Das pequenices


O dicionário me contou que "pequenice" é sinônimo de ninharia ou insignificância. Mas eu, teimosa, chamo de pequenices as miudezas prazerosas do dia a dia. Depois de uma semana bem corrida no trabalho, entreguei-me aos pequenos prazeres com sede de náufraga que avista a praia. Tudo hoje me é pequeno e bom.

Boa pequena descoberta das que muito me agradam: receita que funciona. Fiz muffins de chocolate e, hummm, deu muito certo. Faltaram as forminhas de papel, então eles não estão fotografáveis, perdão. O destino grandioso do muffin de chocolate é ser despido do papel à medida que o devoramos. Mas pequei assando-os em forminhas de alumínio e eles saem de lá quebradiços - nada que atrapalhe a comilança degustação, apenas enfeia a fotografia. Logo eles voltarão à cena, devidamente vestidos e fotografáveis, confiem.

***

Eu não poderia fazer fotos ruins hoje, não hoje. Hoje acordei com os quadros indefectíveis da linda fotografia do filme argentino Medianeras dançando em minha cabeça. Eu nunca tinha ouvido falar do filme (ou, se tinha, já havia me esquecido dele), não conhecia os atores (ou, se conhecia, já havia me esquecido deles), tampouco sabia qualquer coisa sobre o diretor Gustavo Taretto (continuo praticamente na mesma, mas já o admiro). Passei o olho na locadora e trouxe para casa. Amei cada minutinho, cada enquadramento, cada linha de cada fala. Mariana e Martin, vizinhos que nunca se viam. Buenos Aires, que ainda preciso sentir, pegar e ver. E tanta delicadeza no olhar de quem criou essa lindeza. Se você ainda não viu, recomendo. É arriscado recomendar, eu sei. Mas é um risco pequenino. 

***

E no mundo das pequenices, meu filho está às voltas com a montagem de uma maquete de sua sala de aula. A irmã cresceu os olhos para a tarefa suculenta, cheia de pincéis, tintas, tesoura, cartão, miudezinhas. Onde tem estilete e tesourona, pai e mãe metem o bedelho e lá fomos nós de carona na diversão do pequeno. No final do dia eles discutiam para ver de quem era aquela carteirinha, "eu sento aqui e você ali", essas coisinhas. "A melhor tarefa de todas", diz o empolgado.

***

Não tem foto, mas tem receita retirada do livro Cupcakes, bolos & doces, da Ed. Larousse. Foi presente de aniversário daqueles que a gente agradece várias vezes ao longo da vida, toda vez que usa. Os muffins são leves, fofíssimos e formam uma maravilhosa capinha crocante na parte de cima... heaven. Assam em 15 minutos. A receita facílima diz que rende 12 muffins, provavelmente se referindo às forminhas de papel; as minhas de alumínio são menores e consegui 26 gostosurinhas. Ao que interessa:

225g de farinha de trigo
60g de chocolate em pó
1 colher de sopa de fermento em pó
1 pitada de sal
115g de açúcar demerara (usei cristal)
150g de gotas de chocolate (usei granulado, não achei as gotas no supermercado, damn it)
250ml de iogurte natural integral
6 colheres de sopa de óleo de girassol
1/2 colher de chá de essência de baunilha
2 ovos

Pré-aqueça o forno a 200 graus Celsius e "forre com forminhas de papel uma forma para 12 muffins" (vide primeira parte deste post). Misture em uma tigela grande os ingredientes secos: farinha, chocolate em pó, fermento, sal, açúcar e as gotas de chocolate (ou chocolate granulado, deu certo também). Na batedeira bata o iogurte, o óleo, a baunilha e os ovos. Em seguida faça uma cova no centro dos ingredientes secos e acrescente a mistura úmida. Misture com uma espátula ou colher de pau até obter uma massa granulosa. Com uma colher de sopa coloque a massa nas forminhas até 3/4 da capacidade de cada forminha. Asse por 15 minutos. Transfira-os para uma gradinha até que esfriem. Passe o café e chame a galera. 


4 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

Ah, desilusão, você não faz tu-do que eu indico...#morridedesgosto. Eu amei medianeras (e indiquei no post de 23 de novembro de 2011, ahahah).

E fiquei curiosa com o muffin sensual, sendo despido para ensaios fotográficos ;-)

Rita disse...

Ah, Lu, não se desgoste. Certamente li, fiquei de ver e me esqueci. Leio tudo em seu log, mas minha memória é o que você jã sabe que é. Quem sabe não foi sua sugestão que me beslicou do fundo de meu inconsciente lá na locadora? E que filme lindo...

Bj!

Fabiana disse...

Medianeras: <3

Rita, o mais legal é que o diretor realmente responde aos e-mails enviados. No fim do filme aparece o e-mail dele, você lembra? E não foi só o meu, não, ele respondeu a mais gente que conheço. : )

Rita disse...

Fabiana, não vi o e-mail, mas vi o vídeo no youtube, só pra conferir. :-) Os dois cantando e dançando a musiquinha delícia. Ain't no mountain high enough...<3

Beijos!

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }