Power: off



Por mim, pode desligar.

Agradeço com força ao destino que me fez viver na era da internet em que não dependo do Jornal Nacional para saber de nada, amém.

***

Arthur:

- Pai, que barato aquele carro, né?
- Qual filho?
- Aquele do Alvim e os Esquilos.
- Não lembro... qual?
- Ai, pai, aquele, que eles botam a cabeça pra fora, na parte de cima! Com teto escolar!
- :-)

***

Hoje corrigi uma coisinha que eu achava muito lindinha dita assim, bem erradinha:

- E aí, filho? Foi boa a aula hoje?
- Foooooi!
- Se divertiu muito?
- Se divertiii!

Já me arrependi de ter corrigido. :-)


***

O gaveteiro do meu quarto despencou da parede. Cabruuum!! Ligamos para a loja que fez o gaveteiro. A loja faliu! /O\ Hahahahaha!!! E eu indiquei a loja para as amigas, gente. INDIQUEI!! Ai, senhor.

***

Oi? A bolinha? A fita crepe? A quebra de sigilo? A bexiga com água? Sorry, não tenho mais saco. Leio tudo que posso, mas não consigo escrever uma linha sobre nada. Nojo, de tudo. Mas o desemprego hoje bateu o índice mais baixo desde 2002 e o salário atingiu o maior poder de compra - e o novo template do blog tá funcionando bem. Fico feliz por coisas assim.
  

13 comentários:

Angela disse...

Teto escolar foi liiiiiindo!! Menina essa semana mesmo falei duas vezes para Pete: preciso de um diario para registrar momentos como esses aqui...

Vou te contar uma das ultimas, o Max tem um CD de Spooky Sounds, vez ou outra escutamos ja que eh o mes do dia das bruxas. Outro dia ele pos durante o cafe da manha e esquecemos de desligar antes de sair de casa. Ja no meio do mundo, ele lembrou-se: "OH NO!!!, we forgot to turn it off! We are wasting music!!!!". Com medo que gastasse a musica toda e quando chegasse em casa nao tivesse mais uma notinha, tadinho...

Beijao!

Borboletas nos Olhos disse...

" Mas o desemprego hoje bateu o índice mais baixo desde 2002 e o salário atingiu o maior poder de compra - e o novo template do blog tá funcionando bem. Fico feliz por coisas assim."

Parabéns, Rita, você consegue materializar em lindas letrinhas o que sinto e penso. Também fico grata por não ter que assistir o JN pra me manter informada. Bjs

Amanda disse...

Rita, mas seu filho falou "que barato" mesmo ou foi uma interpretação sua? As crianças de hoje ainda dizem que barato? ;)

HG disse...

Quando JN entra no ar... eu já estou dormindo faz horas... afinal, nosso fuso é de 4 horas (agora devido ao horário de verão)...
Entendo e concordo que deves corrigir, mas é muito fofo: - Si divertiiii!
beijos

Clara Gurgel disse...

Oi Rita, adoro essas "coisinhas engraçadas" que os nossos filhos falam.Para vc ter uma idéia,lá no meu blog,tenho uma sessão especial só com as gracinhas do Pedrinho.(o mais velho,hoje com sete anos).Como adoro instigá-lo,outro dia perguntei prá ele assim: "Pedro,se todo mundo fosse igual,como eu saberia que você é você? Ele deu uma olhadinha prá cima,como se pensasse e respondeu:'PELO CHEIRO,MÃE...'"

Essa, ainda não consegui colocar no blog.Esses dias tensos,têm me dado um certo bloqueio e o blog está parado.Bem ao contrário de vc, que consegue vir aqui e expor tão bem toda essa ansiedade que estamos vivendo nesses dias que antecedem a eleição.Obrigada por falar por mim...

Patricia Scarpin disse...

Teu filho é uma coisa gotósa, Rita. :D

Eu também quero um carro com teto escolar!

Clara Gurgel disse...

"Santo Aulete da Misericórdia", escrevi "seção" com dois esses!!! Abafa,Rita...

Cleiton disse...

Tenho lido muitos seus textos e percebo a cada dia que são muito bons. Porém, será que nas questões mais polêmicas, como questões políticas e/ou ideológicas não seria mais proveitoso, ou melhor, mais democrático se você abordasse suas opniões de forma mais imparcial? Sei lá, não sei se essa impressão que fiquei já é um trauma por tantas pessoas quererem nos manipular ou nos comprar, cada um com um textinho mais bem feitinho que o outro, só que com as verdadeiras inteções de ganhar seu voto e te alienar. Entende o que quero dizer? Não sei se estou sendo claro, mas, acho que todas as suas posições e convicções são bem lúcidas, mas estão explicitas demais. Mas também não sou o dono da verdade, rsrsrss!. Como diria Caetano; ".. ou não...".

Mari Moscou disse...

Belo post. Meu nojo também anda bloqueando minha veia bloguística com as eleições. Vou experimentar mudar os assuntos também - mas fico com aquele remorso, de que algumas respostas tem que ser dadas...

E lembrei quando era professora numa escola internacional, que uma criança me disse que preferia "airplane tea", hahahaha

Mari Moscou disse...

Um PS pro Cleiton, aí em cima: não existe abordar de forma impacial Cleiton. ;)

Danielle Martins disse...

"Se divertiii" muito passando por aqui!

Rita disse...

Oi, pessoas.

Tão engraçado: por causa da troca de template (saudades do antigo, buá), achei que ninguém mais passaria por aqui. Mas vocês estão aqui! :-)

Anginha, eu amei teto escolar. Mas essa do wasting music foi simplesmente adorável. Na falta do diário, pode vir aqui sempre, registrar as fofices dos dois. Tipo assim: o post pode ser sobre política, mas você pode chegar aqui e dizer que o Max descobriu uma palavrinha nova. Tá valendo. Bj!

Borboleta, não é? Tem coisa pra consertar também - muita coisa - mas nem por isso vou deixar de ver que tem mais gente trabalhando e comendo. Pra frente. Bj!

Amanda, fiquei pensando e esperando o Arthur falar novamente, mas ainda não rolou. Ele fala muito "que maneiro" e "legal". Mas também fala "barato", embora eu ache que com menos frequência. Mas só porque você perguntou, encuquei. Te conto depois, então. Sempre tento registrar aqui a fala exata dos pequenos, porque a graça tá nisso, muitas vezes. Mas, claro, posso ter sido carried away. Veremos. ;-) Bj!

Eu também "se divirto" muito! hehehehe

Clara, ai que fofo, pelo cheiro!! Vou lá ver essa seção então. E não esquente quanto aos deslizes ortográficos. Já cometi vários por aqui e sempre vem uma alma boa me alertar. E só para você relaxar de vez: já escrevi exceção assim: excessão. Não foi no blog. Foi no trabalho. Num documento. Várias pessoas leram. Eu quis morrer, mas rir foi o remédio. Fazer o quê?
:-D Beijocas!

Patricia, fofo, né? Ai, gosto demais desses pequenos deslizes. Morro de rir. "Se divirto" muito! Bj

Oi, Cleiton! Seja bem vindo, fique à vontade! Olha, nunca me passou pela cabeça ser imparcial aqui no blog. Sabe, é um blog pessoal, não é jornalístico, não tenho compromisso com neutralidade de opinião. Não saberia fazer assim. Eu tento ser justa, o que é outra coisa. Por exemplo, se eu tivesse escrito qualquer coisa sobre o epispodio da bolinha de papel mais famosa do mundo, certamente teria dito que acho que a pessoa que jogou fez uma coisa muito idiota. Não sei quem foi, nem de que partido é, nem o que estava fazedo ali, mas jogar qualquer coisa contra alguém na rua é ridículo. E diria também que acho todo o dramalhão construído em torno disso ainda mais patético. Mas não sei se isso é ser imparcial. Eu gosto do governo Lula, então sempre vou ponderar minhas críticas dizendo um sonoro MAS tem isso e aquilo de maravilhoso. Porque acredito nisso. Isso não quer dizer que eu não respeite quem discorda. Mas no meu blog me sinto inteiramente à vontade, como se eu estivesse na sala da minha casa. Acho que a grande mídia deveria, sim, em nome da informação, ser um pouquinho menos histérica. Mas depois dos últimos dias, desacreditei da coisa de vez. Mas aqui, Cleito, sem chance: são apenas rabiscos cheios de opinião pessoal mesmo, sem qualquer pretensão de ser fonte primeira de informação. A não ser que você queira saber notícias dos meus filhos, aí, sim, por enquanto eu que dou os grandes furos de reportagem! Abração!

Mari, também sinto uma vontade de falar falar falar. Mas essa semana foi muuuito tosca, credo! :-)

Danielle, vá ficando, querida! Bj!

Valeu, pessoas.
Rita

Rita disse...

HG, a resposta ao seu comentário está logo após a resposta ao comentário da Amanda. Não pus seu nome, eu hein. Bj.

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }