que bom que deu certono final, Rita - isso de esquecer ingrediente dá mesmo uma raiva, eu choraria, pode dizer pra Amanda. :D
O bolo ficou lindo e que delícia de festa, hein?
xx

Angela disse...

Eu esqueci do fermento, mas nao notei que esqueci. Nao houve problema, levei para a festa um bolo baixinho e despedacando e o chamei de Hurricane Cake. Dias depois, do nada, me veio a mente que o problema do bolo eh que havia esquecido o fermento.

O seu ficou lindo, e adoro bolo umido tambem. A festa ao que parece foi um show, que amiga caprichada essa sua ai viu? Lindas fotos, Arthur ta uma coisa muito engracadinha e voce deslumbrante. Um beijo!

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }