O Tempo



Sabe cheiro de livro novo, no dia em que a mãe (ou o pai) da gente chegava em casa com o material didático fresquinho? Sabe aquela descoberta ansiosa, sem saber o que examinar primeiro? Eu chegava a prender a respiração. De todos, meu preferido era o de Português, por causa dos textos. Mas também adorava o de Ciências, por causa dos planetas. E dos bichos.

Arthur vai para o 1º ano, meu menino. Seu livro, comprado hoje, tem textos "grandes", já. Coisa mais linda. Estou mais ansiosa que ele. E curiosa também. Qualquer dia divido com vocês umas dúvidas que trago cá comigo. Mas os livros, ai... o do Arthur tem fábulas, contos e versos. E ele também tem um livro de Matemática. Matemática. O Arthur tem um livro de Matemática. Mas não foi ontem que meu leite empedrou e ele teve cólicas? Não?

Amanda vai estrear: "Infantil C". Também tem livrinhos de flores, estrelinhas e arco-íris. Minha menina vai pra escola de mochila da Penélope e canetinhas coloridas. E ainda não tem livro de Matemática, mas já conta nos dedinhos, que mal consegue dobrar para fazer a conta, os patinhos da música. E canta assim: “...nenhum patinhos voltaram de lá...”. Nenhum patinhos. Ter filhos torna a gramática mais charmosa.

Minha sala hoje tem cheiro de livro novo e um tantinho de viagem no tempo. E meus filhos, crescendo. 

***

(Pequeno inevitável pensamento inquietante: e o tanto que a vovó Berna ia babar na foto da Amanda com uniforme de short-saia, meias curtas e camiseta branca?)

16 comentários:

Rogério disse...

Cada texto seu é um passeio saboroso. Sou um pai meio estranho, pois além da Ana Paula (aquela que foi para o céu), tenho Carol, de quase 26 anos, e Lucas, de sete. Por isso tive que reaprender muita coisa, mas um ponto comum são os livros didáticos que, por coincidência, comprei semana passada. O cheiro é uma delícia, e a 'exploração' é um encontro entre o passado e o presente, o que vivi no final da década de 90 e vivo agora. Bati uma bola com meu filho hoje (ele é goleiro e jamais se separa de suas luvas) e, vendo seu tamanhão, fiquei pensando: mas não é esse cara que há pouco tempo eu botava para arrotar?

Iara disse...

Ai, Rita, que delícia! Tudo delícia. Eu sei que eu já te disse isso, mas poxa, o blog bolo de fubá esse, viu?

Angela disse...

Incrivel como toda semana ouco de alguem para aproveitar as criancas pois crescem rapido, eu sei, acredito, mas quando noto acontecendo ainda me espanto. Arthurzinho na matematica e a bebezinha Amandinha de uniforme? Como diria Julia: "Oh my goooodness!".

Caso me esqueçam disse...

engraçado! sonhei hoje que eu estava numa sala de aula (uma em que estudei em JP quando tinha 6 anos) ensinando minha irma e os outros alunos a ler (minha irma hoje tem 16, mas no sonho tinha uns 5/6). "hoje a gente vai aprender a escrever nosso nome", eu dizia. bom, sei que esse post me fez lembrar do quanto eu AMAVA a compra do material escolar. ai, era melhor que tudo! escolher meus cadernos, passar a vista em cada folha de cada livro pra saber o que eu aprenderia naquele ano. comprar lapis de cor, borracha e estojo. e quando eu ia pra CG de ferias, sempre voltava com metade do material, presente das tias: tudo rosa e lindo. bons tempos. ah, e quando a gente passa do caerno pequeno pro de 10 materias? e quando a gente começa a escrever de caneta? hohohoh eu me sentia A adulta, poderosa hahaha

Caso me esqueçam disse...

ah, daqui a uns anos vamos ver o arthur fazendo terror com a amanda, dizendo o quanto eh dificil a turma em que ele esta. meu irmao fazia isso. eu achava que quando chegasse na serie dele, eu nao ia conseguir, porque parecia ser tudo tao dificil! tsc tsc

disse...

Faz tempo que nao comento (correria de pos-férias) mas sempre dou uma passadinha. O seu texto me fez lembrar como eu adorava a volta as aulas, o cheirinho de livro novo, a trabalheira que dava encapar tudo bem bonito, estojo, mochila. Delicia!

Vai ser gostoso recomeçar tudo com o Rafael, mas por enquanto ainda estou curtindo meu bebezão.

Patricia Scarpin disse...

Guardadas as devidas proporções, é claro, no dia 20 de dezembro eu chorei feito uma boba vendo minha Pichuzinha se formando, pronta pra ir pra faculdade. A Pichuzinha em que eu dei banho, pra quem eu dei tetê (mamadeira), que grudava em mim e me chamava de "Tata" a cada 2 minutos. Cresceu rápido demais, Rita, como os teus pequeninos. :)

Lindo esse post, nossa, me emociono demais.

xx

Anônimo disse...

Maravilha! Voltar às aulas era tudo de bom. Quase tão bom quanto entrar em férias!

Continuo lendo, quietinho, mas lendo.
abraços,

Nakereba

Fabi disse...

Uma amiga tem uma filha de 5 anos que me contou outro dia, feliz feliz, que "sem ser nesse ano, Fabi, mas no outro ainda, eu vou pra sala da Claudinha, e lá a gente aprende LETRA CURSIVA!".

Amor demais.

Juliana disse...

ah, saudade dessa época!
eu me lembro da minha alegria ao ver os livros novos e já começava a ler todos os textos do livro de português assim que o livro chegava.

são pequenos tão crescendo,hein? ;)
beijo

Borboletas nos Olhos disse...

Rita, obrigada. Mesmo. Porque você conseguiu resgatar uma doçura que eu não estava sentindo. Sobre material escolar eu só estava conseguindo reclamar e lamentar o custo (o samú tá no nono ano e foram quase 2.500 reais de livros, sem contar o resto da parafenália). Mas aí eu venho aqui e fico recordando a voracidade com que eu lia os novos livros, especialmente os paradidáticos. E recordo cada novo ano do samú e a alegria de folhear com ele o novo material...E tudo volta a ser mágico. Um beijo muito, muito carinhoso, baby.

Rita disse...

Oi, pessoas saudosas. Eu sabia que eu não era a única que curtia dor de cotovelo pelos cadernos e livros, mas não esperava reações tão bonitinhas. :-)

Rogério, muito obrigada pela companhia, fique à vontade. Pois a vida é essa loucura, num dia eles estão arrotando no nosso ombro, no outro estão pedindo a chave do carro. Oi? Ufa... não é moleza. :-)

Iara, sua fofa, largue de ser linda. Bj.

Anginha, não tem como não tomar susto. Eles crescem e se desenvolvem na velocidade da luz. E a gente ficando velho. É isso aí.

Luci, hoje o Arthur me contou que sonhou comigo: era do tamanho dele e estudávamos juntos na mesma sala. Viu, vocês tiveram quase o mesmo sonho. :-) Ah, se o Arthur fizer o terror com a Amanda, eu falo pra ele horrores da faculdade... hihihi...

Dé, tudo bem? Vi que vocês voltaram. Espero que tenham curtido bem as férias. Curte bem seu bebê porque já viu, passa rapidinho... bj.

Patricia, você é a maior mãezona da Pichu... :-D Acho muito lindinho. Beijocas pra vocês duas.

Nakereba, quanto tempo! Sumido, precisamos botar o papo em dia. Apareça.. beijos.

Fabi, que lindo... hoje o Arthur já se empolgou folheando o livro de português e já começou a tentar escrever o alfabeto em letra cursiva... o poder, o poder. :-)

Juliana, viu, que grande meu gatão. Como diz o Ulisses: daqui a pouco tá no exército. :-O PÂNICO!! Brincadeirinha... :-)

Luciana, 2.500?????? Oh my god... caramba... Os livros já trazem um chip para transmitir o conhecimento instantaneamente? Gente, que loucura... fique boba. Bj.

Valeu, pessoas.

Rita

Claudia Serey Guerrero disse...

Lembro demais desse cheiro, de vez em qdo sinto esse cheiro e parece que retorno a epoca de escola, eh um cheiro de papel, guache, massa de modelar... sei la.. mas me traz excelentes lembranças...Parabens!! eles crescem muito rapidooo!! beijinhos, Claudia

Rita disse...

Claudinha, não é engraçado como o cheiro parece deixar mais lembranças que o visual das coisas? Todo mundo fala do cheiro de livro novo, cheiro das canetinhas... Lembra quando surgiram as borrachas com cheirinho de morango? :-)

Bj
Rita

Mari Biddle disse...

Blog bolo de fubá foi otimooooooooooo!

É isso mesmo, muito cute! Muito fofo!

Saudades de comprar material escolar tudo de novo.

Beijos no seus pequenos notáveis.

bjs

Rita disse...

Oi, Mari. Hehehehe, a Iara inventando moda. Não se preocupe, logo chega sua vez de sair às compras pelas papelarias.

Beijocas, linda.

Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }