Já boicotei por menos

Já comprei e recomendei diversas vezes as roupas da Zara. Alguns meses atrás, virei fã da ala infantil, com roupas de alguma qualidade a preços razoáveis. Agora, claro, não mais. Em papos rápidos sobre o assunto, vejo que algumas pessoas alegam que não adianta boicotar, "os trabalhadores na China não têm sequer uma política que garanta os mínimos direitos trabalhistas". Sei pouco ou quase nada da China. Aqui, no Brasil, há leis trabalhistas. "Muitas outras lojas devem fazer o mesmo". Não sei das outras - à medida que for descobrindo quaisquer ligações ao trabalho escravo, vou engordando o boicote. Agora sei das acusações contra a Zara. Basta, pra mim. Não vou consertar o mundo, não vou erradicar o trabalho escravo na China, mas vou deixar de consumir os produtos vendidos por uma empresa que comprovadamente supostamente* se aproveita de pessoas em situação de miséria para aumentar seus lucros. Isso eu posso fazer. E nem acho que seja tão pouco assim. Há anos boicoto uma empresa de calçados porque eles não trocaram um par de tamancos que vieram com defeito; boicotar uma loja por trabalho escravo, então, só se for agora.


*Update: Acho importante fazer um adendo. Da mesma forma que há leis trabalhistas, há também leis processuais e jurídicas segundo as quais ninguém pode ser considerado culpado até o trânsito em julgado de qualquer ação. Até onde sei, os vínculos da Zara com trabalho escravo em sua cadeia de produção são recentes e, imagino, a loja deve se defender sei lá como. Então faço a devida ressalva e substituo o comprovadamente por supostamente, caso o tempo nos mostre que a Zara é inocente nessa história (duvido, mas vocês me entendem, né?).

7 comentários:

Tina Lopes disse...

Assino embaixo, gata, dane-se que todo mundo faz, conforme forem surgindo os exploradores, meu dinheiro vão deixando de receber. (tá lendo Mrs Dalloway, own).

Mariana disse...

Também boicotei!!! bjus!

Grazi disse...

Concordo com vc ... boicote já !!!

Daniela disse...

O mesmo aqui. E já tô pensando em boicotar a Natura por causa disso aqui: http://www.redebrasilatual.com.br/temas/trabalho/2011/08/vendedoras-natura-sem-direitos-e-com-riscos-financeiros

Anônimo disse...

Boicote já!
Ah, tadinha da Zara, nem sabia porque a mão de obra era tão baratinha, né?
imagina! É muito triste saber que uma grande empresa se aproveita das fragilidades do nosso sistema pra obter lucro fácil.
Larissa

Rogério disse...

Costumo boicotar empresas e marcas, basicamente por dois motivos: ou a qualidade é ruim, ou a linha de conduta das empresas não bate com meus valores. Nunca me ofereçam nada da Motorola, que me vendeu um celular bichado (o primeiro defeito deu o ar da graça na primeira semana de uso) e a empresa me obrigou a procurar o Procon, porque simplesmente me ignorou e se recusou a substituir o aparelho. Motorola nunca mais. Também não compro nada da IBM, pelo passado negro da empresa de colaboração com o regime nazista, bem como, mais recentemente, Nokia e Siemens, que desenvolveram para a ditadura do Irã (e, parece, da China) softwares de identificação e interceptação de e-mails da população, o que resultou em prisões e mortes. Eu era fiel à Hering, agora nem tanto, depois que comprei uma bermuda em cuja etiqueta constava a inscrição 'Made in CPR'. Sei que não vou consertar o mundo, como você disse, mas me recuso a alimentar monstros.

caso.me.esqueçam disse...

ah, se a gente soh for fazer coisas, tomar atitudes que vao salvar o mundo, a gente deixa de fazer tudo, porque sozinho ninguem vai nunca dar conta de nada. eu levo minha vida pra deixar minha consciencia em paz, porque pra deixar o muuundo em paz, luci precisaria ser mais do que uma luci.

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }