Pede cachimbo


O calor como despertador que nos faz esticar o braço em busca do controle do ar condicionado; passarinhos voando alto no céu sem nuvens, gritando que a manhã já ia longe; os cachorros sujando o jardim, a mangueira, o besouro tonto, o bebê do vizinho na calçada, o café tarde sem bolo, mas com suco de laranjas doces espremidas na hora; os dedos perdidos no piano e a melodia tão linda merecia uma execução melhor, mas é o que temos pra hoje; os filhos espalhando todos os brinquedos da casa em todos os cômodos da casa; o balanço, o almoço, a massa que não combina com carne de siri; a passagem comprada pelo computador, a música da banda na cabeça; o livro cada vez mais pesado, os olhos cada vez mais pesados, o cochilo, o calor; o bolo que cresceu demais, o jogo de tabuleiro, o vinho esquecido, o café em seu lugar; a purpurina espalhada no tapete, o cachorro comendo o tapete novo, a dor nas costas; o filme lindo que vi há muito tempo de novo na TV, mas é tão triste; o blog sem post, os e-mails que vou ler depois, o celular esquecido; o calendário; o beijo de boa noite, os gibis lidos na cama; ele e ela, tão grandes já; um convite, um livro que voltou, um bebê que vai nascer; um domingo sem telefonemas para minha mãe, mais um; uns planos; um dia tão simples, tão comum, tão azul e verde. Juntos, nós. E apesar dos vazios entre as estrofes ou do título que poderia ser melhor, eu acho que tudo se encaixa, como em um poema que a gente gosta de reler.

7 comentários:

Cristina Lopes Cassiano disse...

Passagem pra onde? (ass: a insensível objetiva)

Rita disse...

Hahahaha!

Para SP. Show do Cure. \o/

Fabiana disse...

Rita, você deve conhecer, mas não custa checar. Lembrei dos seus posts sobre a publicidade voltada para crianças ao assistir a este documentário. Dá até pra baixar.

http://www.muitoalemdopeso.com.br/index.html

Beijo!

Juliana disse...

não seria pé de cachimbo? =p

o grande dilema da humanidade.

Rita disse...

Fabiana, já vi, sim. Na verdade, ainda não vi todo o documentário, parei um pouco depois da metade porque precisava sair e acabei não retomando. Mas meu marido viu todo e é mesmo preocupante, né. Nem só pela obesidade - até porque nem toda pessoa gorda tem problemas de saúde - mas pela quantidade absurda de açúcar, gordura e químicos suspeitos que consumimos. Obrigada pela dica, mesmo assim.

Juliana, prestenção, hahahaha. Cachimbo não dá em pé e o domingo pede cachimbo, descanso, sombra e água fresca. Se pode ser pé de cachimbo? Pode, pode tudo, tá liberado. Mas eu acho que é pede de pedir mesmo. Ah, whatever, né?

Beijos!

Clara Lopez disse...

Eu havia escrito pelo tablet, esse impostor de frases, um comentário simples sobre seu post. Era assim: você já é uma grande e belíssima escritora, seus textos são muito bons, fazem um bem enorme lê-los.
beijo,
vera

Clara Lopez disse...

Muito triste ver esse descuido imenso cometido por essa escriba em seu blog, e em resposta a um post tão lindo. Sorry for that.

Errata: "seus textos são muito bons, fazem um bem enorme a quem os lê". Ponto.
beijo, vera

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }