Valentia cacheada


(Possíveis spoilers)

Eu estava tão ansiosa para ver Valente que antecipei a ida ao cinema com medo de que algum evento do final de semana me impedisse de ver o filme. Que bom que fui porque gostei muito do que vi: Merida, uma princesa sem frescuras, uma heroína feminista aberta ao aprendizado e disposta a construir seu próprio destino numa fábula com encantamentos, ursos e bruxa. 

Temi pelo enredo à certa altura, parecia haver ursos demais na história, mas tudo se costurou direitinho. Também temi no momento em que Merida parecia prestes a deixar sua liberdade escorrer pelas mãos. Felizmente, a mãe/rainha em Valente não é substituída pela madrasta malvada, tampouco é ausente ou invisível como nos acostumamos a ver em tantas histórias. O que vemos é o  oposto disso, uma mãe que se junta à protagonista em valentia e o faz lindamente. O resultado é uma troca em que ambas saem no lucro. Merida é decidida, teimosa, rebelde; mas também se dá conta quando precisa voltar atrás e consertar seus erros. Ao mesmo tempo, a personalidade forte da filha dá à mãe a chance de revisitar velhos hábitos e, juntas, as duas tomam as rédeas da história. Bonito de ver.

Valente é uma história linda sobre a relação mãe-filha, sobre a liberdade, sobre as transformações que surgem quando encaramos a difícil aventura de questionar nossas verdades (e aqui falo mais da mãe que da filha). E, claro, de quebra, Merida ainda tem aquela cabeleira maravilhosa. Corram pro cinema, vale a pena demais. 

3 comentários:

Deise Luz disse...

Ah, eu nem sou muito chegada em animações, mas quero ver Valente. Sempre que o trailer passava no cinema a postura feminista dessa personagem me encantava!

Liliane Gusmao disse...

Rita,
Amei o filme e linkei voce lá no meu post sobre a princesa cacheada!

Rita disse...

Deise, veja e depois nos conte o que achou.

Liliane, vou lá espiar, obrigada!

Bjs,
Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }