O bicho-pau



Na noite de sexta-feira, quando as crianças já estavam na cama, o Ulisses encontrou na garagem um bicho-pau. Capturou o esbelto, colocou em um saquinho (não se esqueceu de fazer um furinho para o bicho respirar - bicho-pau tem nariz?) e guardou para mostrar as crianças no dia seguinte.

No sábado, Ulisses se esqueceu completamente da história.

Hoje pela manhã, lembrou-se. Pegou o saquinho onde o Sr. Magreza aguardava pacientemente, e o apresentou às crianças. Alguns "olha!" e "legal" depois, libertou o compridão lá na calçada.

Mas, ai que lindo, à tarde ele voltou para visitar as crianças, cheio de saudades. Grudou na janela com olhar pidão (juro que vi o olhar pidão dele) e ficou ali, observando as crianças. Esses animais são uma graça, né? Tão simpáticos.





Troféu Sem Graça Nenhuma para o Ulisses que, enquanto eu fotografava o bicho, fez cócegas na minha nuca. Claro que tomei susto. Pateta. 

8 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

Daí que a pessoa chega nesta estrada num post desse e vai pensar o que da Rita? Doce, doce, doce até dar diabetes...Olha, sendo bicho-pau, mesmo com a vida animadíssima que se deve ter fugindo de virar parte de fogueira, protagonizar filmes cut-cut (você não a-do-ra vida de inseto? eu sim) e talz, claro que ia sentir saudades de seus filhos tão fofos e interessados. Agora, além de nariz, tem olho e pidão?

Juliana disse...

não vejo nada de emocionante na visita desse bicho!

Eu gritaria sem parar em vez de tirar fotos. kkkkkk

Angela disse...

Ai Rita, sou louco por eles, mas so vi UM na minha vida inteira! Na casa aonde cresci, meu pai achou e ele os chamava de Mane Mago. Ele pos o bichinho na boleira, que tinha uma base de madeira, uma coberta de acrilico e furinhos. Nao tinha nenhum bolo, entao o Mane Mago nao pode nem engordar uns quilinhos... Eu queria ficar com o Mane por muitos meses se soubesse tomar conta, mas meu pai depois de umas horas pos ele de volta la fora. Outro dia Pete tava falando, que Max ainda nao viu um. Tambem sao tao dificeis de achar, parecem um galhinho... Lindo!!!!

Danielle Martins disse...

Que linda família! Que sorte seus filhos terem pais tão atentos a apresenta-los o mundo de forma tão magnífica. Concordo com a Borboleta: Doce, doce, doce Rita!
Bjs!

Rita disse...

Luciana, juro por tudo, um olhão deeeesse tamanho! ;-D

JULIANAA!! Você é uma ME-NI-NA!! Que bom ver seu rosto - eu não estava enganada, viu? Sabia que você tinha cara de menina que apronta, eu sabia! (Eu também faço altos dramas com insetos, mas, pô, deixa eu fazer de conta que sou uma pessoa equilibrada, néam...) Bj!

Anginha, eles são muito engraçados mesmo, acho um barato essa coisa de mimetismo. Ele é IGUAL a um graveto. Tipo assim, se minha janela fosse uma árvore, eu não o teria visto. Sacou? :-P

Damielle, sua docinha, obrigada. Mas o mérito é TODO do marido. Se o magrelão chega em um momento em que estou sozinha com as crianças, tranco a todos no quarto, hehehe. Menos o inseto, claro. :-)

Beijos pessoas!

Rita

Patricia Scarpin disse...

Rindo aqui do marido "estragando" a foto, Rita. ;)

A primeira vez que eu vi um bicho-pau eu já era adolescente e mesmo assim achei bem curioso.

Rita disse...

Às vezes ele é muito mau comigo, Patricia. :-D hehehe

Bicho esquisito, mas com charme, o tal bicho-pau.

Bj
Rita

phillip engelking disse...

Este é um macho do gênero Canuleius. não, não tem nariz rs, mas possui orifícios respiratórios em algumas partes do corpo, que fornecem o oxigênio ao resto do corpo pelas diversas traqueias que o inseto possui.

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }