A seis mãos


Para todos os males, chocolate.

E eis que depois de um longo intervalo em minhas experiências na melhor parte da casa, hoje voltei à cozinha. Eu já tinha paquerado com a receita desse bolo outras vezes, mas os supermercados daqui não devem ver muita vantagem em vender cacau em pó, daí eu adiava e adiava. Felizmente agora encontrei o cacau - em abundância, quase comprei a prateleira inteira, só para garantir - e pude mandar ver.

Eu não devia ficar tanto tempo assim longe das formas e batedeiras. Preparar bolos é como uma boa sessão de terapia, com o diferencial de que não rolam lágrimas e nem precisamos mergulhar em lembranças doloridas para ter um bom resultado. Em comum, apenas o bem estar que vem quando acertamos a mão e conseguimos ver a real beleza das coisas, como nos sorrisos da criançada com os dentes cheios de massa marrom e olhinhos brilhando de alegria. Insubstituível. (Com o bolo no forno, meus ajudantes Arthur e Amanda trataram de limpar a tigela da massa com os dedos. Cerca de cinco minutos depois, Amanda estava coberta de massa de bolo. Só os cotovelos ficaram limpos. E a tigela.)

Uma hora depois, no café da tarde, ouvia-se: "olha, que escurinho, parece negresco", "huumm, bem molhadinho, né?", "quero mais", "vou comer minha última fatia, prometo" e "humc chomp grump, delícia".

15 comentários:

disse...

Hmmm... fiquei com agua na boca! Com a correria do dia a dia nunca mais consegui fazer um bolinho.

Quando o Rafael so' mamava (e eu não vivia fazendo papinhas), eu fazia bastante o "fondant au chocolat". E' o bolo mais facil do mundo! Nao vai fermento e nem precisa de batedeira.

http://gastronomades.canalblog.com/archives/2005/06/29/613364.html

Se quiser, eu traduzo pra vc, Rita.

Beijos!

Caso me esqueçam disse...

comecarei a pedir a minha querida mae receitas de bolos. sei que posso achar aos montes na net, mas quero exatamente aqueles que me fizeram delirar enquanto eu morava com a boleira. ali sabe, viu... saudade!

descrevesse tao bem a terapia de cozinhar que, se nao fosse 23h, eu teria ido na cozinha fazer qualquer coisa :)

Jux disse...

nhammmm nhammm nhammm Ritinha!!!
parece que sinto o bolo se desmanchar no meu bico, posto que sou pássaro errante!
E um bolo de banana caramelada está na mira para nascer dentro de algumas horinhas, em meu sótão de alquimia, a cozinha!
Beijukkinhas e linda semana!!!

E estamos quase lá!!!

Borboletas nos Olhos disse...

A-do-ro cozinhar! Mas sou uma tragédia com bolos (já comentei isso aqui, acho). Invisto, então, no sal. Hoje foram camarões no almoço. Para todos os males, várias mãos, comida e afeto. Bjs

Juliana disse...

Que delícia!! Pena que não cgosto de bolos. Mas esse tá bonitooooo!

Cozinhar faaaaz tão bem ,né? Eu apelo pra joelhos e pizzas, quando tô mal. Sovar massa de pizza e joelho é a melhor terapia.

Liliane disse...

Só faltou a receita pra eu tentar aqui! Ficou lindo água na boca!

bjos

Patricia Scarpin disse...

Bolo pretinho assim me dá água na boca, delícia, Rita!
Quando éramos pequenos, João Paulo e eu, minha mãe nos sentava no tapetinho da cozinha, um de cada lado, tigela de massa de bolo no meio. Imagina a lambança? Lembro disso com carinho até hoje.

Beijo!

Ana Flavia disse...

Delicia! Bota a receita ai, vai?
Bjo

Rita disse...

Oi, pessoas! Volto aqui mais tarde para responder cada comentário. Por ora, quero só ressaltar que a receita pode ser vista no blog de onde a tirei: o link está aí no texto, segunda linha, "desse bolo".

Beijos, até mais tarde.
Rita

Tata disse...

água na boca, muuuuita! :-)
aqui as meninas tb adoram cozinhar. chiara ainda não entra na farra de lamber tigelas, mas faz uma bagunça danada c os apetrechos de cozinha...
:-)

Borboletas nos Olhos disse...

Rita, não dá pra "bulir" nas configurações e os links aparecerem de outra cor (azul, por exemplo)? Daí as pessoas perceberiam, por exemplo, o endereço da receita, né?Bjs

Rita disse...

Oi, pessoas gulosas!

Dé, muito obrigada pela gentileza! Quando eu inventar de fazer um bolo a partir de uma receitinha em francês dou uma consultada básica - nem que seja pra não usar sal ao invés de açúcar, né?;-)

Luci, hummm, bolinhos da mamãe, hein? Olha, já fiz bolo de madrugada, com o marido - enquanto o empadão ficava pronto... sim, há gulosos na minha casa. Bj!

Jux, que chique, bolo de banana caramelada... ai, ai, ai, que tentação. Deu certo?

Luciana, menina, quando você vir um bolo feito por mim que deu certo pode tentar a receita - se eu consigo, qualquer um consegue, vai por mim! Bj - Ah, e vou tentar mexer na configuração da cor dos links - mas pra mim eles aparecem em azul... :-(

Juliana, faz um favor? Explica que papo de joelho é esse? Sovar massa de pizza e joelho... num entendi, :-(

Liliane, viu a receita? Fácil!

Patricia, adorei a imagem de vocês com a tigela de massa no chão, haha! Bonitinho demais. Beijo!

Ana, oi! Tá lá, já viu? No link da segunda linha.

Tata, eu bem já vi suas piruetas culinárias lá pelo seu blog. Sou como você: jamais imaginei, durante muito tempo, que teria prazer em cozinhar. :-)

Beijos! Eu ia oferecer uma fatia, mas, claro, já acabou. :-D

Rita

Anônimo disse...

Agora eu vi! ;)

Juliana disse...

Rita, ai, deus! aí na tua terra, joelho tb não se chama joelho? kkkkk
é um salgado feito com farinha, ovo, leite, fermento recheado com queijo e presunto.

Aqui no RJ é joelho. Em alguns lugares, italiano; em outros, enroladinho!

Rita disse...

Juliana, eu acho que é orelha de frade. Não... não tem queijo nem presunto na orelha de frade. Ai, e agora. Sei não. :-(

Quer dizer, enroladinho eu sei o que é. E pode ser de presunto e queijo. Então tá resolvido. É enroladinho. :-D

Bj!
Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }