De cisnes e outras belezas



Está tudo pronto para a volta às aulas. Ontem fomos à escola entregar o material escolar, conhecer as novas professoras e também as salas-de-aula. A mochila está a postos, a lancheira aguarda as comidinhas e os uniformes descansam na gaveta, curtindo seus últimos dias de tecidos sem mancha. Enquanto o Arthur anseia por reencontrar os amigos, Amanda devaneia sobre o que a espera, os olhinhos voltados para o teto, filosofando "é, vou obedecer à pofessola, senão vou pa sala da Isabel..." - como, vocês podem perceber, o irmão já tratou de ensinar a ela o nome da coordenadora.

Foi bom ver que as salas são praticamente vizinhas, o que deve facilitar bastante a logística na hora da chegada. Talvez seja bom para a Amanda saber que o irmão está logo ali, ao lado; talvez isso seja ruim para a professora dela. Talvez isso atrapalhe a concentração do Arthur. Talvez eu devesse parar de tentar adivinhar chuva. Talvez eu devesse simplesmente me lembrar de como eu amava tudo isso quando tinha a idade deles. Talvez eu devesse acreditar que minha mãe estará vendo a Amanda em seu primeiro dia de aula.

Infantil C e 1º ano: meus assuntos para 2011.

***

Amanhã Tia Maria faz 81 anos. Vocês já sabem dela, porque em seus 80 eu espalhei aqui. E pode ser que amanhã seja triste por causa do abraço que ela certamente receberia ao nascer do sol, enquanto levasse o café da manhã para minha mãe em sua cama. Pode ser que ela sinta tanta falta desse abraço que seu sorriso fique amarelo ao receber os muitos outros abraços que virão. Pode ser que me falte a voz ao telefone. Pode ser que ela nem consiga me ouvir em meio às suas próprias lágrimas. Mas também pode ser que a gente consiga suspender o choro e celebrar sua vida longa que nos traz tanta alegria. Porque mesmo com todo o tamanho da falta que mamãe fará amanhã, nossa felicidade por ter minha tia conosco é imensa também. Feliz aniversário, tia. Muitas saudades.

***

Ontem fomos ao cinema ver Cisne Negro. Não vi nenhuma das atuações das outras atrizes que concorrem ao Oscar de melhor atriz, mas fico me perguntando quem irá superar a Natalie Portman. E o cisne negro surgindo é uma daquelas cenas que entram para a história do cinema. Lindo. Andei lendo no blog da Caminhante algumas histórias interessantes sobre o mundo da dança - o mundo que eu gostaria de ter frequentado, mas que não estava no script que me foi dado quando nasci e que não cabia mais na refilmagem que fiz depois - e, vendo Cisne Negro, chego a ficar arrepiada diante do potencial destrutivo que competição e vaidade carregam consigo. Mesmo que seja Tchaikovsky tocando, mesmo que seja a bailarina voando, plainando sobre seus pés magoados por tantos sautés, ali está a vaidade nos rondando e nos lembrando que seria bom, sim, se o mundo fosse só leveza e arte, mas que, infelizmente, lá estão os bastidores (os do teatro e os da nossa cabeça) cheios dos fantasmas mais tenebrosos. Ainda bem que sou teimosa e a beleza me desarma.

***

Fevereiro já está atravessando a rua e só agora agradeço um mimo que me foi dado em dezembro. Veio da leitora Danielle, de seu blog colorido. Danielle, querida, muito obrigada por seu carinho, não repare no atraso nem na minha mania de não seguir todas as regrinhas dos tais selinhos, viu? A gratidão não é menor, acredite. Quanto à imagem que seja significativa para mim, que deve acompanhar o selo (para não dizer que não falei de regras), vou ficar com o poderoso cisne negro da Portman, minha dor de cotovelo particular por não ter sido bailarina. De texto ficam os acordes inebriantes da música de Tchaikovsky que não saem da minha cabeça desde ontem, sorte minha. :-)



9 comentários:

Marina Teotônio disse...

Eita lê lê!!!!
O filho de André com seu contraditório apelido de "Andrezinho" faz hj seus15 anos, com 1,90m....e combina com a Tia Maria....q meu juízo sempre processou ela como se fosse uma avó pra mim, contraditoriamente...hehehhe
Houve blecaute aqui no Nordeste, dia 04, não se vc soube, mas a noite foi negra pra todos nós, e contraditoriamente me preocupei com a falta de energia, pois durou mais de 5 horas, e se soube, tenho certeza que pensou no q eu pensei...hj estou na ansiedade de que o amanhã chegue, e eu possa dizer pra minha tia avó, que vou puder ouvir a voz dela. Prima me desculpa as palavras, mas hj uso vestidos de uma grande saudade,e pijaminhas tbm, e hj quem está um pouco desorientada de cá, sou eu, pq sei que o amanhã chega e sei que não ouvir uma voz dizendo: --Ligou pra Tia Maria n foi? vou passar pra ela...Mas, antes disso, você tá bem?
Beijos pra vc.....Estou feliz pq os seus meninos estão indo pra escola com todas as expectativas no interior deles, quero saber sobre o primeiro dia de aula..tah? Sim, e os filhos de André estão tão felizes pq estão estudando em uma escola particular...nossa, vc não tem ideia do quanto isto tem sido compartilhado com esta tia aqui....beijo grande pra todos e um abraço bem apertado pra vc.
PS Se eu conseguir ser a Tia Berna que eu tive pra eles, pode ter certeza que partirei em paz

disse...

Ai... estou doida pra ver esse filme! Fiz 10 anos de ballet classico, alguns deles numa escola profissionalizante e mesmo entre as meninas novas, pude ver o quanto rola de inveja neste mundo. Lembro de uma vez que colocaram uma gilete dentro da sapatilha de ponta de uma menina que ia dançar um solo. Ninguém conseguiu descobrir quem fez isso. Acho que foi isso que me fez desistir... era muita competição, um clima muito pesado, nao aguentei o tranco. Mas hoje me pergunto se fiz o certo pq eu acho que levava jeito pra coisa!

Anônimo disse...

To louca pra ver o filme também!
Amanhã vou dar um abraço na Tia Maria e certamente vai ser assim como você disse.
Larissa

Borboletas nos Olhos disse...

Baby, você está lendo O Morro dos Ventos Uivantes? Eu gosto tanto! Já aguardo, ansiosa, suas impressões...

Bom, meu filho tem 13 e está na Nona ´serie e ainda sinto palpitações na primeira semana de aula. Ah, como eu tento adivinhar a chuva...

Meu abraço comovido pra sua Tia Maria (você lembra que conheci tardiamente este post que você linkou e como me apaixonei por ela? pois é)

Ainda bem que sou teimosa e a beleza me desarma (2).

E que lindo que é obsedar-se com Tchaikovsky!

Lílian disse...

Oi, Rita!


Bem, um dia passo a ter mais paciência com a internet, crio uma conta num desses e-mails autorizados (pobre bol...)e deixo de ser "anônima"... rs...

Enquanto isso não acontece, eu, de plantão, de novo (essa semana, fora do normal). Acho que também por isso não resisto às belezas e levezas, então:

1) Quanto às bailarinas, bem,a disputadíssima lateral do blog é lindinha para elas..rs..rs..rs...

2) Para os que amam os clássicos
(e Tchaikovsky em especial) deixo a dica de "O Concerto". Entrei na salinha e, de cara, já gostei da atmosfera do filme por ser todo falado em russo e francês. Nada contra o inglês, claro, mas é tão bom fugir do sempre-do-mesmo-jeito!

Depois... Produção baixo custo e nada de efeitos especiais. Não acompanho o mundo do "Oscar" e nada sei sobre as indicações nos últimos tempos, mas o filme surtiu efeito especial em mim. Clichês são inevitáveis, né? Mas
saí do cinema com a impressão de que é para nos contar histórias assim que a sétima arte foi inventada.

Bjus, querida. Continuemos com as bailarinas. Com violinos. E com Tchaikovsky.

BELO DOMINGO! BEIJINHOS NO MEU POVO!

Lílian.

Anônimo disse...

COMO VOCÊ VÊ, DESCOBRI COMO DEIXAR DE SER ANÔNIMA..RS... NEM PRECISEI SAIR DO MEU BOL...RSRSRSRSRS

+ Bjus,

Lílian.

Rita disse...

Marina, você não faz ideia de como me emocionei com seu comentário, por causa da hístória toda do blecaute. Comentei com o Ulisses e tal, mas saber que vocês partilharam do pensamento comigo me balançou demais. O que dizer? E tenho certeza de seus sobrinhos estão muito bem servidos de tia, viu? :-) Logo logo mando notícias das primeiras aventuras das crianças na escola. Bj!

Dé, nossa, imagino o nível de stress nas altas rodas das grandes companhias, viu... só imagino. Hoje falamos um pouco disso lá na lista de blogueiras, de como deve ser difícil para uma grande bailarina não chegar a ser solista... putz, difícil. Bj.

Oi, Larissa. O filme é muito bom e a Natalie arrasou. A Tia Maria até que conversou comigo numa boa, mas desmoronou quando falou com as crianças... bj.

Borboleta, eu comecei Wuthering Heights em abril e larguei para ler outra coisa. Agora retomei. Dívida antiga, vamos ver. Muito origada pelo abraço da tia, viu? Bj.

Lilian, faça mais desses plantões e fique por aqui. :-) Dica anotada, viu?

Luciene, querida, parabéns pelo seu garotão. Estamos toooodos na maior dor de cotovelo pelos telefonemas de fevereiro, né.. Hoje conversei muito com Marilinda e foi um pouco como estar aí com vocês. Saudades demais. Números anotados. (Tem certeza de que não se importa de tê-los expostos aqui?) Beijocas
Rita

Patricia Scarpin disse...

O filme é fantástico - e sou suspeita, mesmo, pq amo Aronofsky de paixão - e Natalie... Bem, por mim a estatueta é dela. Fico arrepiada só de escrever isso. O começo do filme é uma pequena obra de arte, tão lindo. E Mila Kunis não ter sido indicada a coadjuvante foi uma tremenda injustiça.

A volta às aulas dos teus pequenos me deu saudade agora. Saudade de ir comprar material escolar novo. :D

xx

Rita disse...

Patricia, quero ver o filme outra vez, gostei muito. Só hoje a música do Tchaikovsky deu uma trégua - por causa das crianças.
:-)

bj!
AH, Natalie na cabeça, pelamô! #oscar

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }