Jardin des Plantes com leitora: Paris com blog é ainda melhor

La vie, belle.

E cadê tempo para vir aqui contar das andanças? E por falar em andanças, eu não caminho em um mês em Florianópolis o que caminho em um dia por aqui. E as pessoas ainda me perguntam como consigo emagrecer nessa cidade de croissants e baguetes e eu é que pergunto: como cargas d'água vocês conseguem acumular peso com essa andação sem fim? Ou seja, todo mundo reclama. Pois bem.

***

Dias depois de contar aqui no blog que viria para Paris, recebi um e-mail de uma leitora. Era a Carol, uma brasileira que mora em Paris há quatro anos, oferecendo-se para, quando chegássemos aqui, fazer um passeio com a gente. Atualmente, a Carol é pesquisadora em uma universidade de Paris vinculada ao Museu de História Natural, então ela sugeriu nos levar ao Jardin des Plantes, o Jardim Botânico onde fica o museu, e mostrar as atrações do lugar para o Arthur e a Amanda. Fiquei muito feliz com a delicadeza dela, trocamos mensagens e telefonemas e ontem conseguimos nos encontrar lá no próprio Jardin des Plantes. Ah, gente, que delícia. Tudo: o lugar, o passeio, a bicharada, os canteiros, ainda com um quê de primavera e, principalmente, a Carol.  

Olha a carinha boa da Carol - tudo de bom saber que tem gente tão legal do outro lado desse blog.


Li em meu guia de viagem que o Jardin des Plantes teve lugar de destaque no mundo científico na época em que teve como curador o conde de Buffon, bem no tempo em que o estudo da história natural estava em seu auge (Darwin estava a todo vapor em suas pesquisas). A Carol nos contou, inclusive, que um dos destaques do Museu de História Natural é justamente a Grande Galerie de l'Evolution - nós precisamos voltar ao Jardin para ver o museu, já que ontem não houve tempo para tudo. Durante boa parte da tarde, ela nos guiou pelo zoológico do Jardin des Plantes e virou a pessoa mais legal do planeta para meus filhos (olha a alegria da Amanda na foto acima). Vocês já sabem que fico aflita em zoológicos, mas mesmo assim sou obrigada a admitir que o passeio de ontem foi inesquecível.  O que pega pra mim é que não adianta muito o fosso do crocodilo ser grandinho, o aviário ser bem espaçoso ou a jaula ser enorme: os bichos poderiam ter a mata toda, o rio todo, o céu todo, então morro de pena. Não consigo evitar a sensação de que eles estão ali a nosso serviço, privados da liberdade deles. No caso do zoológico no Jardin des Plantes, existe outro lado da história, como a preservação de certas espécies ameaçadas ou estudos que visam à proteção dos bichos. Mesmo assim sigo aflita. Já as crianças... adoram! Adoram tudo, os bichos grandões, os bichos minúsculos, os bichos quietos, os bichos espertos, os fofinhos, os mal encarados. E, para a festa ser completa, havia várias espécies com filhotinhos... ai, que fofo!


Desculpem-me pela foto ruim, mas nós ficamos um tempão babando com o chamego de mamãe dromedário e seu filhotinho de DOIS DIAS de vida!! Ele estava tentando ficar em pé... ai, gente, coisa mais fofa ever.

Dona Amanda e Dona Iguana (Amanda é a de tic-tacs o cabelo).

Meu coração apertado...

Os inacreditáveis íbis vermelhos - de longe, a gente vê esse vermelhão colorindo o mundo.

Toda a graça dos flamingos anões...

...e toda a pompa de seus primos grandões.

Eu sei que é só uma aranha, mas gente!, ela é da Paraíba! Uma conterrânea, eu não poderia deixar de publica sua foto aqui. (ui)


Durante a maior parte do tempo que durou nosso passeio, Amanda pulou, correu, sorriu, gargalhou, saltitou e fez fofuras diante dos bichos. Foi ao céu quando deu palhinha na boca dos cabritinhos, vibrou com os flamingos cor-de-rosa (aff) e babou diante das corujas (eu também). O Arthur matou sua vontade de ver cobras, trocou um monte de ideias com a Carol e brincou de procurar camaleões disfarçados.

Linda!

Não tem condições... para mim, o ponto alto da visita ao zoo.

E quando uma delas abre as asas, aí que vejo quão longe ela poderia ir.

A Carol de tudo participava, era nossa guia e também a diversão das crianças.


Ainda nos levou por um passeio em meio a canteiros com jeito de abril e, para encerrar com chave de ouro, foi com a gente ao pomar onde as crianças comeram frutinhas colhidas na hora. Eu não faço ideia de como vou um dia agradecer à Carol pelo passeio maravilhoso que ela nos deu de presente. 


Arthur no pomar.

Achei!

Nós adoramos cada minuto de nossa tarde e ainda esticamos o encontro até o finalzinho do dia. Quando o zoológico fechou, a Carol nos guiou por algumas ruas bem antigas de Paris que preservam algumas das características de outras eras: ruas estreitas, de pedra, que serpenteiam morro acima... todas elas cheias de restaurantes, cafés e creperias com suas mesinhas invadindo as ruas.


Nós nos escondemos em uma minúscula casa de tortas e comemos uma variedade de especialidades dessas bandas. O lugar era bem pequeno e a Carol nos contou que a maioria dos estabelecimentos daquela região são mesmo assim, já que estão instalados em construções muito velhas: nossa casa de tortas tinha o teto superbaixo, cinco ou seis mesas apertadinhas no lugar e uma cozinha que certamente deveria ser bem pequena lá atrás - e só. E nós, enchendo tudo de barulho. Depois de comer nossas tortinhas em nossa taverna com jeitinho medieval, fomos à cata de uma boulangerie que ainda estivesse aberta e compramos as baguetes do Ulisses (viciou, o menino); aí nos despedimos da Carol - mas só por uns dias porque a gente ainda pretende dar um jeito de se encontrar de novo.

O lugar feio onde a Carol trabalha.

***

Carol, muito obrigada. Foi tudo, tudo de bom. :-)

11 comentários:

Luciana Nepomuceno disse...

Lindo passeio...flamingos \o/

e, sim, que delícia que o blog promova tantas belezas e encontros, fico comovida.

Bjs

Grazi disse...

Rita,
tb fico com dó dos bichinhos presos nos zoológicos.
mas o post e as fotos estão lindas.

Angela disse...

Mais uma vez: esta colhendo o que plantou. :) Carol simpatica nao eh? Esse passeio foi um baita de um agrado viu? Lindas fotos!

Agora, vou me recuperar de uma noite com Paul Banks e Bono, gracas ao seu post, que me deu o ultimo empurraozinho que eu precisava. Por sinal, agradeco! Estou grata por ter ido, muito especial.

Beijao!

Lílian disse...

Que dia bacana e que legal demais a Carol! PONTO PARA A ARANHA PARAIBANA. Só tu mesmo, Ritalice...kkk... Adorei o registro - ainda bem que ela não está perto das corujas, né. Acho que não ia sobrar conterrânea!

BJOOO!

Claudia Serey Guerrero disse...

Ritaaa! adorei ver o bebe dromedarioo, eu te disse neh que nos fomos la ha 15 dias.. e a mamae tava ali so esperando nascer.... :)
Eu tambem adorei esse jardin... ei a anedota desse parque eh.. Mathieu qdo crianca 5 anos mais ou menos, fez excursao com a escola para visitar esse parque..e ele caiu dentro do espaco dos flamingos, imagina... segundo ele (na cabeca de uma crianca e ha varios anos atras)os bichos sao brabos e correram atras dele..hhii e estavam prestes a ataca-lo...qdo um seguranca do parque o tirou de la... qdo passamos por la... vigiamos bem Henri por via das duvidas hahaha... beijinhos, Claudia

Mariana disse...

Que joia o passeio Rita! e que sorte ter uma leitora-guia tão simpatica e conhecedora do lugar! Nos ja moramos quase ao lado do Jardin e iamos passear muito ali, qdo a Sofia era bem bebê... mas ainda não conhecemos nem o zoo nem o museu que todo mundo recomenda! Mto legal o post!

Mariana disse...

ps: e essa aranha??? paraibana ou não...socorro!!!

Anônimo disse...

Que passeio lindo!
Nunca mais comentei, mas estamos acompanhando tudo daqui!
Bjos!
Larissa

Vivien Morgato : disse...

quando fui pra Recife tive a sorte de encontrar três amigos blogueiros que me deram dicas e me levaram em lugares bacanas: o olhar do amigo blogueiro seeeempre redimensiona, né?

Eu fiquei bastante tempo off, procurei aqui, mas não achei..vc está e férias ou vai fcar mais tempo?

beijos

Rita disse...

Oi, pessoas.

Mariana, foi uma delícia mesmo, vamos voltar lá para ver o museu, ou pelo menos pretendemos voltar.

Larissaaaaaaaaaaaaa, que saudades!!

Anginha, oba! Que bom que foi ao show!!

Lilian, viu, as paraibanas estão em todas. Com ou sem pelos. Bj!

Grazi, obrigada, beijocas!

Lu, flamingos são fofos demais, né? E o pé pra cima, quem aguenta?

Claudia, coisa mais fofa do mundo a mamãe e o bebê dromedário. Sem condições, a gente ficou cheia de óóó e aaahhhh, etc. :-)

Vivien, volto já já pra casa, guria! Curso de francês de um mês!

Beijocas
Rita

Caso me esqueçam disse...

"Eu sei que é só uma aranha, mas gente!, ela é da Paraíba! Uma conterrânea" hahahahahahahha eu ri, viu! que bonitinha!

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }