Celebrando


Ulisses e eu não tivemos celebrações de casamento civil ou religioso. Fizemos apenas a lavratura de uma certidão de união estável porque precisávamos instruir meu processo de remoção no trabalho para que pudéssemos morar e trabalhar na mesma cidade. Já morávamos juntos, mas eu me deslocava para a cidade vizinha todos os dias. Foi um gesto simples e sem qualquer burocracia. Fomos a um cartório, apresentamos nossos documentos de identificação e a certidão já redigida conforme um modelo que conseguimos nem sei onde, colhemos as assinaturas de duas testemunhas e, tchan-ans, estávamos "oficialmente" juntos. Para nós não mudava nada, nossas vidas não poderiam ficar mais unidas que aquilo, mas avisamos às instâncias superiores do órgão onde trabalhamos que éramos um casal. Deu tudo certo, fui removida e a vida seguiu. Para todos os fins legais, somos casados. Para os outros fins, somos casados também.

Foi tudo simples assim porque somos um casal heterossexual. Se fóssemos dois homens ou duas mulheres, não teríamos um episódio tão plano para contar. Teríamos frustração, revolta e a sensação de ainda se viver em outros tempos. Não mais, no Brasil, no entanto. Essa semana, enquanto eu andava às voltas com festinhas e brinquedos (meus assuntos estão todos atrasados), o país acompanhou ao vivo a decisão unânime do STF que considera que homossexuais e heterossexuais têm direitos iguais em relação à união estável. Comemoramos, Ulisses e eu, comentando no carro o fato de que agora os casais homossexuais poderão ter algo que para nós não custou um cabelo branco.

Seria melhor se não precisássemos que o STF desse o aval para o que deveria ser óbvio, mas vamos comemorar mesmo assim. Parabéns a todos que se beneficiarão com a decisão, parabéns ao país por passo tão bonito. Tim-tim!

8 comentários:

disse...

Até que demorou, né? Aqui na França qualquer casal, hetero ou homo, podem fazer o PACS (desde 1999), como é chamada a uniao estavel aqui. Conheço casal de homossexuais que fizeram e casal de hetero também. Ultimamente o pessoal "pacseia" mais que casa. Para fins burocraticos, da' no mesmo.

E quando alguém faz o PACS, seu estado civil vira "pacsé". :)

Adiantando o seu curso de francês, hehe...

Beijocas!

larissa disse...

É demorou, mas na justiça e em todas as esferas "oficiais" as coisas só acontecem depois que já são pacíficas na sociedade como um todo, e como sabemos a sociedade em que vivemos é cheia de restrições e preconceitos. Então o STF, apesar de atrasadinho seguiu uma tendência mundial, mas com a cautela necessária, apenas consolidando um entendimento que ja existia, o INSS por exemplo, há algum tempo considera como dependentes para fins de pensão por morte o companheiro homoafetivo, assim como a receita federal para fins de imposto de renda. Enfim, foi uma evolução a ser comemorada!

Borboletas nos Olhos disse...

Fiqueimuito emocionada e, embora tenha a exata dimensão do tanto que falta, sou das que acha que um eeebbbaaa a cada conquista vale bem a pena. Bora brindar.

Rogério disse...

Interessante a sua abordagem. Como disse um deputado (não foi o Bolsonaro), se os homossexuais têm todos os deveres civis, por que não todos os direitos civis, também?
É uma conquista da sociedade como um todo, independente da orientação sexual das pessoas e dos rótulos que alguns segmentos sócio-político-religiosos insistem em impingir a elas.

Rita disse...

Oi, pessoas boas.

Eu só fiquei sabendo no dia seguinte à votação. Fiquei bem feliz por quem vai se beneficiar de alguma forma. E porque pra frente é que se anda, né. Demorou.

Beijocas procês.

Rita

Lara disse...

Sabe o que é mais recompensador de tudo?
Quando vc está atualizando a lista de textos para ler, sem pretenção de encontrar textos fora do senso comum, e se depara com um texto como o seu, que não foi esperado, mas que é muito bem vindo, proporcionando um sentimento de mais, mais esperança talvez?

Enfim,
adoro seus textos, e por consequência seus filhos,
;p
bjs

Anônimo disse...

(Lara, o blooger apagou seu comentário durante a pane dessa semana. Reproduzo aqui, colando lá do meu e-mail)

_____

Sabe o que é mais recompensador de tudo?
Quando vc está atualizando a lista de textos para ler, sem pretenção de encontrar textos fora do senso comum, e se depara com um texto como o seu, que não foi esperado, mas que é muito bem vindo, proporcionando um sentimento de mais, mais esperança talvez?

Enfim,
adoro seus textos, e por consequência seus filhos,
;p
bjs

Lara (http://boemiainveterada.blogspot.com/)

Rita disse...

E eu respondo:

adorei seu comentário, Lara. Muito obrigada pela gentileza, venha sempre e fique à vontade.

Abraços!
Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }