Missing



Tenho uma tia muito querida, por parte de pai, que sofre do Mal de Alzheimer. Na semana passada, sua filha contou a minha mãe que ela, minha tia, tinha passado o dia inteiro chamando por ela, por minha mãe. Viajando pelas memórias de sua juventude, alertava minha mãe para que ela me atendesse pois eu, menina ainda, estava chorando. “Berna, Berna, vem! A menina tá chorando, vem Berna!” Mais tarde, conferia, confusa, “Berna já chegou para o almoço?”

E fiquei aqui pensando nos caminhos de idas e vindas dos pensamentos da minha tia. Minha tia carinhosa, de quem sinto saudades. Quando penso nela, penso em seu abraço, sua voz diferente - sempre achei sua voz diferente, não sei bem por quê, algo no timbre, não sei - seu café fresquinho na mesa da cozinha. Penso nela rindo, conversando na sala ou no terraço de sua casa de longo jardim, visitá-la foi sempre bom.

Quero fazer isso de novo, em breve. Quero vê-la, ainda que não haja garantias de que ela vá me reconhecer. Mas quero mesmo assim. Quero segurar em suas mãos e olhar em seus olhos bons e dizer-lhe “que bom vê-la, tia!”. E escrevendo isso, paro um pouco, fecho os olhos e já sinto seu cheiro que pra mim é de infância. E sinto uma dorzinha antiga quando lembro que, enquanto crescia, vi minha tia perder seus irmãos, seu marido, sua mãe, seu filho e se manter ali, a tia forte. Talvez sua memória cansada tenha resolvido descansar um pouco nas lembranças de antes. Talvez.

Estou com muitas saudades dela. Cabe muita saudade dentro de mim. Estou com saudades de minha mãe, também, embora tenhamos nossa ponte inabalável de contato permanente; estamos sempre de mãos dadas. Mas na próxima visita a ela, vou tomar um café com a minha tia Tereza. Mesmo que ela não saiba, vou estar ali um pouquinho com ela. Porque às vezes o amor é assim, tranquilo, nem precisa de muita notícia.

9 comentários:

Angela disse...

Ainda ontem eu e Pete conversavamos sobre o Mal de Alzheimer. Um tio estava na UTI e uma tia veio visita-lo com o marido, que esta sofrendo de Alzheimer. Ouvi algumas estorias. Comentei, que estranho estarmos com uma pessoa do nosso lado e ela nao estar mais ali. Mas estas tao certa, o amor eh tranquilo...

Glória Maria Vieira disse...

Só pra salientar: você me emociona, Rita!=\ que lindo! Sou sua fã, viu?! E se me permite, vou add você na minha lista de "INFLUÊNCIAS". Porque você me influencia e muito...

Glória Maria Vieira disse...

E ah! Vou tirar um final de semana só pra ler todos os postes que der do emocionante Estrada Anil... Muito bom mesmo!

Borboletas nos Olhos disse...

Cabe muita saudade dentro de mim (2). E tenho visitado tios, tios-avó e avô e me visitado nessas companhias. A gente se sabe tanto olhando no olho do passado! E como é lindo amar assim, de ficar sentada, segurando a mão, sem saber do que o outro lembra, mas lembrando pelos dois. Lindo post, Rita, daqueles que a gente relê nas madrugadas mais doloridas...

Rita disse...

Oi, Anginha. É bem assim, é como se a pessoa não estivesse mais ali. Acho tão intrigante isso, ne? Quero muito vê-la, muito mesmo. Dezembro, dezembro. Bj!

Glória, querida, que docinha, você. Muito obrigada, viu? Fique à vontade, boa caminhada procê! :-) (Ai, ler coisas antigas... dá até um arrepio. Às vezes, quando a gente lê o que escreveu há tempos tem aquela sensaçãozinha de "ui, será que eu escreveria isso de novo?". Melhor nem pensar. :-D)

Luciana, obrigada, querida. Quando dezembro chegar, quando dezembro chegar. Beijinho.

Rita

Jux disse...

"Porque às vezes o amor é assim, tranquilo, nem precisa de muita notícia."

lindo...

e sabe, mesmo que sua tia querida não lhe reconheça, o que importa é que você sabe quem ela é...

abraça a tia por mim também!

beijukkiss

Rita disse...

Oi, Jux. Obrigada, linda. Abraçarei, sim, pódeixar. :-)

Rita

Wonderwoman disse...

"Porque às vezes o amor é assim, tranquilo, nem precisa de muita notícia."
Ah mas isso foi tao bonito. Ha muito nao me emociono assim lendo posts e historias alheias.
Tenho lido aqui, vez em quando. Gosto demais do seu blog, conheci a partir do blog da Lola.
Abracos

Rita disse...

Wonderwoman, muito obrigada por seu carinho e pelas visitas. Fico feliz por você ter gostado do post, foi escrito com o coração apertadinho.
Beijos pra você e fique à vontade, volte sempre.
Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }