Tempo, tempo, tempo


Foi o ano da grande saudade, como eu nunca havia experimentado antes. O ano em que aprendi a conviver com o fato de que o telefone iria tocar menos e de que a pessoa que mais me amou na vida não está mais aqui. Foi o ano em que senti uma parte de mim se transformar de maneira tão intensa que não foram poucas as vezes em que o fôlego me faltou. Ano de muitas, muitas lágrimas.

Houve Paris, por um mês. Um mês de conhecer pessoas com quem iniciei contatos na blogosfera, um mês de passeios inesquecíveis, um mês incrível para as crianças. O mês em que decidi de vez que a língua francesa não sairá mais de minha rotina. 2011 marcou minha decisão de estudar pra valer e não mais abandonar meu curso de francês. Também houve a Itália, igualmente deliciosa, na viagem com maior número de malas de que se tem notícia. De novo, a doce e louca experiência de viajar em família. Adoro. Paris? Na gente, pra sempre.

Foi o primeiro ano de minha filhota na escola e seu desenvolvimento ao longo dos meses foi inebriante para nós, sua plateia deslumbrada. Para meu filho mais velho, foi o mergulho fundo no mundo dos livros, das descobertas que eles trazem, do encantamento diante dos porquês. Foi um ano de bicicleta, patinete, videogame, gibis, joguinhos de tabuleiro e bonecos irados. Foi um ano de infância, como deve ser. Lindos, falei?

Foi um ano de várias leituras excelentes, livros que há muito passeavam pela minha lista sem fim. Foi um ano de palavras errantes que ainda não sei direito para onde vão, se vão, o que será. 

Foi um ano no blog, mais um. Passo os olhos por posts de meses atrás e gosto do que vejo. Da interação, dos comentários, dos próprios textos, por que não? Não são pérolas e o mundo passaria bem sem eles, mas dizem certo tanto de mim, de minha rotina - vai ser muito bom lê-los daqui a algumas décadas. Foi o ano dos presentes trazidos por este blog: além de conhecer pessoas incríveis e receber mimos pelo correio, recebi propostas tão lindas, tão cativantes, que... que... conto depois.

Foi um ano de alienação. Um ano voltado para meu umbigo, afastada das grandes questões sociais e políticas do país. Com ressaca da campanha do ano anterior, com o coração quebrado e uma vontade danada de escrever, mergulhei em mim e me esqueci de tudo. Não há orgulho, mas também nenhum remorso. Tudo a seu tempo, ainda que sejamos nós os responsáveis por permitir que o tal tempo chegue. Entre mortos e feridos, salvou-me a timeline mais antenada da tuitosfera para que eu pudesse ao menos saber o assunto quente da semana.

Foi ano de cozinha e muitos bolos. Mais um em que experimentei o prazer de encher a casa com aromas que atraem todos para a mesa. Dentre os pequenos grandes prazeres da vida, cozinhar para quem amamos está ali, no pódio.

Foi mais um ano ao lado de Ulisses. De tudo que a vida me traz, é sua presença que me deixa assim: achando a vida boa.

***

O que pretendo em 2012? Cobrar-me cada vez menos. Uma das boas coisas que chegam com a idade: acolher com tranquilidade a ideia de que não precisamos saber tudo, resolver tudo, explicar tudo. Além disso, quero amar mais, brincar muito e escrever sempre. Ver de perto cada etapa do crescimento de meus filhos. Falar francês, cantar alto no carro até o motorista ao lado julgar que sou louca, ir mais vezes ao cinema com Ulisses, nadar, andar de bicicleta, fazer mais yoga. Não há grandes resoluções nascendo agora. Meus planos para 2012 já foram rabiscados ao longo deste ano que está indo embora. Agora é só arrancar as folhinhas. E torcer um tiquinho.

Feliz ano novo a todos os leitores do Estrada Anil. Muito obrigada por tudo, vocês sabem o quê. :-)



4 comentários:

disse...

Querida, um ano novo maravilhoso para vc e para a sua linda familia!

Um beijo,

Anônimo disse...

Desejo a você e sua família um 2012 inesquecível. Repleto de surpresas e descobertas agradáveis para vocês!! Sabe aquele ano que quando você for velhinha, vai dizer assim para os seus netos: "Ah, 2012, que ano formidável!", pois é, é um desses que te desejo.

Paulo Marreca

Rita disse...

Dé, já sabemos que 2012 será inesquecível para você, ne? Então torço para que todas as novidades venham cercadas de muita luz e amor pra você.

Paulo, que desejo mais bonitinho! Obrigada, viu!! Você vai fazer parte do meu ano novo, tá sabendo, ne? Então vumbora, tim-tim!!

Abraços, gente!

Rita

Ramon Porto disse...

Todo final de ano fazemos o nosso balancete pessoal, fazemos as nossas reflexões sobre as nossas escolhas, se trilhamos o caminho certo e por onde devemos caminhar.
Espero que a trilha deste novo ano esteja repleto de momentos de felicidade, paz, amor, saúde, fé, sucesso, amizades verdadeiras e novas amizades.
Feliz Ano Novo Rita =D
abraço

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }