Good evening, class!



Eu sei que hoje é domingo, mas lembrei disso hoje, vou fazer o quê?

Há dias em que sinto saudades da sala de aula, dos dias em que era professora de inglês. Não de certos contextos que me cercavam, mas da sala de aula mesmo. Eu me lembro de certos dias em que estava cansada ou chateada por algum motivo (durante quase todo o tempo em que dei aulas de inglês, conciliei o trabalho com a faculdade ou com a pós) e, qualquer que fosse a razão da chateação, tudo ficava bem assim que eu cumprimentava meus alunos.



Eu me divertia dando aulas, gostava especialmente das aulas para grupos de adultos. Eu lidava com crianças e adolescentes também, mas era com turmas de adultos que me sentia mais à vontade, talvez porque os papos rendiam mais, o vocabulário podia ser mais abrangente, as referências eram mais familiares. (Para ser bem honesta, em alguns dias as turmas de adolescentes eram a razão de minha chateação - mas vamos pular essa parte.) E havia dias em que aquela máxima de que tudo de que alguém precisa para não trabalhar é arrumar um trabalho que lhe dê prazer fazia muito sentido para mim. Eu gostava muito de ir ao trabalho.



Havia algo na atmosfera dos cursinhos de língua que me fazia muito bem. Talvez fosse o fato de o meu próprio curso de inglês ter sido tão divertido, uma época em que fiz tantos amigos e em que "fazer o dever de casa" significava passear pelas letras das canções que embalavam aqueles anos ou cobrir as legendas dos filmes em VHS com tiras de papel coladas na TV (não dava para selecionar "sem legendas", luxo que veio mais tarde, com os DVDs). E aí devo ter levado comigo essa atmosfera para o meu trabalho depois: eu já tinha estado ali, no lugar dos meus alunos, e por isso me empenhava em fazer do curso deles algo tão divertido como tinha sido o meu.



Não sei se consegui, sempre. Mas certamente consegui algumas várias vezes. Lembro de aulas em que ríamos tanto que algum desavisado que passasse no corredor poderia confundir a sala de aula com um boteco. E, olha, só faltava a bebida. Algumas aulas eram um bate papo de amigos em torno dos mais variados assuntos, onde o aprendizado do idioma vinha regado com argumentos inflamados e anedotas saborosas. Não há maior satisfação para um professor do que ouvir seus alunos lamentarem o sinal de que a aula acabou: “aaahh, já??” (“ooohhh, no!”) Mas às vezes a gente resolvia isso, pegando um cinema depois da aula. 



O bom dos cursos de língua (pelo menos entre os adultos) é que, via de regra, está ali quem quer. O professor ou professora tem diante de si um grupo de pessoas já motivado pelo interesse genuíno em aprender outro idioma. Por isso a leveza, a atenção certa, a participação efetiva que fazia das aulas eventos realmente interessantes e produtivos.



Perdi contato com praticamente todos meus ex-alunos. Sei notícias de alguns, às vezes, esporadicamente, por terceiros, quartos, quintos. Mas outro dia, vasculhando papéis antigos, dei de cara com alguns cartões carinhosos daqueles tempos. Eram cartões de aniversário ou de final de ano, outros de despedida antes de minha primeira viagem à Inglaterra. E ri com aqueles cartões coloridos assinados por aqueles que foram meus companheiros em horas saborosas das aulinhas de inglês. Por onde andarão aquelas pessoinhas?



Eu toparia uma reunion, assim, para pôr o papo em dia. Acho que rolariam alguns papos bons e, quando acabasse, alguém diria “aahhh, já?”.

***

Pessoas boas, ainda dá tempo de votar na segunda etapa do concurso de blogueiras do blog da Lola. Menina Pode, Sim tá lá. Daqui a pouco começa a terceira etapa, com outros textos.

11 comentários:

Amanda disse...

Tenho péssimas memorias das minhas aulas de inglês... Detestava ir, parecia que estava indo pro matadouro. Mal falava na aula, não fazia os deveres de casa, nunca sabia a resposta certa. Acho que pq eu era mt ruim no ingles e me intimidava. Fora que os outros adolescentes da minha turma eram insuportaveis... Achava que nunca ia falar outra lingua.

Mas tudo mudou quando fui estudar ingles na Australia! Cara, nunca me diverti tanto em sala de aula, juro! Amei meus colegas asiaticos, a gente ria muuuuuito juntos! E o pior que a gente ria dos erros uns dos outros tbm, sem rancores. Pq cada nationalidade cometia os mesmos erros e a gente aprendia a entender os erros e decifrar os sotaques. Faziamos teatrinho, coisa que normalmente eu não gosto, mas la eu adorava! Puxa vida, vc me lembrou dos bons momentos que passei na minha escolinha! Que saudades!

Borboletas nos Olhos disse...

Surpresa: já votei, rsrsrsr.
Pra ser sincera, não gostava tanto das aulas de inglês, nem na escola nem nas poucas tentativas de cursos fora. Mas a sensação que você narrou é igualzinho ao que eu sentia nas aulas de português e literatura.

Luz! disse...

Eu tô fazendo curso de inglês agora, Rita!

Tô adorando!

Na minha sala não tem só gente que está lá por vontade genuína de aprender. Tem muita gente que está lá porque faz engenharia ou algum outro curso que, segundo eles, exigem a língua inglesa. Então algumas vezes já prenseciamos muxoxos e má vontades.

Minha professora já deu até piti na sala. Certa vez ela ia passar um filme, mas o dvd não estava por lá (e como a aula já estava quase próxima do fim, isso significava que já seríamos liberados). Daí alguém fez uma comemoraçãozinha irônica, do tipo: "ahhh, que peeena que o dvd não está" e ela fez um discurso sobre se esforçar pra inovar na aula, na esperança de deixá-la mais agradável, e as pessoas não valorizarem isso. Mas, ainda assim, é um ambiente bem bom.

Eu ainda sou suuuuuper ruinzinha no inglês, mas tô bem inspirada. Nunca faltei, faço todas as atividades, e acho super divertido que ouvir música e ver filme sejam partes da aprendizagem! hehe

Beijo bem grande! =)

Luz! disse...

Ah, votei em ti lá na Lola!

Danielle Martins disse...

Conheci seu blog através da borboleta, claro que: 1. leio sempre, 2. já votei no Menina Pode, Sim, 3. Eu também não gostava das aulas de inglês, mas sua descrição faz até a gente repensar... rsrs
Abraços!

Polyana disse...

Olá, há muito tempo tenho vontade de fazer um comentário sobre seu blog, mas sempre arranjava desculpas para tal, porém hoje amanheci pouco nostágica, sensível ou sei lá mais o quê e quando olho o seu blog, vc falando dos tempos de sala de aula...
Pois é Rita, felizmente fui uma de suas alunas adolescentes e de uma turminha trabalhosa daquelas que te deixava chateada, mas que com jeitinho vc conseguia superar e dar a aula.

Um abraço,
Polyana Emília
(Esperança/PB)

Patricia Scarpin disse...

Rita, morro de saudade da minha época de teacher - dei aula por dois anos e meio e era super paparicada pelos alunos. Amava lecionar e ainda penso em voltar.
Alguns de meus alunos eram super próximos, foram ao meu casamento e tudo. Uma delícia, mesmo.
Sabia que foi assim que conheci o João? Ele foi tão cara de pau que se declarou numa lição de casa. :)
Beijo!

Rita disse...

Oi, Amanda! Nossa, tivemos experiências bem diferentes. Eu adorava minhas aulas de inglês, eram os momentos favoritos das minhas semanas, por muito tempo. Mais tarde, já professora, o curso de Londres também foi delicioso, mas aí o clima era outro, valiam mais os passeios pela cidade, a prática in loco. Ensinar a língua pra mim sempre foi dar continuidade a essa grande brincadeira chamada "estudar inglês". I love it. :-)

Luciana, eu também gostava das aulas de literatura, no colégio e na faculdade. Mas os cursinhos de inglês era imbatíveis para mim. Beijão!

Oi, Luz, queria ser sua professora! hehehe, nostálgica, eu. Ah, desejo boa sorte pra você e que você tenha bons professores pela frente e turmas animadas também. É sempre mais gostoso aprender com bom humor, né? Ah, você falou uma coisa interessante: nem todo adulto tá sempre motivado, né? É verdade, eu tinha alunos de engenharia que se arrastavam para as aulas também, mas eu "xingava" logo e mandava parar de preguiça e eles geralmente entravam no clima. :-) Bj!

Danielle! Bem vinda, viu? Bons ventos a trouxeram aqui, aquele blog lindo e vermelhoso da borboleta. :-)Muito obrigada pelo carinho e... are you sure you didn't like your English classes? ;-)

Polyana!! Que de-lí-cia uma ex-aluna pintar por aqui! Que prazer enorme, muito obrigada pelo comentário e pelas demais visitas silenciosas também. Ganhei o dia. :-) Ó, fique sabendo que nem toda turma de adolescentes era "daquelas"... inclusive, alguns cartões de que falo no post foram dados por uma turma de adolescentes que eu adorava e que me matava de rir. Adorei sua visita, venha sempre! Beijo grande!

Patricia,
adorei essa história do João se declarar em uma lição de casa. Hahahaha, que bonitiiiiiiiiiinho! Você deu 10 pra ele, não deu? ;-)

Beijos, pessoas!
Rita

Rita disse...

Ah, Luz, obrigada! ;-)

Danielle Martins disse...

Eu só não gostava como não aprendi quase nada, tenho que confessar. O Google tradutor foi minha melhor descoberta da modernidade! rsrs

Rita disse...

Oi, Danielle. Ah, que pena. :-( Wanna try again? ;-)

Beijos!
Rita

 
©A Estrada Anil - Todos os direitos reservados. Layout por { float: left; }