Aquela Paris...


Sabe aquela que habita nosso imaginário, aquela que aparece nos filmes, que é mencionada em textos literários, que é referência pelos cafés onde o Fulano Escritor, o Beltrano Filósofo e a Fulana Feminista circulavam? Aquela Paris fica em Saint Germain des Près. E eu não tenho nenhum problema em admitir que sou turista encantada que curtiu cada passinho dado em nosso passeio de hoje, do qual nem esperávamos muita coisa, mas que nos presenteou com uma das tardes mais divertidas até aqui. Fomos a St. Germain reclamando que o D'Orsay estaria fechado hoje, fazer o quê, vamos lá ver o que tanto se badala desse bairro. E aí vimos todo o charme do mundo concentrado em suas ruas apinhadas de cafés, lojas, livrarias, floriculturas, creperias, croissanterias (!! o céu, meu povo!!) e chocolaterias (aiiiii...). Reconhecemos a Paris que surge em nossas cabeças quando ouvimos as velhas canções francesas ou pensamos na cidade dos sonhadores, dos artistas, dos poetas. St. Germain rima com Paris, rima com o que sonhamos sobre a cidade. St. Germain tem poesia. É assim.

É preciso sair um pouco da linda e arborizada Boulevard St. Germain e se perder nas ruas menores que nascem dela; ali estão pérolas em forma de cafés e restaurantes tão lindinhos que temos vontade de comer um pouquinho em cada um deles. As mesas invadem as ruas e não sei se tivemos muita sorte ou se é sempre assim, mas conseguimos nos locomover com facilidade, sem enfrentar muvucas ou multidões - o que me surpreendeu: onde estão todas as pessoas de Paris que não estão em St. Germain? Por que elas fazem isso? :-)

Nossa visita, de novo, começou por uma igreja, dessa vez a mais antiga da cidade. Um pouco combalida, com ares de quem pede uma tintinha aqui, um reboquinho ali, a igreja de St. Germain des Près abriga, entre outros, o túmulo de Descartes. Tem vitrais enormes e algo na estrutura de suas colunas me fez gostar mais dela do que de St. Sulpice, que visitamos ontem. Fico boba pensando que aquela coisa imensa foi erguida no século XI (mas as primeiras estruturas já existiam desde o ano 542).






Se tem cores, Amanda gosta, mesmo que sejam velas num corredor escuro.

Deixamos a igreja e seguimos por ruazinhas perpendiculares à Boulevard St. Germain. Passamos pelo Marché Couvert que tem de lojas de roupas a lojas de peixes. Não nos detemos muito, pois queríamos explorar o bairro, ainda assim aproveitei um pouco dos tais soldes de verão e comprei roupas para as crianças por preços excelentes, mesmo considerando a conversão da moeda. Quem me falou não exagerou: vale a pena, sim.

Quem conhece a Amanda sabe de sua paixão pela cor rosa. Descobrir que existem comidas cor-de-rosa foi para ela, talvez, a maior alegria que Paris lhe trouxe até agora. Na primeira vez que compramos macarons pensei que seus olhinhos fossem saltar das órbitas tamanho seu encantamento pelo doce. Hoje a vi em êxtase diante da vitrine de uma chocolateria com a qual demos de cara quando saímos do mercado. A carinha dela caminhando pelas ruas de St. Germain e carregando sua sacolinha preciosa, contendo uma caixinha de macarons coloridos, nunca vai sair da minha cabeça. Nunquinha. 


 

Paris é linda, sim.





Escolhemos um café qualquer para nosso crepe de chocolate e acertamos no sabor e no preço. Comemos bem sem pagar absurdos e nem deu tempo de fotografar a panqueca do Ulisses, vejam só. 




Fotografamos o Deux Magots, mas o Hemingway não estava lá. E, olha, mesmo se estivesse, eu ainda teria ido ao Moliére - era lá que o Ulisses estava (momento óóóóó, sweet).


Também não vimos Beauvoir ou Sartre, quem sabe na próxima. Eu volto lá, fácil.



Arthur, à caça sabe-se lá de quê na livraria ao lado do De Flore.

***
Daqui a alguns meses, quando a gente estiver com saudades desse julho, vou me lembrar de Amanda com sua sacola de guloseimas coloridas, dos cafés de St. Germain e da sensação boa que compartilhamos hoje, Ulisses e eu: que bom que a gente veio.



13 comentários:

Lílian disse...

Devo dizer que estou um tanto frustrada porque, pelo menos no meu computador, várias fotos deste post não abriram (quem sabe mais tarde...). E ontem, quando quis comentar o post do parque, o blogger estava em branco. Boicote!

Mas as aventuras estão ótimas e eu vou falar uma coisa beeeeem boba - mas vou falar: TÔ ADORANDO O FUSO HORÁRIO DO CIRCUITO PARIS-JOÃOPESSOA... Melhor até que o programa do Jô em horário de verão: porque cedinho, cedinho, a gente já pode assistir!... :-)))

BJUS, PETIT!

Mariana disse...

Sabe aquela pessoa que conhecendo Floripa pela primeira vez, visitando digamos, o Campeche, vira para o manezinho e pergunta: Vc vem aqui todo dia? E o manezinho responde: não, né ô! E o turista: mas como não?! Por que????
Então... é um pouco a mesma logica. Esses lugares lindos a gente visita às vezes, qdo vamos procurar algo especifico, qdo vamos levar um(a) amigo(a) para conhecer. Mas mais dia menos dia a gente vai fazendo como os parisienses e explorando o nosso quartier mesmo, porque a correria é muita e o tempo urge!
Hoje quando eu visito Floripa eu me dou conta mais do que nunca do quanto ela é linda. Porque agora sou de fora. So um visitante para ver a poesia onde o morador so vê a normalidade cotidiana. Por isso é legal ver Paris pelos olhos de turistas passionnés como vc Rita!

ps: qdo vamos fazer outro programitcho com as crianças? sera que no weekend rola pra vcs?

bjus!!!

ps: não esquenta com as fotos, viu?

Mariana disse...

ps2: a maioria das fotos do post não abriu pra mim também!

Angela disse...

Nao vi St. Germain mas vi a Amanda. :) Lin-da!!!! Mais gostosita do que os macarons.

Luciana Nepomuceno disse...

que bom que. vocês foram. e as fotos não abrem, mas aí eu usei a criatividade...bjs

Rita disse...

Gente,vou carregar as fotos outra vez, esse picasa só tem me feito passar raiva.

bj
rita

Tina Lopes disse...

Aê! Agora deu! Quase comprei um Moleskine na livraria ao lado do Cafe de Flore. =) Ai meu coração.

Anônimo disse...

Oi Rita,

Comecei a ler e pensei: "Lá vem a Rita reclamar da terra de novo! Na segunda linha pensei, ela vai dizer que "aquela Paris não existe"...Adorei minha decepção quando vc não escreveu isso. Adorei o post, adorei as fotos, adorei saber da felicidade da Amanda, adorei que você adorou SGP! Ah, e adorei as fotos!

Beijos,

Paulo M.

Mariana disse...

Funcionou! Que linda a foto dos dois com a sacolinha cor de rosa!!!
ps: fui na Place d'Italie hj e ainda tinha varios vestidinhos em liquidação!!!

Rita disse...

Oi, pessoas!

Espero que vocês tenham voltado todos para ver o post com as fotos em ordem. Foi mal, o picasa me deixou na mão. Enfim, Paulo, não vivo só de reclamar, né, hahahaha.

Tina, você é muito chiquereterrésima.

Mariana, estou esperando você me ligar!!!

Beijocas
Rita

Mariana disse...

Tô ligando amanhã então!
bjus!

Joana Faria disse...

Meu coração na mão agora...
Estou MORRENDO de saudade dessa cidade.
Ah, Rita, Paris é muito especial, não é?
Sabe, eu tenho uma teoria sobre Paris. Vou colocar lá no blog quando eu postar as minhas fotos. Acho que você vai concordar comigo. :0)
Ah, e sobre a Amanda: você deve estar explodindo de ORGULHO! Sua filha já virou francesa! Que linda!
Beijos e a bientôt!

Rita disse...

Joana, sabe o que pensei? A gente ainda dá um jeito de vir aqui de novo, na mesma época e tomar aquele vinho em SGP. Né? Por que não?

Beijos
Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }