Ela


Havia na minha cidade natal uma porca. Gorda, imensa, cheia de tetas. Uma porca cor-de-rosa que desfilava com seus pequenos passinhos pela cidade, solta como qualquer pedestre. Todos os dias ela passava em nossa calçada. Era uma época em que havia uma banca de revistas em nossa casa e ficávamos boa parte do dia por ali, vendo a rua. Então era comum ver a porca passar. Minha mãe e eu batizamos a porca: chamava-se Ela. E avisávamos uma à outra quando Ela vinha. Assim:

- Corre, vem ver, lá vem Ela. 

Ou comentávamos, intrigadas:

- Ela tá atrasada, né? Será que não vai passar hoje?

Ela era elegante, absolutamente indiferente aos olhares curiosos que a cercavam. Vivia muito além de nossa curiosidade: onde vivia, quem a alimentava, para onde ia assim, rebolando, todas as manhãs? Nunca soubemos.

Hoje me lembrei disso. E, de novo, larguei o computador em cima da cama e quase me levantei. Ia ligar para minha mãe e perguntar "lembra de Ela?". 

Um ano depois ainda tomo susto.


3 comentários:

caso.me.esqueçam disse...

hahaha que bonitinho! eh engracado quando a gente se lembra de certas passagens da nossa infancia que pra gente faz tanto sentido, mas que pros outros...

na vida da rita tinha uma porca famosa que andava pelas calçadas da cidade. :)

gostei!

Ana Flavia disse...

Oie!
Toda vez que der esse impulso de ligar pra "ELA"; corre aqui e conta pra gente: puro deleite nessas historias lindas, ternas, interessantes.
Aliás, falando nisso,
...outro dia, li num noutro blog que agora tem um site que transforma os blogs em livro, ai vc formata e manda imprimir... Na hora eu pensei: gente, a Rita tem de imprimir o Estrada Anil, que eu quero comprar uma cópia pra mim e outra pra dá de presente pra minha mae...
Vai, Rita, imprime o Estrada, vai, por favor. Desde que vc publicou que uma amiga imprimia cada post pra sua mae ler que eu to querendo te pedir uma copia deles pra dar pra minha mae.

Beijos

Rita disse...

Luci, adoro suas passadas por aqui, cheia de pegadas.... :-)

Ana, seu comentário é tão doce, com mel no topo. Muito obrigada por tanto carinho. Já vi uns livros de um blog que uma amiga imprimiu e achei uma graça, uma ótima maneira de presentear vovós sem o hábito de frequentar a net, ne?
Por enquanto, não tenho planos de imprimir o Estrada, mas se eu chegar a fazer isso, fique certa de que avisarei a você. De novo, obrigada. Demais.

Beijo grande,
Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }