Cacoete

No ano passado compramos um livro para as crianças que passou para a lista de nossos favoritos ainda no carro, no caminho de volta pra casa: Cacoete, de Eva Furnari (Editoras Sonho&Fantasia e Ática). O livro é visualmente lindo e a história é divertida, dois elementos que normalmente buscamos nos livros infantis. Cacoete, no entanto, tem mais uma coisinha: charme. Sabe aquele livro que você lê prestando atenção em cada cantinho da página, porque tudo vale a pena uma espiada? Desses.

As ilustrações (que renderam ao livro o prêmio Jabuti e foram feitas pela autora) vão dos traços retos e harmoniosos no início da história ao jogo descontraído de cores das páginas finais - bem ao modo do que acontece com a vida dos habitantes da curiosa cidade de Cacoete. 

As casas certinhas de Cacoete.

Os objetos guardados de acordo com a forma geométrica.

Tudo em Cacoete é muito certinho, todos são muito organizados e a ordem alfabética domina até a disposição das ruas: a Rua dos Alfinetes fica ao lado da Rua das Berinjelas, que fica ao lado da Rua do Calcanhares, etc. O mesmo para os moradores das casas: Holêncio, Irtes e Jurvina são vizinhos, por exemplo. O protagonista é Frido, que mora entre a Euzinete e a Dona Griselda. 


Quando a história começa, ele, como todas as crianças de Cacoete naquela época do ano, está às voltas com a importante missão de comprar a maçã para o Dia dos Professores. Todas as crianças de Cacoete dão maçãs no Dia dos Professores. No entanto, algo sai errado nos planos de Frido e ele vai parar na casa da Bruxa Núrcia, fora da cidade, quando queria mesmo era comprar uma maçã na casa da Dona Lúrcia. Enquanto espera ser atendido, Frido se vale de sua mania de organização e limpeza e muda tudo na casa da bruxa. É o suficiente para enfurecê-la. Um feitiço e, tchuns, foi-se embora a ordem cacoeteca. 


As meninas, que antes só vestiam roupa de bolinhas, agora usam roupas coloridas e variadas; o que era reto ficou torto, o que era óbvio ficou confuso; e os objetos adquiriram outras funções inusitadas, muito bem descritas na prosa aconchegante de Furnari:

"Para piorar a situação, alguns objetos viraram desobjetos. A panela de pressão agora tocava música. A escova de cabelo despenteava. O fogão tinha quatro bocas, um nariz e cinco olhos, falava, cheirava e enxergava muito bem." 

Tudo muda, tudo vira bagunça e novidade:

"Além do cacoetês, agora estudavam língua de gato, língua de sogra e língua de trapo."

As ruas retinhas de Cacoete ganham curvas, cores e telhados de toda forma e tamanho. E os vizinhos podem ter nomes começados por qualquer letra. 


Além da bela diagramação do livro, outro detalhe me chamou a atenção. Parte do texto vem em letra de forma, parte em letra cursiva. Para as crianças na faixa etária do Arthur, entre seis e sete anos, que estão começando a ter um contato mais frequente com a letra cursiva na escola, o livro pode dar uma mãozinha - ou, pelo menos, ajudar a suavizar os primeiros contatos com a novidade. Algumas crianças podem demonstrar certa resistência na aquisição da nova modalidade de escrita e uma ajudinha divertida é sempre bem vinda. O livro começa em letra cursiva, muda para a letra de forma e lá pelas tantas uma mesma página apresenta três tipos de letra: forma, cursiva e letra de bruxa. 


Pra toda criança ficar craque, ainda que a gente não saiba exatamente que papel a letra cursiva terá na vida deles, não é verdade? Mas vai que a letra de bruxa pode ser útil. Nunca se sabe, esse mundo anda meio estranho. 

***

(As páginas do livro têm fundo bege ou mais escuro e fiz as fotos à noite. Perdão.)

3 comentários:

Caminhante disse...

Eu fui criada com os livros dela, especialmente os da Bruxinha. Fico tocada só de olhar pros traços dela de novo.

Luciana disse...

Eu moro no exterior e tenho um filho de 22 meses. Ele frequenta uma escola Montessoriana e estou procurando sugestoes de livros em portugues. Estamos fugindo dos caracteres em quadrinho, Disney, etc... . Ele ja tem alguns livros de fabulas, poesias (rimadas),livros do autor Lalau. Como temos familiares vindo nos visitar, sera uma otima oportunidade para renovar nosso acervo. Sugestoes?
Obrigada, Luciana.

Rita disse...

Luciana,

se você quiser, pode dar uma olhada no marcador "livros infantis" aí na lateral do blog (coluna "Labels"). Assim você poderá navegar pelos posts em que falo dos livros que andei comprando pros meus filhos. No post "Dicas de livros infantis" há vários comentários de leitores que podem interessar a você também. :-)

Abraços,
Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }