Acabou-se a margarina



Consultei uma nutricionista que segue a linha da nutrição funcional e estou às voltas com leiturinhas sobre o assunto. Também estou às voltas com sementinhas, aveia e afins. 

Em curtíssimo prazo teremos uma geladeira sem margarina (por motivos, entre outros, que você pode ler aqui), uma dieta com diminuição drástica no consumo de proteínas do leite e aumento significativo no consumo de aveia. Meu objetivo inicial era só ganhar uns quilinhos, mas agora estou toda empolgada revendo certos hábitos alimentares. Não deve ser nada muito radical porque na verdade considero minha dieta bem equilibrada (excluam-se as festas infantis). Mesmo assim, ainda há espaço para ajustes. 

Foi a primeira vez na minha vida que um profissional cogitou uma possível alergia à proteína do leite. Incluindo aí dois nutrólogos, ninguém nunca associou minhas alergias do trato respiratório e minhas faringites e sinusites de repetição ao consumo frequente de leites, queijos e iogurtes. A nutricionista me explicou que o leite de que precisamos é o materno, no início da vida. Pronto. Depois disso, nosso organismo paga certo preço para lidar com a tal da lactose. Podemos ler algo na mesma linha aqui, expiem lá. Como não mamei no peito e minha mãe passou muito aperto por causa de minhas alergias a várias marcas de leite quando eu ainda era recém-nascida, é possível que eu tenha desenvolvido certa reação alérgica crônica, mas não grave, à lactose. O que ocorre em casos assim, segundo a nutricionista, é que o corpo apresenta um processo inflamatório constante, especialmente nos intestinos, e permanece em estado de alerta, pronto para reagir exageradamente a estímulos externos que representem ameaça ao organismo. Daí qualquer resfriado básico desencadeia uma sinusite, por exemplo. Decidi fazer o teste e verificar se sinto alguma mudança significativa na frequência de faringites e sinusites de cada inverno.

Gostei muito da consulta, centrada em mim, Rita, em minha história alimentar, no histórico de minha saúde, de minha família. Nada de contagem de calorias ou meta de quilos ganhos, nada disso. Toda a conversa girou em torno do melhor aproveitamento dos alimentos digeridos e na qualidade deles. O assunto ainda pode render por aqui, então vamos parar por enquanto para não encher o saco de vocês. Só mais uma coisinha, falando de novo da margarina: a consulta me fez lembrar muito do cardiologista de minha mãe de dos meus tios. A nutricionista disse que se tivesse apenas cinco minutos com cada paciente e pudesse dar apenas uma dica a cada um deles, diria: nunca consuma margarina. Tal qual o cardiologista da minha família, que diz ser melhor beber óleo do que consumir margarina, a nutricionista foi taxativa: contém gordura vegetal hidrogenada? Não coma. Margarina? Nunca, em nada, de jeito nenhum, nenhuma marca. Nem as tais ricas em ômega não sei das quantas compensam o estrago causado pelos outros componentes da fórmula. Não é pra ter em casa, simples assim. Não vai ser grande sacrifício abolir margarina aqui em casa, tem gosto de nada mesmo.

- Passa a margarina, por favor? 
- Tem não. 

Se vou ganhar peso, não sei, mas estou gostando de relembrar os porquês em torno das recomendações para o consumo regular de certos alimentos. E já achei uma receitinha maluquete que me deixou revirando os olhinhos. Vou testar no final de semana e, se der certo, mostro pra vocês. Se der errado, a gente xinga junto. Combinado?

10 comentários:

Angela disse...

Gente que novidade para mim. Nao sabia que o leite poderia causar essa problemada toda. Aqui a criancada nao bebe leite de vaca ate completar um ano, ai bebe integral ate os dois e depois mandam cortar para leite 2%.

Mas olha, margarina aqui em casa tambem faz tempo que nao rola. Tambem nao tem manteiga. Usamos 'I Can't Believe It's Not Butter, tem gosto de manteiga mas tem metade da quantidade de gordura saturada, 0 de trans, 0 de colesterol e 0 de gorduras vegetais hidrogenadas. Nunca pesquisei para saber se tem algo de ruim, mas vou faze-lo agora.

Agora o leite, um problema. Quando voltei das ferias ai, resolvi que ja que nao tava dando para levar uma vida super saudavel nesse exato momento, iria fazer algo para melhorar. Substitui o leite de vaca pelo de soja (o qual bebi durante as duas gestacoes) e cortei o consumo das bolachas Milano Double Chocolate da Pepperidge Farm (como te falei sou viciada, meio a um pacote por dia). Um mes depois, 4 quilos a menos, calcas caindo, resolvi voltar ao consumo de leite e biscoitos, e ganhei meus quilos de volta. Um dia tento novamente, quando tiver com tempo de comer comida saudavel o dia inteiro, e com direito a alguma forma de exercicios.

Boa sorte na dieta reversa, e vou ficar antenada nas dicas de como engordar de maneira saudavel!

Beijos!

Renata Andrada disse...

Rita, trato com uma nutricionista que também segue a linha funcional há alguns anos e acho a abordagem dela fantástica. É como você falou mesmo: o foco da consulta é em mim, no meu histórico e na minha saúde. A profissional que me acompanha falou a mesma coisa a respeito da lactose e percebi que somos muito mais sensíveis a ela do que imaginamos. Não chego a ter intolerância, mas qualquer redução que eu faça já é suficiente prá que eu me sinta melhor. Ao longo do tempo, fui aprendendo muita coisa e hoje sei o que me faz bem e o que não. O duro é que nem sempre sigo, mas aí é responsabilidade minha.
Vai ser bacana ler sobre isso aqui, com esse olhar sempre tão interessante que você tem sobre as coisas (te sigo no twitter e curto, mas sou apaixonada mesmo é pelo blog. Leio tudo!). Um beijo!

Daniela disse...

A minha segue essa linha também. E me disse que melhor manteiga que margarina. "Compre manteiga e use a pontinha da face, margarina é um veneno", ela disse.

Sobre o leite, minha irmã tem asmas, todos os tipos de -ite e melhorou depois que deixou de consumir leite. Iogurte é melhor pq a lactose já vem "digerida".

Eu consumo pouco leite, mas adoro iogurte e gosto de queijo. A minha nutri disse: ou queijo, ou leite, ou iogurte, uma vez por dia. Tá difícil...rs

Linhaça, aveia(que eu detestava), muitos cereais integrais, azeites e óleos que tem propriedades desinflamatórias. Sai o adoçante e entra o açúcar mascavo. Sai todo o tipo de grãos e cereais não integrais e farinha branca. É uma mudança de hábitos muito grande sim, mas eu sempre fui meio natureba e já emagreci 13 kg desde outubro então tô adorando tudo. hahahaha

Beijos querida!

Anônimo disse...

A margarina já foi substituída por manteiga quase 100%. Aqui no Brasil nós temos algum similar a esse aí em cima que Angela citou('I Can't Believe It's Not Butter)?
Agora, o leite aqui o consumo é alto, tanto Raquel quanto eu. Vivo falando quando rola assuntos de alérgias "a pior alergia que poderia me acontecer seria a leite". Sou viciada mesmo num leitinho com café. Sem acúcar e sem adoçante, isso melhora? hihi
Léo vive brincando que tem bezerros em casa, que nunca viu tomar tanto leite, dai falou "vou comprar uma vaca, é melhor, ou então vou pedir uma a vovô Chico" daí após muitas perguntas de Raquel, onde a vaca iria ficar aqui no apartamento (varanda claro, risos), quem iria dar a comida, limpar o cocô (Raquel falou que ela tinha que ir no elevador fazer lá embaixo), aí dias depois ela falou: "Mãe, mas tem que falar pa vovô Chico que tem que ser uma vaca do pé pequeno senão, como vai caber na varanda?"
Pois é minha filha, vai rolar até vaca aqui no ap. Já imaginou!?
Estou com saudades das suas receitas!
Beijos,
Ju

Dária disse...

Margarina eu quase não como, desde criança só como pão sem nada, ou com queijo, requeijão... margarina tem gosto de nada, como vc disse. Só se usa aqui em casa para algumas receitas.

Leite eu soube que tinha intolerância na adolescência. Sempre fui muito alérgica, a tudo. Comidas. Remédios. Pelos. Poeira. Tinta. E daí segue uma lista grande... e sempre tomei muito leite. Mas não tinha nenhuma reação clássica ao leite, como urticária, crises de rinite, nada assim. Porém ocasionalmente sentia dores no estômago e enjôos que não sabia de onde vinham.

Lá pros 16 anos passei uma semana vomitando todos os dias, assim que terminava o café da manhã (que variava de leite, vitamina, iogurte, bolo - tudo cheinho de lactose rss). Coincidentemente tava com um exame alérgico marcado (apesar das crises, nunca tinha feito um até então), e nele lactose foi o que deu como alergia mais forte... eu disse que não costumava ter reações ao leite, então minha médica prontamente perguntou se eu costumava ter ansias de vômito ou diarréia, pois eram as reações mais comuns para intolerâncias forte à lactose ^^
Enfim, ela acertou, substitui o básico todo por soja, e nunca mais vomitei...

Mas ainda to loooonge de ser obediente na dieta adequada. Minha alergista diz que no meu caso e da minha mãe, temos de evitar aquilo que o exame dá mais forte, ou que sabemos que nossa reação é mais forte (tipo, tenho edema com peru e porco)... porque se deixassemos de comer tudo que os exames acusam iamos morrer de fome rsss

Helena disse...

Minha infância toda sempre comemos manteiga e muita aveia na minha casa, habitos que mantive por gosto e, depois de grandinha, por saber que eram saudaveis. Agora o leite... ja ouvi bastante essa historia que nosso corpo so produz a enzima que digere o leite até os sete anos, algo assim. Teve uma época em que eu estava sempre com o nariz escorregendo e com rinite, o médico falou do leite... mas não consigo sair de casa de manhã sem o meu leite com chocolate, parece que fico fraca sem ele, hehhehe. Agora não tenho mais rinite e penso no leite como fornecedor de calcio, mas é verdade que poderia procurar outras alternativas. Não queria trocar pra leite de soja porque ja ouvi falar muito mal também, que a unica forma saudavel de consumir soja seria o tofu, não sei o quanto é verdade. Enfim, acho que como tu falou, a palavra chave é equilibrio!

Um beijo

Rita disse...

Oi, gente. Engraçado ver como esse lance da difícil relação entre nosso corpo e a lactose é tão comum por aí - e quase nenhum médico com quem tive contato menciona o fato. Que coisa, né. Enfim, ainda é cedo para saber se vou me adequar totalmente às alterações que decidi fazer na dieta, mas vamos em frente. Por enquanto, estou adorando.

Beijocas
Rita

Tina Lopes disse...

Oi, Ritoca, bem, eu não tenho alergia mas tenho nojo de leite desde os 4-5 anos. Não consumo mesmo, a não ser disfarçado. E nessa de disfarce aprendi recentemente a comer creme de ricota - é um super substituto pra margarina, delícia! E mais saudável que requeijão e outros. Se quiser também te passo receita de patê de tofu que, acredite, é uma delícia (receita de nutricionista também). Agora que minha enxaqueca voltou, me dei conta que provavelmente é excesso de laticínios e já não comprei queijo esta semana. Sabe que este assunto de hábitos alimentares me empolga. Falamos mais quando der. Bjk.

Mariana disse...

Do leite não posso reclamar. Nunca tive problema para digeri-lo e consumo diariamente até hoje. mas ja tinha ouvido falar dessa historia de que não precisamos consumir leite depois da infância. Agora por que diabos o governo francês investe tanto em campanhas para incentivar o consumo de leite e laticinios (5 produits laitiers par jour!)? Sera que so por causa da excelência francesa na produção de laticinios?

E o iogurte pode? e queijo? e a manteiga??? Manteiga ta valendo ainda???

ai, minha cuisine française... fiquei aflita!!

:°)

bju!

Amanda disse...

Nossa, perdi esse papo aqui! Então, sabia que tô com um exame marcado pra ver se tenho intolerância à lactose? Tenho 90% de certeza que tenho. Passei um mês sem comer lactose e me senti muito melhor. Beijo!

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }