De chapéu com a borboleta na Lagoa, ou quase isso



Terminei de ler um livro comecei outro vi dois filmes cochilei no sofá (vi um filme e meio) fui mas não deveria ter ido editei risquei acrescentei amei ri bebi e tava bom abracei busquei levei apresentei brinquei corrigi estudei junto dancei comi e repeti dirigi passeei montei quebra-cabeças mostrei fotografei afaguei fiz tranças fiz coque escovei fiz bolo e café não sei onde guardei as vírgulas ponto

***

A borboleta veio conhecer Floripa. Papo furado. A borboleta veio me ver. Papo bom. Tanta conversa, tanta coisa boa que essa blogosfera faz. No final de semana corridíssimo a gente até que fez boa parte do que pretendia. E foi bom não ter feito tudo para que não faltem pretextos de retornos. Não houve o extremo norte da ilha, mas houve barzinho no Sambaqui com as luzes da ponte abandonada que merece mais carinho; houve um pedaço do sul, uma lagoa linda banhada pelo céu azul; um pezinho na Joaquina, uma olhada na Mole e sei que já nem precisava mais. A frase logo veio, "minha preferida". Pois então, Floripa faz dessas, vira favorita depois da primeira subida ao morro. Num domingo de outono, sem trânsito, com aquele charme que as primeiras horas do dia têm, tanto mais fácil.

Estou habituada a alimentar amizades que se mantêm fortes apesar das distâncias, mas é claro que a presença tem seu valor. Luciana sentou no chão da sala com as crianças, tomou o café da sogra, copiou a receita do bolo, gargalhou e esperou. Foi junto, bebeu e dançou. Temos planos e confidências como amigas de escola e nossos recreios são dos melhores. 

***

Sou uma anfitriã tão boa, tão eficiente, que levei minha amiga cearense, em sua única noite de sábado na capital catarinense, a uma... festa nordestina!!! Palmas para mim. Querem saber o que ela achou? Tá aqui, num dos 569 blogs que ela mantém. O que eu achei? Não posso falar ainda. Preciso antes me esquecer do escondidinho de carne seca que comi. Porque cada vez que penso nele, sinto uma saudade quase dolorida. Foi ontem. Sou dramática e é isso que sinto: saudades do escondidinho de carne seca que comi ontem. Posso só dizer que dancei forró, obviamente, repeti o prato e tirei muitas fotos com chapéu de couro. Nunca na minha vida usei um chapéu de couro nos 26 anos em que morei na Paraíba. Na festa temática, num apartamento qualquer do centro de Florianópolis, era eu com chapéu de couro. Como não amar essa vida?

***

A primeira frase de um livro pode causar estragos, perder leitores e resultar em volumes abandonados nas livrarias. Ou pode segurar nossa mão e nos convencer que vale a pena, em dois segundos. Um amor, de Dino Buzzati (trad. Tizziana Giorgini), começa assim:

"Certa manhã de fevereiro, 1960, em Milão, o arquiteto Antonio Dorigo, quarenta e nove anos, telefonou para a dona Ermelina."

Comigo funcionou, já quero saber quem é Ermelina e qual o motivo do telefonema. Devo ser sincera, contudo, e dizer que, para mim, essa é a segunda frase do livro. A primeira foi: "trouxe uma coisa pra você". Ganho livros de presente e retribuo com festas nordestinas em Floripa. Sou boa amiga. Não sou? Espera aí, Harry


5 comentários:

Lílian disse...

Hahahahahaha, foi por isso que telefonei, morreu de chamar, e ninguém atendeu. Se eu tivesse numa paisagem dessas, era capaz de o telefone ficar tocando sozinho uma semana...
Bjus, cunhada, mano, crianças e mããããããe!

Lílian (de novo) disse...

"EEEEEEEEStivesse!"
* Só para o caso de alguma criança curiosa vir ler o blog e acabar aprendendo como se escreve "errado" - hehehe, assunto para outro dia. Boa semana, bom feriado e boa viagem, que eu sei que vai rolar...

:P

Mari Biddle disse...

Ela gargalhou, neam? Como nao estou surpresa!

Danadas!

Sonhei contigo, Rita. Tu contando das aulas de bale' e eu com cara de 'mas para que ela precisa de aulas de bale'? Ela ja nasceu bailarina?'. Estranhissimo sonhar com a TL, ou nao..


bjs

Angela disse...

Poderia te comparar com outras pessoas (eheh), e te dizer que "pior sao elas que ganham um livro e te dao... nada!". Mas o que li nao foi o que voce escreveu. Li que voce ganhou um bom livro e retribuiu compartilhando a companhia de suas criancas lindas no chao da sala. Agora vou me embora ler mais sobre esse encontro no post da Borboleta. Fotos, por favor!! Beijos

Luciana Nepomuceno disse...

eu não comentei esse post? absurdo. amei tudo e cada minuto. vou voltar, te prepara...

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }