O suco do meu tio



Eu quero divulgar uma receita, mas antes preciso apresentar meu tio a vocês.

Tio Paulo é o irmão mais novo de minha mãe, aquele que agora mora na casa que foi dela por três décadas, no lugar onde cresci e onde vi minha mãe rir, chorar, lutar, viver. Tio Paulo é aquele tio bem próximo, cujos filhos são primos quase irmãos, por cujas vitórias vibramos como se fossem nossas, com quem partilhamos os sustos e os momentos mais difíceis vida afora. Desde que me conheço por gente, tio Paulo e sua esposa Marilinda são uma parte grande de minha vida, da história da nossa casa, de nosso mundo. 

A vida foi muito generosa com meu tio, apesar de, como todo mundo, ele ter enfrentado lá seus dissabores. Encontrou bem cedo a pessoa com quem vem partilhando sua estrada há quase cinco décadas, teve seis filhos e um tanto bom de netos (quatorze, por enquanto, se eu estiver fazendo a conta certa) e é dono de um coração que comportaria muito mais. E eu vivo me esgueirando no meio dessa gente toda, buscando um cantinho que sei que existe pra mim, e agora mais do que nunca. Acho que ele sabe que sempre o olhei como a uma figura paterna, de certa forma. Minha relação com meu próprio pai sempre foi confusa, vaga, quase ausente, e não foram poucas as vezes em que o mirei como exemplo de pai presente, falante, brincalhão, com muitas das qualidades que, principalmente em minha infância, eu gostaria de ter tido mais nítidas em minha própria casa. Não era inveja ou amargura, era alegria de ter um tio tudo de bom. Era alegria por meus primos terem um pai tão especial. Com tio Paulo sempre foi assim, bom ter por perto.

O mesmo posso dizer da Marilinda, que, já faz tempo, considero como tia também e com quem tenho tantas dívidas que não poderia saldá-las nem em cinco reencarnações. Tenho em minha mente várias imagens de Marilinda ajudando minha mãe em momentos difíceis, ajudando de tantas maneiras quantas possíveis: socorrendo, acompanhando, ouvindo, chorando junto, torcendo, apoiando ou simplesmente estando ali, o que muitas vezes é tudo de que se precisa. Marilinda é um dos anjos de minha vida; aliás, na vida de todos que têm a sorte de tê-la por perto. Com ela também já dividi muitas risadas boas, inúmeros cafés tomados entre falações sem fim que não raro invadem a madrugada na mesa da cozinha. 

Pois bem, mas eis que, há cerca de sete anos, meu tio teve um infarto. Um evento assim não deixa ninguém incólume e, no caso do meu tio, a coisa toda virou um divisor de águas. Nos anos que se seguiram, tio Paulo precisou reaprender a cuidar da própria saúde, fazendo alterações importantes em sua rotina. Precisou aprender a lidar com as emoções, passou a praticar exercícios leves e a tomar um arsenal de medicamentos e, acima de tudo, alterou radicalmente sua dieta. Com um entupimento sério em uma das artérias do coração, deu adeus ao sal e às gorduras, mergulhou no mundo dos vegetais, frutas e peixes e saboreia sua taça de vinho tinto diariamente. 

Há mais ou menos dois anos e meio, tio Paulo viu na TV um programa que celebrava as propriedades benéficas de um tal suco verde. Curioso diante das muitas benesses destacadas no programa, conseguiu a receita pela internet, comprou uma centrífuga, e, juntamente com Marilinda, passou a consumir o tal suco natureba. Desde então, virou garoto-propaganda do suco que, segundo o casal 20, tem sido responsável por uma melhoria notável na qualidade de vida dos dois. Pele, cabelos, intestino, gengivas, estômago, disposição, bem-estar geral, sem falar nas taxas de colesterol, gorduras, quaisquer outras, tudo, segundo eles e os respectivos médicos, tem andado em perfeita harmonia. No caso de tio Paulo, poderíamos atribuir muito do bem-estar aos vários remédios que ele toma diariamente desde o infarto, mas não é o que seu médico atesta: os remédios já eram tomados antes do consumo do suco e ele nunca apresentou quadro tão bom de saúde, no período pós-infarto, quanto o que tem apresentado nos últimos anos. Seu cardiologista costuma dizer que a dieta é responsável por cerca de 70% do sucesso do tratamento e ele mesmo passou a indicar o suco para outros pacientes. Marilinda, por sua vez, não segue a mesma dieta rigorosa que ele, não toma remédios e recentemente recebeu vários elogios das médicas com quem fez um check-up geral. Dos dentes aos índices de perda de massa óssea, comum na idade dela, tudo está aparentemente tinindo de bom. O comentário na família vem em uníssono: é o suco.

Bom, se é o suco ou não, não sei. Mas a gororoba não pode fazer mal a ninguém e certamente traz vários benefícios. E é só passar uma temporada com meus tios para nos sentirmos no mínimo tentados a experimentar. Quando estávamos no Nordeste, no mês passado, tivemos a chance de provar da gororo... digo, do delicioso suco e fomos convencidos de vez. De volta a Floripa, compramos nossa centrífuga e passamos a investir no que em nossa família é tido como fonte certa de saúde e bem-estar. E eu querida dividir isso com vocês.

Pois bem, o sabor: é bom e é ruim. Vai de tudo no suco que é cem por cento concentrado porque não leva água e cem por cento natural porque não leva açúcar. O suco será tão mais benéfico quanto mais saudáveis forem os vegetais e as frutas usadas, então quem puder abusar dos orgânicos, melhor. É necessário caprichar na higiene, porque vai tudo com casca e talos, tudo é aproveitado. Não é possível fazer o suco no liquidificador, já que seria necessário acrescentar água para triturar tudo e seria necessário coar depois. Na centrífuga o suco sai pronto para ser consumido e o bagaço (ainda bastante suculento) pode e deve ser reservado para ser aproveitado em omeletes e outras receitas - aqui em casa diminuímos o consumo de carne vermelha, já que por duas ou três vezes na semana optamos por omelete com bagaços suculentos de espinafre, pepino e cenoura. É, vai espinafre no suco, senta aí.

Para muitos não há nada de novo, o suco vem sendo divulgado por aí há tempos, mas eis aqui a receita a la Tio Paulo & Marilinda, com um toque de Rita & Ulisses, no final. De novo: tudo com casca e talinhos, bem lavados. As quantidades especificadas abaixo rendem uma jarra grande de suco que serve, aqui em casa, 6 pessoas: Ulisses, eu, minha sogra, a Maria, a tia Neia e o Arthur (nem sempre). Amanda até experimenta, mas não encara.

1/2 beterraba
1 cenoura
2 cachos de uva roxa, daquela miudinha (eu retiro as uvas uma a uma porque às vezes é difícil lavá-las no cacho; mas o talinho pode ser colocado também)
1 tomate
1/4 chuchu
1/2 pepino (nós preferimos o pepino japonês, mas pode ser qualquer um)
2 vagens (acho que meu tio põe 4)
3 talos de espinafre
1 folha de acelga
1 maçã
1 pêra (meu tio usa duas maçãs e não usa pêra)
4 laranjas lima ou tangerina (nós usamos laranja-pêra e, exceção, retiramos a casca)
1 folha de couve
1 kiwi
6 morangos (o kiwi e os morangos são por nossa conta e, na boa, deixam o suco bem mais saboroso; é impressionante como o sabor do morango se sobressai)

Ulisses também tem acrescentado uma porção de sementes de girassol germinadas: passam a noite dentro d'água e são jogadas na centrífuga no dia seguinte. Sempre tomamos o suco cedo, como parte do café da manhã.

E mais nada: nem água, nem açúcar. Por conta das uvas, morangos e beterraba, a cor do suco é, na verdade, algo entre roxo e vermelho escuro. Por "verde" entenda-se natural, saudável, do bem. :-) Dá gosto de ver uma cenoura se transformar em suco sem acrescentarmos uma gota d'água... à medida que vamos fazendo o suco, a jarra vai ficando colorida, uma graça.

Vocês podem usar quaisquer outras frutas da época ou região, outros vegetais e folhas também. O médico de meu tio sugeriu acrescentar um pedaço de berinjela, mas ainda não experimentamos. A centrífuga não processa banana, mamão ou manga, mas não sei dizer se isso se aplica a todas as centrífugas ou apenas a alguns modelos. Temos tomado o suco há cerca de duas semanas e estamos adorando. O sabor fica melhor ou pior conforme a proporção de coisas saborosas (morangos, maçã, laranja) e as, digamos, mais antipáticas (espinafre, couve). Seja como for, não serve para "ruim". É, no máximo, diferente. Eu estranhei no início, agora gosto bastante. Ulisses adora e se você bobear ele toma o seu.

Ulisses chegou a questionar se faria diferença em nossa dieta, já que já somos bem acostumados a consumir muitas frutas e vegetais diariamente, mas certamente há pelo menos uma diferença marcante no preparo: na salada do almoço, beterrabas, cenouras e kiwi estão sem casca; além disso, não costumávamos comer couve, espinafre ou vagem, raramente comprávamos laranjas. Não paramos de consumir nenhuma fruta ou vegetal, apenas acrescentamos vários outros e passamos a consumir a casca daqueles que já faziam parte de nossa dieta, diminuímos o consumo de carne vermelha e estamos acostumando o paladar do Arthur, e da Amanda um dia, a novas aventuras... Ou seja, não pode ser ruim.

Mas nosso principal estímulo continua sendo a palavra do tio Paulo, o melhor garoto-propaganda do suco verde de que se tem notícia. Vida longa a ele, a Marilinda e toda sua linda família: tim-tim. (Tomara que, sabendo que também servimos o suco aqui em casa, eles se animem de nos fazer uma visita. Eu já gostava deles de verdade, eles sabem disso; mas eram tão próximos de minha mãe, que nunca tive tanta vontade de estar perto deles como agora.)

14 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

que pena que não tenho centrífuga :p

brincadeiras à parte, ainda estou na luta de inserir um tantinho mais de verduras no meu cardápio. Por enquanto a preferência é panelada. Bjs e boa saúde pra vc e pros seus (especialmente pro garoto-propaganda).

Juliana disse...

Rita querida, estou em atraso com o Estrada Anil. Estive fora da net por esses dias, logo não li nadinha por aqui - nem terei tempo agora. Mas queria só dizer que fico feliz por ver que os posts diários voltaram.

Ah, estive por um diazinho em Floripa e me apaixonei. Lugar lindo demais! E ficava pensando: Rita mora em algum lugar aqui! hehe
Beijossss

Marina Teotônio disse...

Oie, olha eu aqui de novo...heheheh
Menina, painho vai ficar muito feliz quando esta receita comentada por vc estiver nas mãos dele....
Nossa.... o teu desejo é igual ao nosso, nunca desejei tanto está do seu lado e manter contato com vc....
Me sinto muito lisonjeada com tuas palavras...
Estais despertando em mim, a vontade adormecida de querer escrever, mas, ainda considero uma pretsenão da minha parte...
Beijos a todos....e Viva o Suco!!!! Tim-tim

lucieneteotonio disse...

tim tim kkkkkkkkkkkk
Rita é imprecionante como você escreve sem esquecer nem um detalhe , isso mostra como seu Paulo e Marilinda são importantes pra você . Quero deixar aqui os meus parabens pela diéta da gororo... do suco kkkkk
eu ja tomei algumas vezes mas ainda não tomo todos os dias , ainda...
Rita você e sua familia são importantissimos para nós , sei que você sabe disto mas é bom ouvir ,aliás ler, né? beijo grande.
MEU, DE ANDRÉ E DOS MENINOS.

Tina Lopes disse...

Sua família é realmente especial, e não estou falando da habilidade de ingerir goror... sucos diferentes. Sabe que eu tenho uma centrífuga em algum lugar do armário dos fundos da casa, que larguei quando vi o tanto de fibras que se jogava fora no processo - uma manga suculenta vira dois dedinhos de suco e só! Daí troquei por um liquidificador poderoso. Mas esse suco só pode ser assim mesmo, quando voltar de viagem vou experimentar fazer pra mim e Mr. Lopes. E se me permite compartilhar minha receita com suas leitoras: faço constantemente suco de couve, isto é, suco de frutas com gelinho de couve. Bato um maço de couve com um pouco de água e um pedacinho de gengibre no liquidificador, até virar uma papa, ponho no freezer em fôrmas de gelo, e daí diariamente, quando vou fazer um suco qualquer de frutas, incluo um ou dois gelos. Fica uma delícia! Nem se sente o gosto da couve. Faz bem demais. Bjk querida.

Sara disse...

Bom te ler todo dia de novo Ritinha.
Quero a receita do omelete. Quando entra a papa da centrífuga?
Bjk

Mari Biddle disse...

Lá vou comprar um centrífuga, né Braseeew!

Minha cunhada usou uma receita parecida quando ela foi fazer tratamento num local natureba e talz por aqui. Lembro quando ela contou do suco e das comidinhas naturais, varias pessoas ficaram surpresas deles usarem 'real' vegetais. Hihihi!

Falou que tem beneficios, eu experimento tudo, Rita. Passo por cima do gosto e aparencia e vou com fé.

Beijos!

Glória Maria Vieira disse...

Ai!:/ É uma pena aqui em casa não ter centrífuga, mas vou falar a mainha pra ver se ela se interessa. O englobamento do morango foi uma ótima ideia. Porque eu nem sequer provei ainda, mas tenho a impressão de que superaria o couve e etc pelo morango e as outras frutas. ASUIHUASHSUHAUHSUAHSHI

Serve pra emagrecer também, Rita?!
(De verdade, adorei a receita e seu tio. O Senhor Paulo é como meu avô pra mim! hihi)

Rita disse...

Dona Borboleta, depois de virar hábito, comer frutas e verduras se torna um prazer mesmo, vai por mim. Uma boa dica é inserir frutas na salada do almoço. Manga vai bem com carne, kiwi refresca, morango enfeita e é sempre bem-vindo... E quando eu era pequena picava banana no feijão.. hummm, preciso voltar a fazer isso. Bj.

Juliana, que bom vê-la por aqui outra vez. Também ando meio sumida dos blogs, vou voltando aos pouquinhos por aí... Que bom que gostou de Floripa, espero que tenha tido sorte com o sol que se escondeu há dois dias...

Marina, tomara que tio Paulo goste mesmo de ver o suco famoso dele ficando mais famoso ainda. Quanto à vontade de escrever, deixe rolar. Pretensão nada, experimente e se entregue... recomendo, com força. Bj!

Luciene, oi! Tô sabendo que você não é muito fã do suco, mas não duvido que, mais dia, menos dia, você também se renda. E, sim, é muito bom ler e ouvir que somos importantes para vocês. Beijo grande, saudades enormes!

Tina, a manga não é exatamente a melhor fruta para ser usada em uma centrífuga. Não rende mesmo e os fiapos entopem a coisa, né? O manual da minha fala para não usar. Mas concordo que é uma pena desprezar tanta fibra no bagaço, então, pelo menos de vez em quando, aproveitamos. Anotei a dica do gelinho de couve e vou torcer para vocês experimentarem o suco, sim. Boa viagem!!

Sara, querida, que bom vê-la aqui! Obrigada pelo carinho, viu? Vou pegar a receita detalhada com a Maria e depois ponho aqui. Aguarde. Bj!

Mari, vamos nessa! E nem é ruim, você vai ver. O sabor das frutas cítricas se sobressai e o morango arrebenta, tudibom! Bj.

Glorinha, olha, não sei se emagrece. Mas a Maria e a Neia aqui em casa não tomam mais café da manhã, só tomam o suco e ficam satisfeitas até a hora do almoço. Eu sou mais comilona e continuo tomando café igual, inclusive comendo uma fruta, normalmente uma banana. De qualquer forma, mesmo que não emagreça, acho que traz benefícios para o funcionamento do intestino, o que sempre ajuda qualquer dieta, né não? Experimenta... Bj.

Valeu, pessoas, meu tio vai ficar todo feliz em ver o interesse de vocês.

Beijocas,
Rita

Nilma disse...

Nossa que sucesso meu sogrão vai fazer, até imagino o sorriso tímido no rosto dele,kkk, só vc Rita com suas lindas palavras para despertar em nós o desejo de tomar o suco, vou tentar estou esperando a máquina (centrífuga)kkkk quando chegar a hora com certeza lembrarei de vc e Ulisses.Abraço enorme e apertado,saudades... bj nas crianças, fala para eles que os meninos mandam lembranças.Com carinho.

Amanda disse...

Rita, vc jura que se eu tomar esse suco eu não vou passar o dia no banheiro? :)

Rita disse...

Oi, Nilma! Eu até achei que você já estava tomando, a Marilinda me falou que vocês iam comprar a centrífuga. Força, menina, vai em frente. :-) E manda beijos para todos aí, viu? E um procê.

Amanda, juro! Mais uma coisa já notei: o troço é diurético, totalmente. Mas isso é bom, não é?

Beijocas
Rita

Caso me esqueçam disse...

aaah, como eu fiquei doida de vontade de fazer esse suco quando li esse post pela primeira vez. agora me conformei que soh poderia faze-los nos fins de semana (acordo cedo e nao tenho tempo pro suco. fora que aqui seria impossivel manter as verduras e frutas na cozinha antes da chegada dos outros 776327863 habitantes dela) :(

mas mandei o post pra camilo pra ver se a gente se incentiva hihi

Rita disse...

Ah, Luci, tomara que vocês se animem, sim. E dá, claro, para usar outras frutas e legumes que vocês encontrarem por aí. E se puderem aproveitar o bagaço de alguma maneira, melhor.

Bj
Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }