Cárcere




Queria escrever um livro que me libertasse. Queria ser uma artista e enfeitar o mundo, dançar tão lindo que quem me visse se sentisse suspenso. Queria bordar uma colcha bem grande, com muitos metros de história, ou quem sabe pintar uma aquarela em azul e amarelo. Eu queria muito ser capaz de desenhar com traços livres e fazer gravuras sombreadas com manchas espalhadas por meus dedos. Queria ter dedos firmes e obedientes que fossem prolongamentos dos pincéis. Queria pincéis mágicos e telas largas, passar meus fins de tarde em um banquinho de madeira, tamborilando a perna do cavalete com meu dedão descalço durante o nascimento de meu quadro de mar. Andar descalça, somente. Costurar: fazer uma saia bem dançante e uma blusa com ombros bonitos que aparecessem sob meus cabelos sempre soltos. Cabelos coloridos pela tinta de meus dedos. De minha boca, canções e poemas, "kindness glides about my house"*, sem julgamentos ou filosofias, meu olhar todo, todo ocupado em amar. No palco, voz. E saltos. Voar em um trapézio. Queria criar um personagem tão surpreendente quanto um grito. Elevar a voz, soprano e sem medo. Que as cordas do violino não me escondessem segredo algum. E que o barro quase me implorasse por uma forma que já existisse aqui em minhas mãos de artesã.

Daqui, da minha cela, a vista da janela é linda. E dentro dela tem você. Você que aponta e me mostra o exato lugar onde está guardada a chave.

____________ 

*In Kindness, by Sylvia Plath.

10 comentários:

Angela disse...

Queria escrever textos deslumbrantes assim!

Renata Lins disse...

Lindo lindo texto à mão solta, como uma pintura feita com os dedos em azul e amarelo... e a janela no fim, abrindo pros novos horizontes. Que tão lá,mesmo que a gente não veja ainda....

Amanda disse...

Tô sentindo cheiro de revolução no ar...

Dária disse...

Como disse a Angela: e eu queria escrever assim!

Vivien Morgato : disse...

A Angela me roubou o comentário.;0)

Luciana Nepomuceno disse...

Tudo que disser poderá ser usado contra mim ;-)

Lílian disse...

Lindo, tocante, delicado. Adorei!

Rita disse...

Ô, gente, vocês são uns doces, obrigada.

bjs
Rita

Anônimo disse...

E você uma escritora de mão cheia!!! Lindo texto!
Ju

Natália disse...

Não tô exagerando quando digo que me emocionei com esse texto. Que lindo! Parabéns!

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }