Beleza interior e meu piloro centrado


Daí que na semana passada tive maus momentos. Uma dor forte, na altura da garganta, resolveu me tirar o sossego. A suspeita inicial foi, como já falei, mais uma laringite para minha coleção. Eu havia acabado de curar uma, achei que tivesse voltado. A médica que me atendeu nessa última laringite tinha sugerido que eu procurasse um gastroenterologista, para dar uma conferida na extremidade do esôfago. É que, durante a laringoscopia, ela tinha percebido o senhor esôfago levemente irritado (laringoscopia: o nome é feio, mas o exame é tranquilo; o médico enfia um tubo láááá na sua garganta enquanto segura a ponta da sua língua para poder enxergar o âmago do seu ser - como falei, bem tranquilo). Bom, quando a dor pegou pra valer, fui a outro otorrino que confirmou o diagnóstico do primeiro: garganta okay, esôfago estranho. Tá bom, tá bom, vou ver um gastro.

Fui a uma médica que me ouviu atentamente e fez o que todos os gastroenterologistas fazem, pediu uma endoscopia. Enquanto isso, eu já tomava um remédio para controlar a acidez que, de acordo com a suspeita dos dois otorrinos e da gastro, seria a causa da tal irritação do esôfago. No final de semana a dor pegou pra valer. Na segunda-feira senti uma melhora considerável e fiz a tal endoscopia (zero stress, apaguei com a anestesia e acordei me sentindo ótima). Fiz um hemograma completão e hoje voltei à médica para saber da endoscopia. O resultado foi muito bom, mas não conclusivo. A endoscopia revelou uma gastrite levíssima, coisa tola que o remédio para controle da acidez já vai resolver. Revelou também que meu esôfago é lindo de morrer, todo preservadinho e tals, um fofo, nem sombra da irritação observada pelos otorrinos. De quebra, fiquei sabendo que tenho o piloro bem centrado - não me perguntem - além de outros detalhes legais, como não sei o quê preservado e não sei que lá sem alterações. Enfim, sou linda por dentro, coisa que o hemograma corrobora com meu colesterol bonitão. Mas. Tem um mas. A dor não veio do nada, segundo a médica. Eu até já tive uma dor que não era dor, mas não parece ser o caso dessa vez. Porque é possível ter a doença do refluxo sem que seu esôfago exiba as cicatrizes. E apesar do hemograma ser simpático, existe uma infecção mequetrefe na parada, cuja localização desconhecemos (sinusite ou qualquer coisa nas vias respiratórias descartadas). Então sigo tomando o tal remédio, evitando café e chocolate (oi?), tomando um antibiótico para a infecção e aguardando o desenrolar da tal dor que agora se resume a um leve incômodo. Essa sou eu, de piloro centrado, linda por dentro, com uma dor misteriosa na garganta.

Às vezes acho que já vi esse filme. Nossa cultura de tomar remédio talvez me impeça de ser mais paciente, esperar e não tomar o antibiótico, suspender o controle de acidez e ver qual é. Não ouso, sigo o fluxo. Em meio a tudo isso, uma médica com atendimento completamente acima da média (pelo menos para mim). Consulta detalhada, com atenção ao meu histórico e ao de minha família, papo olho no olho, paciência, pontualidade. O retorno manteve a qualidade da primeira consulta. Saí do consultório com o número de seu celular para avisar sobre o resultado do raio-x que ela pediu para descartar infecções no sistema respiratório. Tentei ligar, mas ela  não pôde atender; uma hora depois me ligou de volta e me pediu para mantê-la informada nas próximas semanas. :-) Olha, só em final de gravidez uma médica me pediu para  mantê-la informada. Enfim, sigamos.

Daí você descobre que toda fruta que você ama é ácida, que consegue viver bem com um café (com leite) por dia e com várias toneladas de chocolate a menos por semana. Não vou reclamar*, não enquanto tiver meu piloro bem centrado.

***

* Eu vou reclamar, sim. Quero meus cafezinhos no meio da tarde, buá. 

4 comentários:

Tina Lopes disse...

"Nossa, que moça centrada" - "Sim, desde o piloro".

Luciana Nepomuceno disse...

ahahahha, eu IA comentar, mas depois de ler a Tina eu só consigo rir...

Juliana disse...

eu li esse post mais cedo no reader, pelo celular, e passei o tempo too achando que era um post do blog da Lola. Aí fiquei pensando que meu deus, tá todo mundo com refluxo.

Eu bem que achei que o estilo da Lola tinha mudado, mas ... tô aqui dando risadas! não das suas dores, claro. =)

Rita, eu fiz esse exame que o médico segura língua. Agora que conheço alguém que sabe do que tô falando, posso confessar: eu chorei durante o exame. Eu não queria chorar, não tinha razão pra chorar, mas as lágrimas desciam, desciam. kkkkk Gente, que pavor daquele tubo horroroso dentro da tua boca e o cara segurando a tua língua. Trauma eterno! Irc!

Que bom que o seu piloro tá no lugar certinho! =)

Dária disse...

Minha mãe morre de medo de endoscopia, sabe-se lá porque, e a médica dela já a mandou fazer mil vezes (suspeita de gastrite). Eu até me ofereci pra fazer uma sem necessidade dia desses, pra dá coragem, que nem se faz com criança kkkkkkkkkkkkkk

Esta história do piloro centrado me lembrou umas ultras da tireóide que fiz na adolescência. O médico enquanto passava a maquininha na minha garganta dizia: "meu deus, mas porque te passaram este exame? sua tireóide é linda, linda!"
Em um tom feliz e empolgado. Fico imaginando como eram feias as tireóides que ele via por aí rss

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }