Heart



Arthur: - Mamãe, você vai demorar?
Eu: - Não, filho. E a mamãe só vai porque a mamãe da mamãe tá precisando de colinho agora. :-)
Arthur: - Hahahaha!
Eu: - Boa noite, filho, te amo muito.
Arthur: - Eu também adoro você!

Saio do quarto e o deixo lá com a outra vovó. Pensativo, ele olha para ela e diz:

- É que a vovó Berna cuidou da mamãe quando ela era do meu tamanho, né?

***

A pequena demonstrou que sabia com um longo abraço que se transformou em colo e balancinho, com meu rosto enfiado em seus cachinhos - sinto o cheiro deles até agora.

***

Tive voos fáceis e monótonos, com comissários falantes e muitas subidas e descidas. Pouca comida, muito sono e a companhia de Madame Bovary e seus amores improváveis. Mal botei os pés no aeroporto de Campina Grande, dei de cara com uma ex-aluna que me deu um caloroso abraço, sem suspeitar do quanto eu estava necessitada daquilo. Pouco depois cheguei em casa e vi minha mãe cansada, tristonha, encolhida. E é assim que inevitavelmente me sinto agora. Olhando para sua cabeleira branquinha, tão linda, como que coberta de neve, tenho vontade de me transportar para uma história a la Alice e soprar um sopro mágico que encha seus pulmões, resolva seu coração e lhe devolva o sorriso. Mas não posso nada disso. Nem o sorriso eu trouxe dessa vez.

O resto da tarde foi gasto em conversas com médicos, medições de índices disso e daquilo. E a decisão de esperar mais um pouco. Outras opções incluem uma internação que ela quer evitar, escolha que quero respeitar. Esperemos, então. Mostrei-lhe fotos, assisti novelas, senti-me inútil. Há dias em que sei não.

Um pedaço enorme de mim está lá em Floripa, no tapete da sala, na mesa da cozinha, nos quartos das crianças. Eles têm minha força, sem eles não sei fazer. Mas estou aqui, onde preciso estar agora. Assustada, sem saber tanta coisa, reviro meu ser em busca daquele cantinho onde se encontra minha própria fonte de energia, aquela que só eu posso ter, que não posso delegar ou tomar emprestada. Talvez se eu dormir um pouco eu a reconheça pela manhã.

Há tantas formas de solidão no mundo. São infinitas, há tantas quanto há pessoas e até mais, já que um mesmo indivíduo pode desenvolver várias maneiras de vivenciar suas solidões. A minha hoje é imensa. Há várias pessoas comigo, mas me sinto absolutamene sozinha.

Lá fora está chovendo e o vento está cantando. Faz um friozinho bem catarinense nessa Paraíba de cá. Vou empurrando a noite com a barriga, em breve o sono me derruba e amanhã vou tentar o sorriso novamente. Quem sabe.

Tenho um coração dobrado como um origami.


15 comentários:

Angela disse...

Ai Rita, como queria estar por ai agora... Me pus bem em teu lugar, senti mesmo. Estou torcendo para que reganhe suas forcas e amanha sacoleje tudo por ai!

Borboletas nos Olhos disse...

É injusto que você minimize a minha solidão quase sempre e ainda hoje com suas sempre certas palavras? Eu, ontem, estava pensando em meu pai. Ele está bem de saúde, feliz, forte. Mas eu ouvia Espelho e me deu uma dor de quando não for mais. Não sou muito boa em dizer coisas como: tudo vai ficar bem. Vai dar tudo certo. Seja forte. Etc. Só sei dizer coisas como: dói mesmo, né. E outras como: eu estou aqui. Pra ser só com você, se for o caso. Nós duas, cada qual na sua solidão inominável, olhando pro nada. Mas ali, do lado. Já disse, né, tudo no Nordeste é perto, pode dizer. Um beijo.
PS. Ficou um comentário meio troncho e bobo. Mas muito verdadeiro, viu.

Jux disse...

abraço, beijo, cafunés nas relva macia de neve... e mais umas palavras amorosas que tão bem seu coração sabe gotejar... tem horas que mamãe e papai só precisam disso... no amor abundante a cura mais certa sempre chega no tempo bom...
beijo e abraço assim apertado...

disse...

Rita, não sou muito boa com as palavras, mas tô aqui na torcida para que tudo dê certo e que amanhã vc possa sorrir muito e vir contar pra gente esse monte de palavras doces e alegres!

Muita força!

Beijos,

Caso me esqueçam disse...

ai, rita, que pena. que pena que nao podemos fazer nada. da uma pena grande te ver falando assim, logo tu que eh sempre tao cheia de energia e pensamentos bons. bom, nao que eu pense que voce mudou, mas eh chato te ver nessa situacao, triste assim. sinto muito. nao sei o que dizer alem de "melhoras!", "força!".

mas diga a sua mae que esta paraibana aqui esta torcendo muito por ela, torcendo pra que ela fique boa logo, viu? do fundo do meu peito, melhoras pra ela! e um grande abraço!

beijos grandes!

Tina Lopes disse...

Não dá pra escrever tudo que eu tenho pra te falar. Só posso te desejar força e serenidade. Porque é tudo tão difícil, eu sei. Muitos beijos.

Liliane disse...

Que dor menina,
Chorei aqui sozinha sentindo sua dor... Espero que a bonança venha depois da tempestade... Tomara que seu dia hoje seja melhor, que encontre a força para enfrentar a vida e esses desafios que nos são impostos. Torço por vocês nessa hora difícil!
beijos

Anônimo disse...

Oi Rita,

Você disse que se sentiu inútil, mas nessas horas "ser útil é simplesmente estar presente". Ficarei aqui torcendo pela sua mãe e mandando para vocês minhas melhores energias para que "o sorriso reencontre o caminho dos seus lábios". Força!

Paulo Marreca

Mari Biddle disse...

Eu li e apesar de não saber o que escrever para vc para minimizar o que vc está sofrendo, resolvi te desejar muita força. Um abraço apertado pra ti.

Danielle Martins disse...

Querida Rita, sei bem do que fala, da sensação de impotência que as vezes temos diante dos que amamos. Mas transforme tudo isso em fé e amor, em mais amor (se for possível. Muita luz e paz nesse seu coraçãozinho! Rezo por vocês. Abraços!

Sheila disse...

Minha querida amiga Rita.

Quando estiveres lendo esse comentário abra aquele canal de comunicação...sabe....de pensamento e sinta que estou te enviando todo o meu carinho para você.

Um fooooooooooooorte abraço, Sheila

Marcia disse...

Um abraço imenso pra você, Rita. Que o sorriso chegue, que o seu coração se sinta acalentado. Estamos aqui com você, torcendo pela sua mãe.

Rita disse...

A cada um de vocês, em particular, meu agradecimento comovido por tanto carinho. Derramei um rio inteiro de lágrimas lendos as palavras docinhas de vocês. Não sei agradecer, não sei.

Amor pra vocês,

Rita

Vivien Morgato : disse...

Amiga, força por ai, beijos.

Rita disse...

Valeu, Vivien, obrigada! Bj.
Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }