- Rita, olha o passarinho! - Não!


Da próxima vez que precisar tirar uma foto 3x4, que espero que seja nunca, vou usar uma máscara. Não importa o modelo. Qualquer máscara vai sair mais bonita e parecer mais fotogênica do que eu em fotos de documentos. Eu poderia ilustrar esse post e elevar o número de visitas do blog à estratosfera. Se publicasse minhas fotos 3x4, ficaria famosa. Meu post bombaria no Twitter e no Facebook e seria uma daquelas situações em que um blog vira notícia em grandes portais. As manchetes seriam irresistíveis: "blogueira perde de vez a noção e publica fotos ridículas de si mesma"; "post em pequeno blog causa furor nas redes sociais com fotos hilárias de blogueira", por aí. Portanto, nem peçam.


Acho normal que minhas fotos de documentos na infância mostrem uma menina emburrada. Eu era emburrada. Acredito que sem qualquer exceção, estou horrorosa em todas as fotos 3x4 tiradas até os 12 anos (são várias, as escolas têm essa mania irritante de pedir fotos). Depois, aos 14, fiz o que provavelmente é a foto mais feia do mundo, em todos os tempos. Foi tirada exclusivamente para minha primeira carteira de identidade. Até hoje, se a carteira de identidade de alguém cai em minhas mãos, tenho o cuidado de deixar muito claro que não estou interessada na foto, tudo porque esse era meu desejo quando alguém examinava a minha: eu rezava em silêncio algo como "Deus, não deixe que ele/ela veja a foto, etc" (mentira, eu não rezava, mas torcia forte). Durante muitos anos escondi meu RG no fundo da carteira e jamais (ja-mais) mostrava aos amigos. Guardava como uma carta na manga, caso quisesse terminar algum namoro ou espantar um assaltante. Minha digital era mais bonita que a foto porque naquela época eu usava as franjas criminosas dos anos 80, parecidas com grandes bigodes na testa. Uma coisa muito, muito, esquisita. Jamais vou entender de onde eu tirava coragem para sair à rua com aquilo.

A partir daí, passada a magricelice da infância e a cara de perdida da adolescência, normal seria que as fotos acompanhassem as melhorias da pessoa, néam? Mas cadê? Anos depois, com mais de 20 anos, consegui uma foto razoável, é verdade. Fiquei apenas feia, normal, nada demais (meu rosto parece inchado, os olhos apertados; o cabelo parece um capacete). É assim que estou hoje, no meu RG atual. Não peçam. Meu primeiro passaporte trazia algo estranho, mas já me esqueci dos detalhes, só me lembro de que não gostava do que via. No atual, até que estou apresentável, deve ter rolado um photoshop. Um dia esqueci a bolsa no taxi (já contei aqui, nesse post com ótimos comentários de vocês) e precisei tirar uma foto de emergência para a carteirinha do metrô. Fiquei tão estranha que o moço da loja onde fiz a foto comentou: not very happy, are you? Juro. Mas o que ele queria? Eu tinha perdido a bolsa, não dá pra sair sexy na foto, baby (como se eu tivesse saído sexy em todas as outras...). 

Se você trabalha comigo e procura por meu ramal no sistema, vai me ver sorridente. Mas não se engane, não é alegria; é uma tentativa (vã) de não sair tão horrenda. Tipo, os colegas podem comentar: ela é estranha, mas parece tão feliz, né? Certa vez usei crachá e minha fotografia nele parecia um pão doce. Houve um tempo em que usei cabelos muito curtos, bem "Joãozinho" mesmo. Fiz uma foto nessa época até bem decente, mas não acho que valha a pena cortar o cabelo bem curto só para ficar bem nos documentos.

Enfim, dias atrás renovei minha CNH. Gente. Assustada define. E tudo bem que eu saia branca e magra na foto, pois sou branca e magra, mas não precisava sair com cara de doente. O cabelo está torto e levemente desgrenhado, a boca travada numa tentativa de... sei lá, mastigar a língua? Minha primeira reação ao ver a foto foi pensar "Gente, alguém precisa ajudar essa garota! Oops, sou eu.". Olha, um problema a tal foto. Se a PRF me parar na estrada, vou preferir pagar multa a mostrar a carteira: tenho CNH não, moço, precisa, é? Porque não tá fácil. Hoje no twitter conversei sobre isso com amigas e procurei um jeito de definir minha nova foto. A melhor explicação que encontrei foi algo como doente, assustada e meio louca. Não dá pra sair mostrando por aí, né, a PRF pode até querer me deter, vai saber. 

Nunca fui fotogênica, mas não chego a me importar com o assunto. Às vezes fico bem, às vezes nem tanto, como todo mundo. Como a Julia Roberts, assim, normal, hohoho. A autoestima vai bem, obrigada. Mas foto 3x4 (por quê, hein? que praga!), na próxima vez, só se for de burca.

(Não, este post não tem fotos.)

13 comentários:

Juliana disse...

não creio que o cabelo não tava de diva!=p

Renata Lins disse...

Aaaah, que pena que não tem foto! Mas vou te dizer: essas de máquina são terríveis. Da última vez fiz a mulher tirar três vezes e depois me conformei... há séculos atrás, aqui na minha vizinhança eu tirava ótimas fotos 3x4, nos lambe-lambes da praça. Demais, demorava uma meia hora pro cara revelar e eram preto e branco, mas as fotos ficavam bonitas... tem mais não. Agora, só essas tétricas.

Caminhante disse...

Na foto do meu primeiro RG eu saí tão maléfica que parecia que era a minha foto da FEBEM. Mas eu gostava do efeito - as pessoas viam aquilo e achavam que eu tinha melhorado com o tempo.

Amanda disse...

Minha foto da faculdade é histórica. Eu estava loira, gente - LOIRA. E com a cara de maior marrenta da cidade. Meus amigos definiram: nossa, como vc tá maconheirinha nessa foto!

Dária disse...

hahah é só eu divulgar minhas fotos, e as suas deixam de ser tão feias =P

A da minha RG (que ainda permanece, embora irreconhecível... um dia crio coragem de ir fazer outra), eu tinha 12 anos, estava magra, muiiito magra - da mesma altura e com uns 8 kg a menos do que tenho hoje talvez (e continuo magra, então imagina) -; minha cabeça saiu grande demais (em contraste com o pedaço dos ombros numa camisa regata azul); os cabelos cacheados ainda eram longos, estavam assanhados ao extremo (oq ajudava a aumentar a cabeça); me deixaram pôr um batom qse vermelho na bova que deixou minha pele ainda mais amarela do que é; meu olho saiu um mais aberto que o outro; nesta época obviamente eu ainda não fazia a sobrancelha, e juro que a minha sem tá feita lembra muito aquele personagem "seu saraiva" que passava em zorra total! rss

Dária disse...

Enfim, acho que foto 3x4 tem alguma praga mesmo, alguma coisa proposital pra todos ficarem feios... me acho bonitinha em qlq outra foto, mas em 3x4 to sempre de arrepiar ^^

Deise Luz disse...

Tô tentando imaginar como seria uma fotografia parecida com um pão doce.

Luciana Nepomuceno disse...

tá linda nas fotos comigo ;-)

Angela disse...

Hahah lembrei de nos duas tentando tirar fotos em JP... que desgraca.

No outro dia era epoca de renovar o passaporte de uma das crinacas e a minha RG estava aqui de bobeira. A foto eh horrorosa, mas comparada com as tiradas em anos anteriores, esta maravilhosa. Pete mostrou a Julia e perguntou quem era. Ela: sei nao.

Entao, se eu tivesse aqui as fotos 3x4 que acabei de ver quando estava em JP, mandaria para voce ver. Nao consigo descrever a tranqueira.

Ate hoje nao gosto de fotos de qualidade nenhuma, a nao ser as que estou com as criancas.Pois nao eh que no ano passado o departamento de marketing de onde trabalho insistiu em tirar minhas fotos para usar em umas campanhas da empresa. Depois de uns vinte minutos no telefone e muita argumentacao, falei que sim. O pobre do fotografo comeu o pao que o diabo amassou, eu que nao sou besta nem quiz ver as fotos, pois sabia que se visse ia implorar para ele nao divulgar. Quando usaram e me vi pela primeira vez, tive o usual choque. Mas tava feito e publicado. Pois nao eh que hoje outra pessoa do departamento pediu que fosse tirar fotos de novo? Expliquei que gostava de gente, nao de cameras, que olhava desconfiada e ficava com cara de idiota, que ia dar muito trabalho para o fotografo, bla bla bla. Ela insistiu e insistiu e la vou eu de novo fazer sessao de foto. E sinceramente, a idade nao ta me ajudando nem um pouco nao! Deseje-me sorte.

Agora, quero ver essa tua foto. Rola uma propina?

Lílian disse...

Hahaha, não sei porque essa birra com as fotos 3 x 4, as minhas são sempre ótimas (Hahaha again, né?)

:/

Ei, Rita, manda aí um telefone que funcione (o fixo do hotel, talvez, porque celular não pega aqui, não pega ali) para eu entrar em contato, quero falar com todo mundo - especialmente com a MÃÃÃÃÃÃE!

Bjus!

Mariana disse...

Ih Rita, esse é um mal do qual muitos sofrem neste mundo! as minhas bonitinhas foram as da infância com cara de marota. Depois elas foram ficando...hmmm... péssimas! A pior de todas foi a que eu tirei para a carteirinha do cinema aqui em Paris: gravida, inchada e iluminada por uma luz esquisita que vinha de baixo. Resultado: papo gigante e zero sobrancelha - juro que parecia a prima do Shrek!!! Não tem quem não gargalhe olhando aquilo!!! Poderiamos fazer um concurso, né??

hihihihi

bjus!!!

Rita disse...

Que alívio! Não sou a única torta em fotos. :-)

Ri muito com vocês. E de vocês também, hihihi...

Beijos!
Rita

Anônimo disse...

Cacacaca. Menina, morri de rir com seu post.

Também não gosto de fotos 3x4, mas não ligo muito em mostrar não, é pra rir mesmo. Eu tinha umas maluquices, e uma das brincadeiras que adora era "vamos brincar de mostrar a identidade!?" eram gargalhadas na certa, isso quando topavam, pois quase nunca o povo queria brincar comigo. Porque será? Não fiz essa brincadeira com voces não? Se fiz devem ter recusado. hihi.

Angela, outro dia morri de rir vendo nossas fotos com Kiora em Natal. Lembra?? ririri. Só em lembrar já estou rindo. O legal é isso, rir!

Beijos,
Ju

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }