Blue


Hoje fomos à festa de aniversário de uma amiga nossa. Não era uma festa infantil, mas ela fez de conta que era e decorou tudo com o tema do desenho Padrinhos Mágicos, afinal era dia das crianças, coisa e tal. Para quem não sabe, os tais Padrinhos Mágicos moram dentro de um aquário e, por isso, nossa amiga decorou as mesas dos convidados com pequenos aquários; quem quis voltou pra casa com um peixinho beta de presente. Amanda quis. E assim Blue é o novo morador da nossa casa.


Assim que percebeu os aquários Amanda ficou maluca. Depois que descobriu que ganharia um tratou logo de escolher o seu. Li que eles podem viver alguns anos se bem cuidados, mas já ouvi relatos que dizem que o beta morre fácil. Não sei, nunca criei peixes. Ulisses já teve um beta, chamado Afonso, que morreu de velhice. (Pedi ao Ulisses que me contasse a história de Afonso para eu contar a vocês. Eis o relato: "era um peixe que depois morreu".) Veremos qual será a trajetória de Blue. Confesso que olho e sinto certa aflição: um aquário tão pequeno, uma vida tão monótona, tanta solidão. Um peixe num aquário é um pouco como um pássaro numa gaiola. Não? Melhor pensar que não.



11 comentários:

Paulo Marreca disse...

Muito bonito o Blue! Já que o Ulisses não contou a história do peixe dele, aqui vai a minha:
Tive três betas na minha sala de aula. Todos tiveram o mesmo nome: Freddy. O primeiro viveu alguns meses, o segundo um mês (você não vai ler isso para a Amanda, né?) e o terceiro viveu bastante...não me lembro quanto tempo. Com certeza, mais de um ano. Ele fazia algo engraçado. Dormia de lado!! Pode? Nem sabia que peixe dormia. Um aluno chegou e disse: "Olha, o seu peixe morreu!"...Quando toquei no aquário, ele começou a se mover. Isso acontecia muito e toda vez, eu tinha que explicar que ele não estava morto, apenas fazenda a sesta...E sim, acho que é como ter um pássaro numa gaiola.

Rita disse...

Vou contar para a Amanda só a parte do dormir de lado. Freddy. Krueger? ;-)

Bj

Rogerio disse...

De repente meu filho Lucas chega da escola carregando um beta num saquinho plástico. Até hoje não sei bem como ocorreu, o fato é que cada aluno que quis levar um peixinho pra casa levou.
Quando cheguei do trabalho deparei com a novidade. O nome do indivíduo era General (nem meu filho, o autor da façanha, soube explicar o motivo dessa escolha), e saímos loucos à procura de uma petshop ou coisa do gênero, afinal o bichinho precisava comer e ganhar uma casinha decente. Morar numa tupperware devia ser humilhante.
Nosso amiguinho General teve vida curta, cerca de quatro dias (não conte para a Amanda), mas saímos e compramos uma coleção de quase uma dezena de paulistinhas e dourados. Lucas era responsável pela alimentação e verificação da oxigenação da água. A parte que me coube foi a mais penosa. Você já lavou um aquário com capacidade para cerca de 12 litros de água?
O mais novo morador é um caracol, por sugestão do dono da loja. Apesar de ser mais feio que o Cachoeira, ele é útil por se alimentar dos fungos que vão grudando nas parede do aquário.
Enfim, acho que vocês vão curtir. São animais que exigem pouco - e oferecem pouco -, mas dão certa alegria e beleza ao ambiente de casa. Só tome cuidado com os peixes que for comprar. Há aqueles mais agressivos, caí na besteira de comprar um só porque achei bonitinho, e ele foi responsável (ou teria sido eu?) por uma carnificina aqui em casa.

Tina Lopes disse...

Ai, peixe em aquário me da tanta agonia quanto passarinho na gaiola. E nao adianta me dizerem que eles foram criados assim etc etc.

Rita disse...

Gente, morro de pena. É lindo ver a Amanda encantada com ele e não quero plantar culpa na menina agora porque sei que ela gosta mesmo do bicho. Maaas vou aos poucos conversando com ela sobre o assunto. Não sei se vou aderir aos aquários, Rogério. Fico aflita... Suspeito que Blue vai ser nosso único peixinho. E tadinho, nem tem amigos com quem planejar a fuga...Tadiiiinho!!

Ana Claudia disse...

Olha, Rita... Eu compartilho da sua mesma agonia. Tenho a sensação de prisão quando vejo eles presinhos em aquários. Bom, quando eu era "aborrecente" o meu irmão mais velho começou a criar betas. E, realmente, esses pequenos têm que ficar sozinhos, porque caso os coloquem juntos, brigam direto. Só de aproximar o aquário de dois betas, eles já se abrem todo... Uma vez eu li em algum lugar, se não me falha a memória, que mesmo em vida livre, eles não são de nadar muito. Ficam quietinhos no canto deles. Se é que isso serve de consolo...

Rita disse...

Ana Claudia, meu marido falou a mesma coisa, que betas não são de nadar muito, são territorialistas (por isso brigam muito) e preferem águas rasas. Com certeza me consola um pouco. Por via das dúvidas, temos "conversado" com o Blue, na melhor das intenções. E vamos providenciar uma casa um tiquinho maior pra ele. Beijos!

Fabiana disse...

Belo contador de história o Ulisses. ; )

E também fico angustiada. Tão apertadinhos, vivendo uma vida tão pouco natural. : (

Clara Lopez disse...

Nossa, quanta história boa, a minha com peixes é das mais banais - tentei, tentei, mas todos morreram inapelavelmente, nem chegou a haver carnificina, mas alguns comeram uns poucos restantes e dei por encerrada a experiência pisciana :))
boa sorte, amanda!
beijos, clara

Angela disse...

Betas tem um lugar especial no meu coracao. O meu primeiro peixe foi um beta rosa-lilas-neon, nunca mais vi outro igual. Tive tambem um grandao azul, que consegui que procriasse e tive aquario cheio de betinhas. Seus ninhos sao lindos, feitos de bolhinhas. Como a femea apanha muito durante o acasalamento tive que ficar acordada, na vespera da prova de fisica, a maior parte da noite, para poder separa-la do macho logo apos. Apesar de tantas estorias de peixes (salvei um "Oscar" de Pete quando namoravamos, que viveu conosco cerca de dez anos depois que casamos!) ha muito tambem nao gosto deles em aquarios. Pete nao eh sensivel ao assunto e as criancas adoram, entao continuam por aqui. E quando o sapo albino morreu engasgado com o catfish, Julia ajudou o pai numa boa a leva-lo para o laguinho aqui perto... YIKES!!

Rosa Pinho disse...

Cada vez mais encantada com as histórias e os coments... Mas tb não gosto de bicho preso... :-(

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }