Um oceano depois...


- Onde é que estão os leões? - foi a primeira pergunta que a Amanda fez assim que o avião posou no ótimo aeroporto de Johannesburg. Perguntou e observou a pista, mas não encontrou nenhum leão.

Nossa viagem foi tranquila, nossas malas também chegaram (uma delas com a alça quebrada, mas tuuudo bem) e o moço da empresa de traslado que contratamos para nos levar ao hotel nos esperava no saguão, todo pontual. O aeroporto de Johannesburg nos causou ótima impressão - imagino se ele já era assim antes da Copa de 2010 ou se a África do Sul também passou por uma faxina em seus aeroportos para o evento. Rapidamente sacamos algum dinheiro e encaramos duas horas de chão até o complexo de hotéis que fica bem próximo à entrada do parque onde faremos os safáris. Metade do trecho que percorremos tem estradas impecáveis, com quatro faixas e asfalto de tapete; a outra metade perde um pouco no capricho das sinalizações e na qualidade do asfalto, mas nada que as transforme em estradas ruins. No geral, estradas muito boas por todo o trecho. 

A paisagem que vimos é plana, infinita. Vimos plantações de cana e vales sem fim, condomínios bonitos nas proximidades de Pretória e casebres muito pobres ao longo de outro trecho da estrada. Não entendemos muito bem se o que vimos são favelas ou moradas temporárias de trabalhadores de algumas empresas próximas às pequenas vilas. O que nos pareceu uma completa falta de estrutura me deixou torcendo para que aquelas casas de folhas de zinco não sejam moradias fixas de ninguém. Meu guia de viagem diz que a África do Sul é um país de contrastes em tudo: nas paisagens e na estrutura social. Já vimos amostras das duas coisas. Trechos de floresta antecipando planícies de vegetação rasteira e a ótima estrutura planejada para os turistas poucos quilômetros depois das tais vilas com casebres de zinco.

À medida que nos aproximamos de nosso destino, pudemos divisar no horizonte o conjunto de montanhas que cercam o parque onde fica a reserva que visitaremos. A área já abrigou um vulcão em tempos imemoriais e hoje quem faz barulho por aqui são os turistas. O hotel deixou as crianças excitadíssimas, correndo feito loucas. Assim que nos instalamos nos quartos, tratamos de jantar (perdemos uma manhã inteira nessa história, estamos quatro horas à frente do horário brasileiro) e procurar uma loja que nos venda um binóculo - é, pessoas, esquecemos de comprar um. Infelizmente não encontramos nenhuma loja, mas ainda há esperanças. O complexo é bem grande e mal saímos do prédio onde ficam nossos quartos. Estávamos cansados e adiamos a procura para amanhã. De manhã cedo faremos nossa primeira tentativa de avistar bichos e bichões, ainda sem binóculos. Haverá outras duas tentativas, veremos no que isso vai dar (ou não veremos, hehe).

Por ora, a palavra é simpatia. Todas as pessoas que nos atenderam até aqui foram gentis e pacientes com nossas mil perguntas. Agora há pouco, já na cama, Amanda disse "me sinto em casa". Não é exatamente o que buscamos quando cruzamos meio mundo, mas não deixa de ser um bom sinal, já que a frase foi dita com um sorrisão. O Arthur também anda animadíssimo e impaciente para fazer tudo já, agora, nesse instante. É um espanto que já tenha conseguido adormecer, mesmo com o fuso horário atrapalhando o sono. 

Então é isso, chegamos. Amanhã começa a brincadeira. Fizemos um aposta para adivinhar qual o primeiro grande animal que conseguiremos ver no safári. Todos apostam nos imensos elefantes, só eu aposto no búfalo. Ulisses tentou burlar o jogo hoje dizendo que já viu o primeiro animal, mas vacas não valem. E como vacas não valem, a máquina fotográfica ainda nem saiu da bolsa. Mas tenham fé.

(A todos que nos desejaram boa viagem, obrigada demais. Tá sendo bem bom, sim.)
  

5 comentários:

Lud disse...

Tô viajando junto com vocês. Animadíssima também =D.

Angela disse...

Adoro a sensacao de estar bem longe de casa, mas quero me sentir em casa quando estiver na Africa tambem! :)

Silvia disse...

Desejo que corra tudo muito bem Rita!!
Divirtam-se e cá fico a espera de poder viajar também um bocadinho :)
Beijinhos

Anônimo disse...

Adorei o primeiro relato da viagem :)
Pode escrever mais, detalhando tudo, pq mesmo não comentando sempre, entro aqui todos os dias e fico super feliz quando tem post novo!
Aproveitem a viagem!
Abraço
Ana Carolina

Anônimo disse...

Adorando saber as noticias, mesmo atrasadas... vou correr para ler todas.
Aproveitem!!!!!
Beijos,
Ju

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }