Blogversário


Flores, sempre.

Sou craque em me esquecer de aniversários. No último sábado foi a vez desta estrada. Três anos e nem me lembrei, tadinha. Não é justo. Nesses últimos anos multipliquei amigos, conheci ótimos blogs, li muita coisa boa rede afora, escrevi aqui e para a gaveta, tudo mais ou menos intermediado pelo Estrada. Através do blog amigos e familiares que moram longe acompanham o crescimento das crianças, recebem notícias incríveis sobre minhas plantas, meus cachorros e minhas gripes, olha que importante. Já dei muita risada nesse tanto de posts e por causa de pessoas que conheci através do blog as redes sociais por onde transito são quase sempre fontes de trocas muito positivas. Sem falar nos encontros virtuais que ganharam espaço no mundo de carne, osso e abraços. Se nada disso fosse válido, ainda restaria o prazer de registrar momentos que sei que vou querer relembrar depois. Tantas vezes escrevo como se conversasse com vocês, outras tantas escrevo para mim mesma. Sei que um dia vou receber essas mensagens com o coração aos pulos e isso me basta para que eu mantenha o blog ativo, às vezes tagarelando com quem passear por essas bandas, às vezes falando com as paredes. 

Há algumas semanas passei horas lendo e relendo as páginas do diário de minha tia, um inventário de memórias mantido durante 14 anos com notas sobre a rotina dela e daqueles que ela amava. Dias de solidão e saudades, de incertezas, dias de alegria, de marasmo ou planos mirabolantes, todos guardados nas páginas escuras de um caderno velho. Se daqui a muitos anos esse blog provocar em mim, no Ulisses ou em meus filhos algo semelhante ao que senti relendo o velho diário de minha tia, toda esse palavrório vai ter valido a pena. A expressão é até descabida: "valer a pena"; não há pena alguma. A verdade é que me divirto pra caramba e nos momentos mais pesados ainda encontro doses extras de escape e ombro. 

Tal qual minhas amizades que perduram apesar dos telefonemas de aniversário que nunca chegam (ou que sempre chegam com atraso), segue a estrada. E nunca é demais: obrigada pela companhia, sempre me toca. Tem mais gente chegando, mas a estrada é larga. No sol a gente canta, na chuva a gente dança e é com alegria que recebo cada visita, cada espiada, cada aceno. Obrigada demais. 

6 comentários:

Anônimo disse...

A Estrada Anil, sou viciada em você. Rita, eu que me enquandro na categoria "amiga que some, que nunca liga,..." adoro o seu blog, pois assim posso, ainda que de longe, acompanhar você e sua família. Maravilhoso!
Parabéns!
Ju

Angela disse...

Mais um ano que comemoro tudo o que esse blog tem proporcionado, para voce e mais tantos! Sinto muito pela ausencia (mais ou menos ne, pois leio leio so nao comento), estou numa maratona de final de ano, aonde tudo se alinha: medico de max, shows de fim de ano da ginastica olimpica de max e ju, festa de aniversario de max, graduacao de max, festividades de fim de ano da escola de max, etc... esse ano ainda tem o fator casamento de si adicionado e preparacao para as ilustres visitas. Ui!!! Ate agosto! ;)

Lud disse...

Rita,
a estrada é larga. E longa. E leva.
E às vezes se biparte e logo se une novamente...
Abraço apertado pelo seu blogversário. Só posso esperar que você (nós!) comemoremos muitos outros.

disse...

Parabéns Rita! Muitos anos de vida para o seu blog! Ando meio sumida nos comentarios, vc imagina a minha correria nos ultimos tempos, mas te leio sempre pelo iPhone, durante as mamadas da pequena. :)

Beijocas,

Mari Biddle disse...

Eu te conheci aqui. Depois te vi em BSB. Parabéns, passarinha!

Niara de Oliveira disse...

Beijos, Rita. Muitos anos mais de vida pr'A Estrada Anil. :)

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }