Moon river


Imagine um poço raso, com água fresquinha. Quem bebe de sua água percebe que a aparente falta de profundidade esconde outros veios que o conectam a uma rede sem fim de água boa. É preciso beber da água, ou, ao menos, tocar sua superfície, para perceber.

Horas treinando, no teclado, os exercícios de minha aula de piano. Poupo os ouvidos dos vizinhos e dos familiares tocando com fones de ouvido e vivo momentos secretos daquela alegria quase, quase clandestina. Aquela que vem dos recantos que carrego aqui. Quem não traz dentro de si esses poços? Parecem rasos, mas é só ousar tocar a água se dar conta da infinitude. Tenho alegrias que ninguém suspeita e a música parece conhecer o caminho. 

Eu tocaria para minha mãe e acho que ela gostaria de ouvir essas melodias simples de aluna iniciante. E brinco disso. De fones, somos só nós duas. Finjo que a água é tão profunda que segue por veios que perfuram o tempo e a vejo sorrindo, coruja, sem perceber meus erros grosseiros, meus dedos confusos, as notas trocadas.

Chama-se ausência. E hoje veio travestida de serenidade, que a dor também passeia por águas calmas. 

Old dream maker
you heart breaker
wherever you're going
I'm going your way.  

6 comentários:

Cecilia disse...

Que lindo, Rita! E essa música é uma das minhas favoritas. Engraçado, quando eu era bem pequena, minha mãe me colocou na aula de piano e logo me tirou. Depois me colocou para aprender violão, que eu detestava e levei 2 anos pra criar coragem para pedir para parar. Já adulta tentei voltar a aprender piano mas acabei desanimando. É o tipo de coisa que dá muita pena deixar para trás. Que bom que você está seguindo em frente!

Juliana disse...

eu nunca reconheço música. Já fui pensando: " mais uma de que nunca ouvi falar". Aí fui pro youtube e tô aqui embargada com o Sinatra. Olha!

é claro que conhecia, mas foi bom lembrar dela.

Rita disse...

Ju e Cecilia,

no meu carro tá rolando uma versão do Morrissey para Moon River. Coincidentemente, minha professora me passou a partitura como o primeiro "desafio" um tiquinho mais complexo que as melodias do livro que usamos na aula. Tenho me divertido e imaginando o que minha mãe diria se me visse lutando com o teclado por horas. :-)

Beijos
Rita

Anônimo disse...

Lindo Rita! Com certeza sua mae esta em sintonia com vc e esta adorando ouvir a filha tocar. Ainda agora a noite ouvi do palestrante no centro espirita: "a musica eleva o espirito, vc entra em sintonia com o plano superior..."
Beijos,
Ju

Fabiana disse...

"E hoje veio travestida de serenidade, que a dor também passeia por águas calmas."

Que linda você, viu.

Angela disse...

Ausencia travestida de serenidade foi o que mais desejei a voce nesses ultimos quase dois anos. Que esses momentos continuem a acontecer cada vez mais frequentemente e se estendam por mais tempo. Um grande beijo.

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }