15 segundos


Pelo telefone a professora tinha me explicado que a experiência valeria para quebrar o gelo da relação com o palco, mostrá-lo como é estar lá em cima sozinho, cara a cara com o instrumento e a partitura. Concordei, mesmo achando que tudo seria rápido demais, afinal a melodia era tão curta, com suas onze notas miúdas. E perguntei ao principal interessado no assunto se ele gostaria de ir à apresentação anual dos alunos de piano. Ele disse que sim. A apresentação durou o tempo de tirar a foto. Os aplausos duraram o triplo e a sensação de vitória vai durar alguns dias. Terminada sua primeira e meteórica exibição pública ao piano, juntou-se a nós na plateia para babar diante das amigas, que, com seus dedinhos ágeis, tocaram lindamente melodias mais complexas. Amanda eufórica aplaudiu muito a gurizada talentosa e se derreteu diante do coleguinha de sala, de cinco anos, que também se aventurou no palco por outros tantos segundos. Depois reclamou da demora e da fome, lógico. Dós e mis não matam a fome de ninguém e por isso tudo acabou em pizza.

Foi exatamente o que vocês estão pensando: uma daquelas noites em que só pais e familiares babões se divertem. E não duvidem: a gente se diverte.  

Parabéns, seu corajoso!


9 comentários:

Tina Lopes disse...

Convenhamos que este tem sido um ano maravilhoso para o senhorzinho Arthur, hein? Parabéns!

Tina Lopes disse...

Convenhamos que este tem sido um ano maravilhoso para o senhorzinho Arthur, hein? Parabéns!

Cecilia disse...

Owwnnn... Parabéns pro Arthur! Realmente não é mole enfrentar uma plateia, mesmo uma de pais e mãe babões.

Fabiana disse...

Que lindo ele, Rita. E que comprido! : )

Angela disse...

Se ficou nervoso ou nao voce nao falou, porem se nao errou, passou no teste do palco!!!! Como Max diria se estivese na plateia: BRAVO!!! :)

Alice disse...

Imagino daqui os meus 15 segundos! haha Tenho apresentação dia 23 e espero que meus dedos sigam meu coração. Piano é lindo, assim como o Arthur!

Beijo, Rita!

Rogério disse...

Costumo dizer que o palco é algo bem próximo do inferno. Enfrentar uma platéia exige muita coragem, mesmo se constituida pelos pais, amigos e familiares. Platéia é platéia. Você sabe que eu sou músico, né? Pois é. Meu Lucas também teve seus 15 segundos numa apresentação, também ao piano. Para minha tristeza, um dia resolveu que não queria mais. Respeitei (chorando por dentro). Na apresentação dele talvez eu fosse o mais babão, até mais que a mãe dele, e não duvido: a gente se diverte mesmo, e muito, e fica com as mãos suando frio, e se derrete de orgulho. Ter filhos é uma dádiva.

Rita disse...

<3

Anônimo disse...

Parabéns Arthur!!! Olhando a foto percebe-se que seus pezinhos nem tocariam o chão. Pequeno e tão cheio de coragem e talento. Parabens!! Lindo!
Beijos,
Ju

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }